Categoria: Peseiro

PALAVRA DE HONRA

Se pedissem para definir o homem Frederico Varandas diria que é alguém de palavra de honra!

Cumpridor das suas [não] promessas, visionário das suas ideias e é alguém que tem, imagine-se, como seu maior inimigo a contradição. As palavras não são o seu forte, só por si, mas, esta coisa de gravarem o que diz não o tem ajudado nada!

Vejamos, em vídeo, alguns episódios de Frederico Varandas:

JOSÉ PESEIRO

O treinador certo que acabou despedido por Frederico
Varandas

AS MODALIDADES


Frederico Varandas critica as modalidades do SCP

SPORTING TV


A Falácia da Liberdade – Episódio 1

SPORTING LIVRE


A Falácia da Liberdade – Episódio 2

SPORTING CAMPEÃO

Frederico Varandas acreditou e acredita que fará o SCP campeão

A MAIORIA DA SAD

A [não] venda da SAD do SCP por Frederico Varandas

RECORDE DE VENDA DAS GAMEBOX


VARANDAS AVISA: “ESTAMOS A BATER RECORDES NO MERCHANDISING, BATEMOS NA VENDA DE GAMEBOX E MUITOS OUTROS VÃO CAIR”

A EXPULSÃO DE BRUNO DE CARVALHO

A tal PENA DE MORTE

Depois de vermos os vídeos não temos dúvidas que estamos perante um homem de palavra de honra, pessoa de bem e ideal para liderar o grandioso SCP ou será que alguém tem dúvidas?

Para onde caminhamos Sporting CP?

Louve-se o homem que não quis a pena de morte, o mesmo que quis uma Sporting TV com comentadores com direito à sua própria opinião e um Clube livre!

É Frederico Varandas o presidente do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

Todos os episódios relatados nesta crónica são reais, por isso, recordo as suas palavras que resumem tudo isto:

Frederico Varandas garante que acabou o tempo de o Sporting ser um “circo” e alvo de “chacota”

Sobre Frederico Varandas, palavra de honra, nunca mais quero escrever…

Saudações Leoninas

CRÓNICA DO ENCONTRO ENTRE DOCTOR VIEIRA E MISTER VARANDAS

“Se o senhor Varandas vem com o mesmo propósito, não deverá lá ficar muito tempo. Se ele se preocupar só com o Sporting, pode ter algum sucesso. Se olhar para o vizinho do lado, não. Porque o vizinho do lado já vai com um andamento que ele nunca mais vai lá chegar.” Vieira, Luís Filipe TVI 30/10/2018

Ía acontecer mais cedo ou mais tarde, assim que os resultados da sua agremiação fossem piores que melhores, seria uma questão de tempo até o ainda “Dono Disto Tudo” apontar baterias ao seu alvo preferido, o Sporting Clube de Portugal.

Fica bem visível neste “aviso” que o presidente dessa agremiação fez, que ele sabe, e sabe muito bem, como se faz para tirar um presidente do Sporting desse cargo, pois se um qualquer presidente do Sporting “olhar para o vizinho do lado”, então “não deverá estar lá muito tempo”, pois o dito “vizinho do lado já vai com um andamento que ele nunca mais vai lá chegar”

Isto diz muito de nós Sportinguistas, diz que nunca nos soubemos defender dos fatores externos, como são exemplo estes vizinhos indesejados que temos, e há até uns ditos Sportinguistas que acham piada, dão credibilidade a estas tiradas dos adversários e até apoiam, caso o presidente do Sporting não seja aquele em que tenham votado, ou porque simplesmente acham que têm fair-play ou “são diferentes”.

Quantas vozes Sportinguistas sempre prontas a “falarem” se levantaram a defender o Sporting e o seu presidente deste aviso do “Dono Disto Tudo”?

“Sobre o doutor Vieira, fiquei sensibilizado com a preocupação da longevidade do meu mandato, pode contar com o Sporting a lutar pela verdade desportiva, valorização do futebol português, implacável na luta contra a corrupção. Se me perguntam o que acho do caso e-Toupeira, tenho a dizer que é uma vergonha. Se me perguntarem 20 vezes, direi 20 vezes que é uma vergonha” Varandas, Frederico 3/11/2018

Frederico Varandas esteve bem a responder à pergunta feita pelo Expresso acerca do processo E-Toupeira e esteve ainda melhor na contrarresposta a Luís Filipe Vieira… perdão, na resposta ao doutor Vieira.

varandasdoutorvieira

Mas, não podemos esquecer que os atacados de “hoje” são os beneficiários de “ontem”, pois quando o mesmo doutor Vieira disse que “ía fazer uma ou duas loucuras atacando jogadores do Sporting, pois não se esquecia dos ataques feitos por Bruno de Carvalho”, ninguém dito Sportinguista, notável e com voz se indignou. Pelo contrário o que vimos foram disparatados pedidos públicos ao amigo Vieira para nada fazer. Vimos também, após as ditas afirmações, alguns atos de subserviência inaceitáveis, que incluíram passeatas pela tribuna da Luz.

“Foi uma decisão de tal maneira precipitada que o Sporting anda à procura de soluções. Aquilo que fez, fê-lo sem ter uma solução credível, rápida e que pudesse, de facto, ser aglutinadora. Por isso, acho que foi algo que não se justificava de maneira nenhuma” Dinis, Carlos vice-presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol 2/11/2018

Também da Associação Nacional de Treinadores veio um ataque. Desta, e da sua atividade, confesso que só tinha ouvido falar quando Marco Silva foi despedido. Agora com o despedimento de José Peseiro deram um novo sinal de vida. Mas, haverá ato de gestão mais “normal” de uma equipa de futebol que despedir um treinador de futebol? Não é uma questão de se concordar ou não com a decisão, é uma questão de legitimidade de um presidente, qualquer que ele seja, em despedir um treinador. É que um presidente tem essa legitimidade… exceto o presidente de um clube, o Sporting, no entender destes da Associação de Treinadores.

“Enquanto presidente do Sporting faço o que achar melhor para o Sporting, o resto não interessa” Varandas, Frederico 3/11/2018

Também aqui, esteve bem Frederico Varandas na contrarresposta dada, sem sequer nomear o nome destes. Vamos estar atentos ao que têm a dizer com os despedimentos que aí vêm, e ao que vão dizer os senhores da dita Associação. Sabem o que vão dizer? Isso mesmo, nada!

Vai chegar o dia em que o Sindicato dos Jogadores vai criticar Frederico Varandas, seguir-se-á o Sindicato de Jornalistas, e por aí fora, pois os “beneficiários de ontem” serão os “atacados de amanhã”. Bruno de Carvalho foi atacado, “amanhã” será assim com Frederico Varandas, no meio disto tudo um denominador comum: “quem se lixa sempre é o Sporting”.

Em conclusão, parece que Frederico Varandas “sentiu-se picado” pelo tratamento que lhe foi dado por Carlos Dinis e principalmente por Luís Filipe Vieira, e de uma só cajadada matou dois coelhos. Correu-lhe bem este primeiro confronto, e por isso chamei a esta crónica, a crónica do encontro entre Doctor Vieira e Mister Varandas

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

SEJA O QUE DEUS KEISER…

A derrota na taça da liga foi a gota de água. Findo o encontro com o Estoril, o desagrado vindo das bancadas foi audível e notório, insatisfação essa que já vinha desde o jogo em Portimão.

Peseiro nunca foi consensual no Sporting. O treinador apelidado de «PéZero» ou «Pé Frio» nas redes sociais, nunca reuniu a maioria dos apoios como treinador do Sporting.

Não vale a pena estar aqui descortinar as razões para tal, pois já foram mais do que debatidas na Comunicação Social. O que é estranho é essa mesma CS não referir (ou pouco mencionar), que esta foi a escolha pessoal do amigo Sousa Cintra na sua passagem pela Comissão de Gestão do Sporting. E mais: o Próprio Cintra assumiu: “Não se pode agradar a todos, uns querem estrangeiro… Foi a minha decisão, se as coisas correrem mal assumo essa despesa». (notícia completa aqui).

Ora bem, ficamos então à espera que Cintra já tenha o dinheirinho preparado. Quanto ao Peseiro, na minha humilde opinião, já vai tarde e nunca devia ter vindo!

Com Peseiro fora, Tiago Fernandes assume o comando provisório e começam os nomes a sair na CS. Desde o dia 1 de Novembro, já foram «confirmados» ou «avançados no Sporting: Paulo Sousa, Miguel Cardoso, Cesare Prandelli, Peter Bosz, Jorge Sampaoli, Leonardo Jardim e agora, parece que o nome final é Marcel Keizer.

«Quem?» foi a pergunta que mais li ao ser anunciado como certo. Embora Varandas não tenha revelado ainda o nome, afirmando que apesar de já estar escolhido o novo treinador «não posso revelar porque ainda tem de rescindir o contrato com o clube em que está agora em funções».

Coincidência ou não, o treinador de que todos falam agora (mais uma vez) como forte possibilidade no Sporting está no mesmo clube onde trabalha o médico contratado para vir em Janeiro para o SCP: João Pedro Araújo, o Al-Jazira. Mais, segundo alguma CS, sempre bem informada, foi o médico a fazer a ponte entre o treinador e a direcção do SCP. É o chamado «2 em 1», portanto.

Segundo li na imprensa, Keiser formou-se nas escolas do Ajax. Gosta de jogar 4x3x3 e no CV conta com… zero títulos. A CS, bem informada como sempre, desta vez pela voz Pedro Sousa, no seu espaço habitual na TV, adianta que o treinador custará 530 mil euros (custo da indemnização ao clube árabe) e que supostamente vai assinar por duas épocas, com um salário de perto de 700 mil euros/ano.

O sentimento geral é: que venha! Sem treinador é que não podemos ficar. Mais eis que, o que a imprensa mais uma vez, dava como 99% certo, afinal não é assim tão certo. Depois de avançarem que o Al-Jazira exige uma indemnização pela saída do treinador, o próprio Marcel afirma aos jornalistas que recebeu um convite dos Leões mas que «ainda não recebi a oferta formal”. (Aqui).

Estranho, é A CS já saber os detalhes do contrato do suposto novo treinador, antes do próprio! Há proposta? Não há proposta? Arrependeram-se? Marcel não aceitou e quer outras condições?

Portanto: a CS dá Marcel como certo, vamos pesquisar quem é o homem, lá nos convencemos que é ele (apesar do CV pouco empolgante), o clube onde trabalha faz braço de ferro, Marcel diz que apenas tem uma proposta verbal… e, 6 dias depois, estamos na mesma à deriva, nas águas da CS, como de costume.

Eu não queria o PéZero. Mas despedir o treinador (de madrugada, de manhã, a mando de outros ou pelo próprio presidente) sem ter uma opção?… Não digo imediata, mas passados 6 dias ainda andamos nisto?!

Veremos o que acontece. Eu quero é um treinador e um Sporting vencedor. Até lá, seja o que Deus Keiser!

CRÓNICA SOBRE VARANDAS PRISIONEIRO

Comecei a pensar nesta crónica, estava eu em Milão, onde passei 3 dias em trabalho. Na sua principal Praça lá estava ele, o Leão, majestoso, poderoso, símbolo de força, junto da estátua de Vittorio Emanuele II, “o pai da Pátria Italiana”.leone-vittorio-emanuele-ii-monument-in

Itália tem excelente comida, excelentes carros, grandes clubes de futebol, mas também teve o “Calcio Caos”, o processo de corrupção que arrastou a Juventus para a Série B, iniciando o campeonato com -9 pontos na classificação, multa pecuniária, e perda dos títulos de 2004-05 – não atribuído a outro clube – e 2005-06 – atribuído ao Inter.

Em Portugal, o futebol passa por um processo, ou melhor vários processos, onde há suspeitas de corrupção e outros crimes, por parte de um clube. Fala-se de muita coisa, já há arguidos em alguns dos processos, mas os supostos corruptores ativos, dirigentes da agremiação rival, estão em liberdade, não estando, portanto, em prisão preventiva.

Mesmo havendo suspeitas e sendo arguidos, essa agremiação continua a sentir-se com direito a atacar tudo e todos – está no seu direito logo que dentro da lei – mantendo assim, os seus adeptos, convencidos que a direção está a defender o melhor possível o seu clube, mesmo que o “gato esteja escondido com o rabo de fora”.

Já no nosso Sporting temos uma direção que, chegada de fresco, continua calada no silêncio, sem dar uma prova de vida, parecendo que está no cárcere.

Varandas, não dá uma prova de vida em relação ao prometido durante a campanha eleitoral que “o campeonato de 2015/16 é nosso. Eu vi com os meus olhos muita coisa que não vai poder continuar”. Será que se referia a coisas como as que temos vindo a saber pelo caso “E-mails”? Mas então porque não fala? Está prisioneiro de alguma coisa que se passou entretanto?

varandaschora.jpg

Frederico Varandas, vê o seu treinador – sim, seu treinador, pois Varandas apoiou a decisão da contratação de Peseiro – mas dizia eu, que vê o seu treinador a ser atacado por Sousa Cintra e não vem defender o seu “grupo de trabalho”? Mas porque não defende o seu “grupo de trabalho”? Está prisioneiro de alguma coisa?

Varandas, que disse que os jogadores não tinham razão no pedido de rescisão por justa causa, que com ele todos voltariam e que iria defender os interesses do Sporting, anda agora, segundo os jornais, a “pedir ajuda a Jorge Mendes”. Mas Jorge Mendes é advogado especialista em rescisões? Esse não era o Juan de Dios Crespo? Está Varandas prisioneiro de alguma coisa?

Varandas nada diz acerca do rumo para o Sporting, nada diz aos Sócios, tem uma comunicação transmitida por canais oficiosos, pouco transparente, gerida de uma forma benfiquizada como já escrevera aqui na semana passada. Está prisioneiro de alguma coisa?

Adaptando ao atual Sporting o que dizia o co-fundador da Apple, Steve Wozniak – na imagem com Steve Jobs – acerca dos produtos que “inventava”: Varandas, ninguém vai amar este clube se tu não o amas.

stevewozniak

Varandas, como tu não o amas, quem o ama, vai, mais cedo do que mais tarde, criar uma alternativa. Uma alternativa para que os Sportinguistas e os seus Sócios se sintam majestosos, poderosos, tal como o Leão junto da estátua de Vittorio Emanuele II,  uma alternativa em que se revejam, com liderança, com um propósito, que defenda o Sporting, que não esteja calado, que transmita aos Sócios informação clara, porque essa é a melhor forma de os respeitar.

Até lá, Varandas, não espero nada mais do que fizeste até aqui, ou seja, nada. Não sei se por inaptidão ou porque não te deixam, mas na dúvida vou pela segunda hipótese e por isso esta foi uma crónica sobre Varandas prisioneiro.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

CRÓNICA DE APOIO A PESEIRO

Repetir ações do passado, e achar que essas ações terão resultado diferente, é no mínimo sinal de pouca inteligência.

José Peseiro quando foi treinador do Sporting em 2004-2005 conseguiu, o feito, de ter 9 derrotas e 7 empates em 34 jogos, como podem ver no quadro.

classificacao2005

No entanto, Sousa Cintra, achou que fazer a mesma ação, que outros tinham feito em 2004, teria diferente resultado. Por isso contratou José Peseiro. E até disse que se “alguém não gostava então paciência”, pois a decisão estava tomada e se quisessem que lhe chamassem “ditador”.

cintrapaciencia

Mas, não foi só Sousa Cintra que achou uma boa escolha. Frederico Varandas rapidamente veio “falar”, coisa que ele gostava tanto antes de ser presidente e agora nem vê-lo, dizendo para quem o quisesse escutar, que aprovava a escolha da Comissão de Gestão e que “Peseiro será o meu treinador”.

varandas2

A verdade é que agora que os resultados não são bons, já começam a dar o dito por não dito. Ainda bem, que não foi no Facebook que a pessoa que contratou o Peseiro disse: “perder 4-2 contra o último é uma vergonha”. Caso isto tivesse sido dito no Facebook, logo diriam que estava a “desvalorizar os ativos”. Assim foi uma valorização.

Mas, Peseiro é o seu pior inimigo. Frases como: “é um momento triste, mas já passou” – não, não passou e vai ficar para sempre na história que levamos 4 do Portimonense, é um grande tiro nos pés. Só alguém que não sente o que é ser adepto de um clube como o Sporting é que pode achar que passa. Já agora, não vá para as Flash Interview após uma derrota a sorrir. Não cai bem.

Screenshot_20181009-130825

Já vimos que por vontade de Sousa Cintra e da nova direção à primeira hipótese vão pô-lo a correr, para se safarem aos olhos dos Sócios e adeptos. Não nos podemos esquecer que estes dirigentes são discípulos de Godinho Lopes que, em pouco mais de 1 ano, conseguiu ter 5 treinadores, sempre numa fuga para a frente, achando que ganhava tempo junto dos Sócios.

Mas, é nestes momentos de descontrolo emocional que se vê a capacidade de liderança de um presidente. Se aguenta o treinador quando todos pedem a demissão do mesmo, e se, é ele a liderar pelo exemplo, dando a cara e não mandando os recados pelos Cintras da vida.

Uma coisa é certa se começarem a surgir rumores pelas vias oficiosas que o JJ já está preparado para regressar – isso seria o motivo para encabeçar o movimento “fica Peseiro”.

Peseiro já está no seu ritmo de derrotas, 2 em 7 jogos dá cerca de 9 ou 10 em 34 jogos, mas não o despedir tem grandes vantagens:

  • Não levarmos, sequer, com a hipótese de termos de novo o autointitulado “mestre da tática”
  • Ficar evidente que o Frederico Varandas, que se apresentou como “sabendo tudo acerca de futebol”, afinal não percebe assim tanto, ao ter aprovado um treinador como Peseiro.
  • Acabar-se de vez com o mito Peseiro, que foi por azar que não ganhamos em 2005. Vejam quantas derrotas tiveram os rivais nesse ano e digam se acham que é repetível.
  • Acabar-se com o mito que Sousa Cintra salvou o Sporting, e relembrar que foi ele que despediu Bobby Robson num avião e contratou Peseiro.

Vai ser mau, vai, mas, por todas as razões acima é que esta é uma crónica de apoio a Peseiro.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

MÚSICA PARA OS MEUS OUVIDOS

Começo esta crónica por dar os parabéns à equipa de futebol sénior do SCP. Conquistou ontem uma vitória difícil e suada, num jogo muito pouco atractivo, mas que trouxe da Ucrânia os desejados 3 pontos.

Mas não posso deixar de referir que esta equipa parece uma orquestra onde cada elemento toca no seu tom e no seu tempo. Uma má melodia mas com um final triunfal! E com um maestro que não sabe conduzir os excelentes músicos que tem à disposição.

A música é parte fundamental da vida do comum dos mortais. Sem música, tudo perde graça. Creio que todos temos uma banda sonora de vida. Ou aquela música que marca quando é ouvida. Que relembra momentos, acontecimentos gravados na memória.

A música cura. Liberta. Faz rir ou chorar. Sentir. Pode ser usada, com ou sem letra para exprimir o que vai na alma.

Depois há a «música» para os nossos ouvidos. Ou aquela situação em que sentimos que nos estão a querer «dar música». Creio que o momento que estou a viver no Sporting é um desses. Alguém me quer dar música para «acalmar» os meus ouvidos. Eu até gosto de dançar e tenho um ouvido ecléctico, mas só oiço e danço quando me agrada.

E perguntam vocês: «porque raio vem a KukaGR com esta conversa?»… Pois bem meus caros, porque a sensação que tenho é que este Novo Sporting só me está a dar música. E daquela que me recorda as semanas académicas ou os bailes da aldeia: pimba.

No caso da saída da Raquel Sampaio, a melodia está completamente fora do tom. Porquê? Porque não se entende o seu afastamento. Fiquei chocada, com a quantidade de boatos que surgiram nas redes e nos círculos mais próximos, depois da notícia da sua saída começar a circular.

Desde processos disciplinares a zangas constantes com o treinador, li de tudo. Só acho estranho, todos este problemas terem começado exactamente agora, quando a Raquel esteve 3 anos no Sporting, e depois de ter efectuado o excelente trabalho que está à vista de todos.

De referir que li primeiro no Facebook, depois no Twitter, mais tarde nos jornais e até agora… O «sistema de som» do Sporting continua em mute, sem qualquer justificação para o afastamento… Facto consumado, desejo que o Filipe Vedor tenha um bom DJ set para continuar a obra feita.

img_6135

Quando penso nos últimos, três meses, percebo que a má música já vem daí, e portanto, ter tido tanta dificuldade em «dançar» ao som do meu Clube. Desde os processos kafkianos, golpes palacianos, «Juntas de Salvação» que só ajudaram a «enterrar», tudo nestes últimos tempos me soa a música de péssima qualidade.

Reparem no caso de Sousa Cintra. O homem, cuja amizade com o presidente arguido é reconhecida pelo próprio, agora é testemunha abonatória no processo dos rivais.

Cintra já veio dizer que não aprovou a situação e que não tem nada a ver com a mesma e que desconhece o motivo pelo qual ter sido arrolado, como pode ler aqui. Ok, até posso admitir que foi arrolado e não teve escolha. Mas porque raio se lembrariam de arrolar Cintra como testemunha?  Que terá ele de abonatório para dizer em relação a este caso? Aqui a música que me querem dar, só me faz tremer, não dançar.

Continuo com a sensação que falta um bom compositor no meu Sporting. Até agora, na minha opinião, Varandas ainda não soube encontrar a afinação do clube. Nem conseguiu que tocasse a música adequada. Pelas últimas atitudes, não me parece que tenha «queda» para as grandes obras, apesar de durante a campanha se ter afirmado como o mais preparado. Só passou um mês. Estou ainda à espera dos primeiros acordes…

Tudo isto só me faz ter saudades de ouvir um bom DJ, daqueles que sabe «ler» a pista ou passar o som adequado consoante a hora do programa da rádio que estamos a ouvir. Resumindo: daqueles bons, que sabe o que faz. Alguém conhece algum?…

SÓ SEI QUE NADA SEI

A propósito da minha última crónica, a mesma foi agraciada com um comentário de um leitor atento e assíduo, que simpaticamente, entre outras coisas, me mandou «arranjar um trabalho, porque de Sporting» não percebo nada».

Sou forçada a concordar com tão informado leitor. De facto, deste Sporting, eu não sei nem entendo nada. E passo a explicar porquê.

Não entendo, como de um momento para o outro, a transparência deixou de fazer sentido, a quem, noutros tempos não tão longínquos assim, era uma exigência absoluta.

Não entendo porque não saiu a convocatória da Assembleia Geral no Jornal do Sporting, tal como obrigam os estatutos. Então não são os estatutos a espinha dorsal do clube? O incumprimento dos estatutos não dá direito a destituição?… Pelas minhas contas, seria a 20/9 que teria de constar a convocatória da AG de aprovação das contas do Clube, do exercício 2017/2018. Mas lá está, se calhar, sou mesmo eu que não percebo nada disto.

Também tive algumas dificuldades em entender a comunicação à CMVM dos movimentos de mercado da janela deste verão, com os devidos encargos. Já deu para ver que alguns negócios não têm pé nem cabeça. Para mim claro, que não sei nada disto. Não vi os novos contratos e/ou condições dos jogadores que rescindiram e depois voltaram. Não consegui vislumbrar as cláusulas dos empréstimos internacionais. Informação incompleta, que gera dúvidas. Mas se antigamente se falava demais, hoje o silêncio impera.

Impera, mas não para todos. Tema fracturante da semana: a conferência de imprensa de José Peseiro. Para alguns, foi perfeitamente normal Peseiro vir a público fazer questão de dizer que «o Nani teve um comportamento inadequado e reprovável». Para mim, não é normal que um treinador venha falar desta forma, daquele que é o capitão da equipa. Principalmente num dia em que estala a polémica sobre o assunto «Jonas/Rui Vitória» e a saga das contas pirateadas. No dia seguinte ao rival empatar um jogo.

Então voltamos a virar o foco para nós? Onde andam os defensores de que estas coisas se tratam internamente?…Não seria tão fácil ao treinador responder «Estes assuntos são do foro interno e assim serão tratados»?

Será que estou esquecida, ou ainda há bem pouco tempo, este tipo de atitudes eram severamente condenadas por meio mundo Sportinguista? Se Nani pediu desculpa, como foi referido, qual a necessidade de voltar a falar do assunto? Se foi castigado com multa (como se leu) e não foi convocado (como se viu), porquê alimentar a questão? Qual o objectivo?

Voltando aos silêncios e sim, sei que já falei sobre isto. Continuo à espera que o presidente do meu Clube venha contar tudo o que sabe sobre o campeonato 2015/2016, a fim de repor a verdade desportiva, tal como prometido em campanha. Isto não é importante saber? Não estão interessados?!

Para terminar, um silêncio incompreensível que durou mais de 24 horas: o jogador do Sporting Rafael Barbosa foi agredido pelo presidente da SAD do clube algarvio. As palavras que surgem em defesa do nosso jogador são escritas em comunicado lançado domingo, às 23h. Uma situação grave como esta merecia condenação imediata do presidente, em horário nobre.

Mais uma atitude, no meio de tantas outras que não consigo entender. Antigamente falava-se demais? Pois agora simplesmente não se abre a boca. Nada como jogar pelo seguro e seguir o velho ditado popular: mais vale manter a boca fechada.

Desta forma não entra mosca nem sai o que não deve. Creio que a estratégia, neste momento, deve passar mais pela segunda hipótese, uma vez que a oralidade não é, de facto, um ponto a favor do actual presidente.

Mas devo ser só eu a estranhar, que só sei que nada sei, deste novo Sporting.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén