Categoria: Liga

SOU DO TEMPO EM QUE VÁRIOS TEMPOS ATRAVESSARAM O MEU TEMPO!

Eu sou do tempo, recente, em que éramos feitos de silêncios nos cafés, do tempo em que não víamos as crianças equipadas à Sporting irem para a escola. Em que poucos adeptos viam as modalidades porque se dispersavam por pavilhões, muitas vezes, com poucas condições e distantes de Alvalade.

As coisas foram mudando…

Vi, nos últimos anos, nos cafés, mais Sportinguistas do que nunca com orgulho de serem do Clube, vi, também, com regularidade, muitas crianças vestirem as camisolas do Sporting. Vi muitas vezes o estádio cheio e uma vibração que não consigo traduzir por palavras.

Uma vez, pelo menos uma, lembro-me bem, no programa Juízo Final, que já não existe, dei um cartão verde aos Sócios e Adeptos do meu Clube com um reparo: para seremos campeões, primeiro, é preciso os adeptos terem mentalidade de campeão!

Expliquei a minha teoria que consistia por defendermos o nosso Clube e quem o representava, em todas as circunstâncias e em todos os lugares, cafés inclusive. Teríamos que, primeiro, ser campeões na exigência e no compromisso com o Sporting defendendo-o como se defende um filho. Ajudá-lo a crescer. Para depois sim, estarmos preparados para essa condição que há tantos anos almejamos sem sucesso.

Senti-me perto, muito perto, de ver o Sporting campeão, mas, estranhamente e por explicar, acabou por perder o campeonato para o Benfica.

Senti que, talvez fruto do entusiasmo de algo nunca vivido, estávamos no rumo certo e que chegaríamos lá. Fiquei na expectativa que também a justiça desportiva explicasse e corrigisse, se fosse caso disso, o que errado e ilegal tivesse acontecido nesse campeonato.

Hoje tenho a consciência ou a convicção que nessa época foi traçado um longo futuro que agora se cumpre em pleno. Agarrados ao ego e aos bons costumes voltamos ao progressivamente aos velhos tempos dos silêncios e da chacota em que os Sportinguistas vão desaparecendo porque não acreditam na Justiça, seja desportiva ou civil, vão perdendo a força e deixam morrer devagar a chama que outrora tiveram.

Há, agora, um Hitlerismo no Sporting, que quer aprimorar a raça de Leão, que quer criar um elitismo e um hábito de festa como se o futebol não fosse um desporto do e para o povo.

Filtram, pelo aumento do custo para os Sócios, que querem apoiar o Clube abrindo um fosso entre quem quer e quem pode.

Chamaram a isto #UnirOSporting!

Preferem os Adeptos com poder para assistirem ao espectáculo, os bem comportados, os chamados de bem, os que sem criticar pagam a sua ajuda, mas, em momento algum, fazem ruído ou manifestam sem medos o que pensam. O momento é de paz, usam a frase como uma senha e um slogan como se fossem regressados de uma guerra sem igual.

Não que a guerra não tenha acontecido. Aconteceu. Mas foi uma guerra de mentes perversas, já o disse, apenas afectou o Sporting. Beneficiando outros clubes e alguns personagens da nossa praça e não só…

Eu sou do tempo do nada, do quase e do agora.

Agora, com a bandeira de uma Taça que nada valia e de outra que deveria ter sido ganha no ano anterior, vemos jogadores dados, vemos negócios prejudiciais e outras coisas que ninguém ousa falar porque há um único alvo a abater.   

E estamos perto de duas AG´s para UNIR O SPORTING.

Ninguém explica as saídas gratuitas dos atletas, os gastos abusivos, a nova comunicação do Clube e os silêncios que se parecem com aqueles dos tempos dos cafés…

Como ninguém explicará, quando voltarmos ao passado, como ali chegamos!

Eu sou do tempo em que vários tempos atravessaram o meu tempo…

UMA SEMANA LONGA ATÉ SÁBADO

O CLÁSSICO DO DRAGÃO

A final da taça começou a jogar-se no Dragão. O Sporting afastado das contas do título e o Porto com a consciência de que o Benfica não perderia a oportunidade de sagrar-se campeão, todas as baterias apontaram para o jogo no Jamor.

Durante todo o jogo houve, na minha opinião, uma tentativa estratégica e premeditada de, no Dragão, expulsar Bruno Fernandes, Acuña e Renan da final da Taça de Portugal.

Depois foi ver a impunidade aos jogadores, dirigentes e staff técnico do anfitrião. Filipe e Militão não foram expulsos no Dragão. Borja não teve as mesmas atenções…

E aquela última cena em pleno relvado, com a entrada da PSP, fez-me relembrar outros tempos áureos d´um Porto que podia tudo.

Veja as imagens aqui: https://www.record.pt/multimedia/videos/detalhe/novas-imagens-mostram-que-sergio-conceicao-atingiu-renan

O APÓS CLÁSSICO

Muitas análises foram feitas e, mais uma vez, as atenções recaíram na arbitragem de Fábio Veríssimo (depois de LFV e de Setúbal), em especial, na ausência do VAR.

Sérgio Conceição, mais uma vez, no centro das atenções não pelas melhores razões e até há quem diga que está de saída do clube.

O Conselho de Disciplina da FPF abriu um processo disciplinar a Sérgio Conceição na sequência dos incidentes entre o técnico portista e Renan no último FC Porto-Sporting, da última jornada do campeonato nacional. Para “inglês ver” porque, na prática, não dará em nada…

O COMENTADOR QUE DESCONHECE A REALIDADE DO CLUBE

Depois é vermos nas televisões quem defenda o Sporting e nem saiba o nome dos jogadores, no caso, o de Ristovski e tenha que ser auxiliado por parceiro rival de painel. E até era algo que trazia estudado de casa, imaginem se tudo fosse inesperado…

Nas semanas longas tudo pode acontecer…  

A RENOVAÇÃO DE MATHIEU

LEÕES OFICIALIZAM RENOVAÇÃO DE MATHIEU

Na terça-feira surge a melhor notícia, Jérémy Mathieu fica mais um ano. Um jogador que com a sua entrega e experiência faz a diferença no plantel. Sem dúvida uma boa opção que reúne consensos.

O EPISÓDIO INESPERADO

Numa acção da GNR de Alcochete Wendel é detido por conduzir sem carta para o efeito em Portugal, ou seja, o jogador surpreende e tudo isso é aproveitado pela CS.

O Sporting não tem o poder de evitar tais episódios e muito menos o poder de reduzir os efeitos!

Numa semana longa até à final.

OS MEUS DESEJOS PARA A FINAL

Primeiro que tudo a vitória do Sporting CP.

Depois a expulsão de Filipe. Uma época inteira com vários motivos para que tal acontecesse e nunca aconteceu.

Ganhar a Taça para dedicar ao Sérgio Conceição, ainda indisposto com a final perdida pelo SC Braga e pela recente perda do campeonato nacional.

Veja aqui: https://desporto.sapo.pt/futebol/taca-de-portugal/artigos/sergio-conceicao-fomos-superiores-em-tudo#vhs-PlG7NZNbCNA4YtufKEnc

E claro, o que essa vitória proporcionaria. Além de gostar muito de rever o sorriso gozão de Medina ao ter que receber, outra vez, uma comitiva do Sporting na CML.

A PERCEPÇÃO  

Aconteça o que acontecer no Jamor a divisão dos Sportinguistas, infelizmente, vai continuar após a final da taça.

Uns a defenderem a melhor época que a anterior (caso o Sporting vença a taça) e a fazerem um balanço muito positivo, como dizem, depois de tudo o que aconteceu…

Outros a ripostarem esta e toda a argumentação que possa ser usada.

NOTA FINAL

A semana desportiva é efectivamente das mais longas. Quase interminável. Quer por tudo o que do exterior ao Sporting foi feito e continua a ser tentado, quer por toda a instabilidade vivida dentro do Clube. A época 2018/19 a terminar… Até sábado no Jamor!

Saudações Leoninas

E AGORA FRED?

O Campeonato futebol sénior masculino acabou finalmente. Ficámos, segundo alguns consócios, num “glorioso” terceiro lugar, honrosamente à frente o SC Braga e a 13 PONTOS do vencedor, o SLB.

Claro que ainda falta disputar a Final da Taça de Portugal que teriamos toda a obrigação de ganhar, mesmo sendo contra o FC Porto, e escrevo teriamos porque se a explicação para o lugar na Liga foi a invasão de Alcochete, creio que o mesmo critério terá de ser aplicado a esta Final!

É claro que a “desculpa” da Academia é só mesmo isso! Parece que a seguir a esse acontecimento, não tivemos uma Comissão de Gestão, comandada pelo “amego” Sousa Cintra que, com a conivência de todos os candidatos às eleições de 8 de Setembro, meteu a mão na organização desta época, tendo inclusive despedido um treinador contratado para por lá o Josepe Zero (Querem maior atentado que este?)!

E que a actuação do Cintra não se resumiu ao treinador… Também tomou algumas opções no mínimo estranhas na construção da equipa, que nos deram um desvio negativo de 17 milhões de Euros… Fico à espera (sentado) da auditoria forense a este periodo do Sporting Clube de Portugal.

Mas não… A narrativa mantêm as culpas em Alcochete! Somente Alcochete (e o Bruno claro!!!!) é responsável pela miserável (ou pela muito razoável e louvável, segundo alguns) prestação da equipa este ano. Não fomos campeões por causa de Alcochete …

A boa notícia é que esta época já acabou! E a que começa já não vai ter Alcochete no seu início, a não ser como centro de treinos da equipa de futebol.

Finalmente a total responsabilidade da gestão da Equipa cairá sobre esta Direcção. Acabou o ano zero que, ao contrário do que preconizava Varandas numa entrevista à Sporting TV, não foi nada “fácil fácil”.

Esperemos que a visão do Presidente tenha melhorado bastante neste final de época e que a próxima nos traga o título máximo do futebol sénior em Portugal e em Maio de 2020 estejamos a festejar no Alvalade XXI (O Marquês precisa de ser desinfectado com criolina) e no PJR.

A margem de manobra reduziu-se e muito e já não haverá desculpas para as “azelhices” cometidas este ano!

Permitam-me que envie um recado em discurso directo para o Presidente do Sporting Clube de Portugal: Agora é a doer Frederico Nuno e com ou sem investimento, poupanças ou não na folha de salários, com jogadores pernetas, vesgos ou super estrelas, no próximo ano a responsabilidade é TOTALMENTE tua! E nós temos de ser campeões para o ano!

Por isso Frederico “put your best game on” porque acabou-se a brincadeira e as desculpas! Se disseste que eras o candidato melhor preparado para gerir o futebol, pelo teu vasto conhecimento e tempo junto ao plantel, agora está na hora de fazeres jus às tuas palavras!

Uma nota final Frederico. A luta pela verdade desportiva não se faz com palavras de circunstancia, no final de um qualquer jogo! Essa luta faz-se com acções concretas de alteração das politicas em vigor, de pressão e influência sobre os Orgãos Judiciais e do Poder Central. Esta luta é muito mais política do que tu possas imaginar e portanto, rodeia-te de pessoas que te possam auxiliar nesse sentido.

Haveria muito para dizer sobre a forma de evitar que os árbitros nos prejudiquem… Mas tu não és, seguramente, a pessoa certa para falar sobre estes assuntos.

Uma nota final Frederico, em jeito de conselho… Por favor pede a alguém que te ajude com a diccção… Um Presidente do Sporting tem de falar em público e tu, quando o fazes, soas como um prego a arranhar uma ardósia. Por muito interessante que a tua mensagem seja…

Saudações Leoninas.

TIBÉRIO O GENERAL DE ROMA

Não vou aqui contar a história do Imperador Tibério, um dos maiores generais do Roma. Vou antes recuperar pequenos episódios desta semana do reino do desporto português e em especial do SCP para pensarmos se realmente “isto anda tudo ligado”?

 SETÚBAL E AS ENCOMENDAS

O Vitória de Setúbal perdeu com o Boavista e o árbitro Fábio Veríssimo foi o centro das atenções por expulsar 3 jogadores da equipa da casa. Confesso que, para mim, foram bem expulsos e neste caso o árbitro será o menos culpado. Mas vamos por partes:

  • Tentativa de invasão com um adepto a entrar no relvado[veja aqui]
  • Declarações inusitadas do Treinador Sandro em resposta à jornalista sobre o que se passou no relvado.
  • Declarações graves do Presidente do Clube Sadino Vítor Hugo Valente

A pergunta é: O que mudou no futebol português após o afastamento do grande prevaricador?

NO DRAGÃO HOUVE FOGO CUSPIDO PELAS CLAQUES

Um jogador agrediu um adepto. Os ânimos estiveram quentes. Mosquitos por cordas. E o futebol português continua sob a alçada da violência. Que impacto teve este episódio? E já agora porque voltaram a associar o Caso-Alcochete a este?

BRUNO FERNANDES PERDE PARA JOÃO FÉLIX 

Capa Record 8maio19

Parece não ser suficiente para alguma Comunicação Social (sempre o grupinho habitual) a toda a campanha que BF está a fazer nos relvados.

  • Melhor jogador da Liga Portuguesa (outra vez)
  • Homem do jogo por 10 vezes
  • Recorde mundial de um médio com 31 golos (para já)

E o que os jornais destacam?

JF no record.jpeg

Dir-me-ão que são opcções editoriais…

ABEL DE SAÍDA DO BRAGA

Não vou aqui recordar o rol de episódios deste treinador e a dualidade de critério, abordagem e reacções nos jogos que a sua equipa fez contra o Sporting e contra o Benfica.

Abel de saída do braga

A questão que lhe deixo, ao próprio, é se valeu a pena?

O futuro dirá que sim ou não, veremos onde se irá encaixar na próxima época…

O FUTEBOL FEMININO DO SPORTING CP

Acaba de perder, pela 1.ª vez, o campeonato nacional e para o S. C. Braga. E é com saudade da Raquel Sampaio e do seu grandioso trabalho no SCP – Futebol Feminino que trago as suas palavras:

Raquel Sampaio

A pergunta é: Vão desinvestir no futebol feminino do Sporting CP?

MODALIDADES LEONINAS PERDEM REFERÊNCIAS

Esta semana tem sido bombástica na perda de algumas referências do Sporting CP.

Espero que o actual presidente do Clube tenha mão nisto tudo. Trago-vos, como imagem de marca, as luvas do Patrício (ainda não está tudo resolvido com os jogadores que rescindiram com o Clube) para que possa agarrar melhor a barra!

Nomes como: Hugo Silva – treinador de Voleibol que fez do Sporting campeão nacional no ano do regresso da modalidade.

HUGO SILVA

João Simões (Voleibol) e fala-se já em Miguel Maia.

Nuno Paiva – Treinador de Karaté

NUNO PAIVA.jpg

João Pinto – Hóquei em Patins

Retive as palavras de Hugo Silva: “Quem sabe um dia cruze novamente com o Sporting forte e ambicioso que conheci“.

Dá que pensar…

Se juntarmos alguns dados adicionais, como por exemplo, o caso ainda por julgar de Alcochete e o seu empolamento para o terrorismo, as claques não organizadas que podem tudo sem consequências, os comentadores nas TV´s adidos aos clube rival que marcam a agenda dos jornais (tem paciência MA) ou mais uma lição de como se ganha um campeonato em Portugal leva-me a deixar algumas questões:

  1. Quem beneficia disto tudo?
  2. Quem paga?
  3. E a pergunta de 1 MILHÃO: QUEM É O TIBÉRIO PORTUGUÊS?

Dá que pensar… Outra vez a pensar?

E o que isto tudo, esta salada de episódios e de clubes, têm em comum?

Essa resposta fica para o tempo dar…

Boa sorte para o Hóquei em Patins do Sporting CP e contem com o meu apoio!

Saudações Leoninas

SUIGENERIS O SPORTING EM TAKES

Introdução:

Ontem estive em Alvalade para assistir ao jogo em que o Sporting CP venceu e convenceu o SC Braga por um expressivo 3-0 e tão bem soube, não só pela vitória, mas, essencialmente pelo jogo jogado. Mas fui um atento observador (também observado) do que aconteceu num todo e vou expressá-lo, aqui e agora, mais do que vi, o que realmente senti.

300000

TAKE 1

Um grande jogo merece uma grande assistência! Ponto. Não aconteceu, estiveram em Alvalade 27.673 espectadores o que é realmente sintomático e nos remete para uns tempos atrás onde os ventos eram assustadores e o futuro incerto com adeptos resignados ou incrédulos. Cada vez mais estamos próximos desses tempos indesejáveis. Muito próximos que, a maioria, continua sem uma profunda consciência.

TAKE 2

As claques, mais uma vez, iniciaram o seu apoio ao minuto 12. São o 12.º jogador. Reivindicam coisas que com as quais posso concordar e que, na maioria, já defendi em tempos idos. As tarjas são uma boa ferramenta para passarem as suas mensagens. E a de Fredy Montero: “SEMPRE…LEÃO… OBRIGADO” foi bonita de ver. E para Nani? O capitão da formação do Sporting, o Sportinguista que regressou à sua casa pela segunda vez não merecia mais consideração e respeito? Talvez as claques tenham as suas razões, mas, não só não entendi como não gostei!

TAKE 3

Foi bonito observar a felicidade dos Adeptos e Sócios que vibravam felizes com a exibição e os golos que construíram a justa vitória. Olhava-os e pensava: A falta de exigência dos Adeptos é uma constância que dá os seus frutos sem cor e sem sabor. Estamos atrás do Braga, temos jogado mal e é vê-los sem memória, felizes a viver o momento, como se tudo isso fosse natural ou como se o Sporting tivesse sido campeão várias vezes nos últimos 25 anos como o Abel perguntou. Já vive outra cultura de exigência que vai morrendo lentamente e se refecte dentro das quatro linhas.

TAKE 4

Onde andou esta equipa do Sporting nos últimos jogos? Ou, por coincidência, foi preciso saírem Montero e Nani para tudo mudar? Não que o Sporting fosse obrigado a ganhar todos os jogos por 3-0 mas a atitude e compromisso (são os mesmos jogadores) deveria ter estado sempre lá e não esteve! Porquê? O que aconteceu? O que mudou? Responda quem souber que não sei estas respostas…

Conclusão:

Há um Sporting diferente e, na minha perspectiva, não é para melhor. Uma classificação assustadora e exibições deprimentes têm sido o apanágio deste Sporting 18/19. E não venham com lamechas de verão que os gelados – esses sim são usuais no verão – não se comem com a testa. E assalta-me diariamente a memória de 2012. A mudança constante de treinador ao meio das épocas, as debilidades em campo e a ausência de títulos nacionais. Se é verdade que o Sporting não foi campeão, não há como refutar sem factual, também é verdade que já esteve mais próximo de sê-lo do que está ou estará, provavelmente, nos próximos anos. Mas, como ontem vi, os Adeptos estavam felizes e felizmente ninguém se aleijou. Haja saúde!

Saudações Leoninas

 

DEPOIS DA LAMBRETA DE ELISEU A MOTA DE JOSÉ

Antes da Mota e depois da lambreta há um Keizer. E com ele umas quantas estreias sempre evocadas para criar um género de pressão. Resultado fixa-se no algarismo 4. Vale o que vale, mas é factual. Qual será a próxima estreia a merecer destaque para pressionar?

Desta feita era a estreia em Alvalade. Coisa medonha. E, para ajudar o festim, aos 18´já o Desportivo das Aves vencia o Sporting CP por 0-1 a relembrar o jogo da final da Taça de Portugal.

Golo indefensível. Como ao minuto 40´o defesa do D. Aves fez uma grande penalidade escusada, até parva e inesperada, mas, de facto, grande penalidade e com o VAR era impossível deixar passar. Bas Dos fez o empate e começou o festim de Mota.

Expulsão imediata por comportamento inadmissível e abusivo, completamente descontrolado, de um treinador com vasta experiência no futebol português.

Se há coisa que não compreendo é como é que um treinador expulso vai à conferência de imprensa, isto, porque, o critério é variável, uns vão e outros não. José Mota foi!

E qual Santo António, José Mota começa a dar um valente sermão, não aos peixes, mas aos que assistiam àquela conferência.

Os momentos de Eliseu e Mota são antagónicos pela essência e razão. Mas, talvez, esta analogia sirva para delimitar uma era que foi vencedora e que acabou. Estarão a pensar nas aves, melhor, na águia Vitória, mas podem também pensar nas Aves do Desportivo e concluir que aquela vitória da Taça jamais voltará a acontecer.

O Eliseu desapareceu misteriosamente. Ninguém sabe o que aconteceu e ninguém parece ter reparado. É normal. Um jogador do rival tem sempre um manto protector a cobrir todos os ângulos que impede de ver cada lance ou cada caso com a natural realidade das coisas.

Mas o que faria um José tão desnorteado para ser expulso?

O que terá o efeito de chegar à conferência para ter aquela postura demorada e teatralizada com uma justificação surreal de aplausos aos seus jogadores muito para além da zona técnica. E insistentemente. E depois de sofrer um empate por erro crasso do seu jogador?

A Mota do José fará esquecer a lambereta do Eliseu. Não o Eliseu que gosta de andar de lambereta e desapareceu para parte incerta.

Se acham que há alguma ligação entre ambos casos, o desaparecimento e o sermão ao peixes, perguntem ao Santo António que anda sempre escondido e só aparece de vez em quando, à noite, quando uma luz se insinua.

O futebol português tem coisas giras! E mistérios por descobrir…

O FUTEBOL PORTUGUÊS ESTÁ A PERDER ADEPTOS

O alarme está feito! Repetidas imensas vezes. É preciso transparência e rigor. É preciso mudar o que continua mal.

São muitos anos de casos, de desconfianças e de provas constantes que acabam por dissiparem-se no tempo e no espaço.

Podíamos particularizar por clubes e depressa chegaríamos aos três grandes. Todos diferentes, mas todos significativos para o futebol português.

O caso “apito dourado” manchou a imagem do FC Porto nos finais do século XX. Outros tempos, outras ferramentas com resultados que acabaram por ficar na história.

Já neste século XXI temos vários casos que implicam o SL Benfica. E aqui há para todos os gostos, em diferenciação e em qualidade, que ganham dimensão com os casos dos emails e da e-toupeira que ainda correm na Justiça. Aconteça o que acontecer a marca Benfica estará sempre penalizada e o futebol português a perder…

No Sporting existiu aquele caso da Madeira, onde PPC foi julgado e condenado, que manchou o próprio Clube. Depois teve um Presidente que começou a mexer no futebol português, a denunciar os Voucher´s e a lutar pelo VAR e todos sabemos o que aconteceu. Já não está no Sporting nem no futebol português.

E não é só na Liga principal. Na 2.ª Liga Portuguesa também há coisas curiosas…

Serve tudo isto para introduzir mais um episódio, caricato ou não, que reflecte o actual estado do negócio futebol português. E digo negócio propositadamente por ser um dos maiores da sociedade portuguesa, se não, o maior por tudo o que envolve e mexe, indirecta e directamente!

As capas dos desportivos de hoje nada mencionam. Não sei se há algum pacto para não dar visibilidade a alguns episódios que mancham o futebol português, mas que, por norma, não são difundidos não são!

Tudo aconteceu na manhã de ontem no jogo da 2.ª Liga entre Estoril-Praia e o Varzim com um empate já nos descontos e que golo mas veja aqui:

Depois há a revolta dos jogadores, treinadores e dirigentes que, muitas vezes, levam à violência entre os adeptos.

Nuno Capucho fez as declarações em directo para o canal Sport Tv, única maneira de não calar a sua revolta.

“A análise que faço é que este futebol português é uma vergonha. É a única coisa que tenho a dizer às pessoas. Desta maneira, como as coisas estão, é impossível as pessoas virem ao futebol. Parece que está tudo feito, tudo controlado e parece que já definiram as equipas que vão subir. É assim que os clubes querem o futebol português? Este futebol é uma vergonha! Interprete por onde quiser, o futebol português é uma vergonha!”

Sabemos todos, por diversas experiências, que se não fosse em directo não teria difusão. Que não é por acaso que os jornais – e todos eles (onde andam a CM e CMTV?) não deram destaque a este episódio.

Sabemos que o treinador vai ser exemplarmente punido!

Sabemos que os Órgãos como a FPF, a LPFP, Conselho de Arbitragem ou os vários Sindicatos estarão, mais um vez, calados. Nem Ministros nem outras entidades do país dirão uma palavra que seja…

E tudo isto leva a descredibilizar o futebol português e a afastar os adeptos.

Até ao dia em que o futebol será um produto exclusivo da televisão e os jogos tenham meia-dúzia de adeptos para fingir que é um espectáculo ao vivo e a cores…

Triste futebol português cá na nossa terra!

 

 

LET THE GAMES BEGIN!

No domingo, o Sporting Clube de Portugal começa a sua participação na Liga 18/19 em Moreira de Cónegos, contra o Moreirense.

Não posso dizer que estou confiante, desde logo porque o treinador, José Peseiro, não me inspira grande confiança, não só pelo que fez no passado no meu clube, mas por tudo o que fez, num passado mais recente, no Porto e no Braga.Sporting_Clube_da_Praia

Numa altura em que o balneário precisava de um treinador com pulso e visão, o Cintra escolhe este! Sim, porque foi efectivamente escolhido por ele, e como tal ele é totalmente responsável pelo trabalho desenvolvido por este “treinador”. Só para lembrar que Bruno de Carvalho quando foi destituido já tinha um treinador, o Siniša Mihajlović, que era uma verdadeira incógnita face àquilo que conseguiria fazer. Ao passo que o Peseiro é uma CERTEZA! É isto que se chama um treinador com provas dadas…

Também a equipa tem muito que se lhe diga. Em primeiro, andámos a beijar os pés aos que rescindiram e depois voltaram! É uma vergonha ver o Clube vergado a estes “meninos”! Em segundo, as saídas do Geraldes e Palhinha cheiram a limpeza de Balneário, para não haver conflictos com os “meninos”! Temos um Battaglia sem substituto! Voltamos a ter só o Bas Dost na frente! Com a contratação do Nani, o Raphinha parece que vai para suplente! Não temos lateral esquerdo de raiz, mas o Peseiro prefere por o Acuña a jogar a médio!!!! E deixar o Matheus Pereira no banco.

E agora eu pergunto… Quando for preciso dizer não a um jogador ou tirá-lo do jogo como se vai fazer isso? Além de termos pasado o tempo todo a defender a vontade dos meninos e a dizer-lhes que eles eram tão importantes para nós que nada mais interessava, temos também um treinador que tem mãos de manteiga no balneário, como prova o famoso episódio com o Jogador Rochemback em 2004, quando este, num FC Porto – Sporting ao ser substituido, mandou o Peseiro ir toma no …

Apesar disto tudo temos GANHAR! E O SPORTING VAI JOGAR E EU FICAR… LOUCO DA CABEÇA… NADA ME INTERESSA!!

Vá lá todos a gritar: SPORTINGGGGGGGGGGGGG

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén