Categoria: Desporto Page 1 of 2

PALAVRA DE HONRA

Se pedissem para definir o homem Frederico Varandas diria que é alguém de palavra de honra!

Cumpridor das suas [não] promessas, visionário das suas ideias e é alguém que tem, imagine-se, como seu maior inimigo a contradição. As palavras não são o seu forte, só por si, mas, esta coisa de gravarem o que diz não o tem ajudado nada!

Vejamos, em vídeo, alguns episódios de Frederico Varandas:

JOSÉ PESEIRO

O treinador certo que acabou despedido por Frederico
Varandas

AS MODALIDADES


Frederico Varandas critica as modalidades do SCP

SPORTING TV


A Falácia da Liberdade – Episódio 1

SPORTING LIVRE


A Falácia da Liberdade – Episódio 2

SPORTING CAMPEÃO

Frederico Varandas acreditou e acredita que fará o SCP campeão

A MAIORIA DA SAD

A [não] venda da SAD do SCP por Frederico Varandas

RECORDE DE VENDA DAS GAMEBOX


VARANDAS AVISA: “ESTAMOS A BATER RECORDES NO MERCHANDISING, BATEMOS NA VENDA DE GAMEBOX E MUITOS OUTROS VÃO CAIR”

A EXPULSÃO DE BRUNO DE CARVALHO

A tal PENA DE MORTE

Depois de vermos os vídeos não temos dúvidas que estamos perante um homem de palavra de honra, pessoa de bem e ideal para liderar o grandioso SCP ou será que alguém tem dúvidas?

Para onde caminhamos Sporting CP?

Louve-se o homem que não quis a pena de morte, o mesmo que quis uma Sporting TV com comentadores com direito à sua própria opinião e um Clube livre!

É Frederico Varandas o presidente do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

Todos os episódios relatados nesta crónica são reais, por isso, recordo as suas palavras que resumem tudo isto:

Frederico Varandas garante que acabou o tempo de o Sporting ser um “circo” e alvo de “chacota”

Sobre Frederico Varandas, palavra de honra, nunca mais quero escrever…

Saudações Leoninas

EIS O NOVO SCP DO MITO

Criámos a ilusão de uma possível reversão no actual estado do SCP e nunca percebemos que a caminhada estava a chegar ao fim…

Os mitos foram chegando e de braço dado com os chavões foram adornando as mentes e criando novas realidades paralelas. Nunca em vão!

E eis que chegamos ao ponto de ver um SCP que tem um PMAG que não cumpre os Estatutos, o Regulamento das AG´s porque a sua interpretação é contrária ao que é aplicável e assume-o, primeiro na última AG e depois na televisão. Brilhante!

Voltemos aos mitos. Criou-se, depois da famosa campanha televisiva e “jornaleira” o mito do “velhotes” que dominavam as AG´s e que era preciso 1 Sócio/ 1 Voto. A alicerçar essa teoria foi fundamental a divulgação da últimas eleições com João Benedito a ganhar nos Sócios mas a perder nos votos. Repito: Não foi em vão! Nunca nada é em vão!

Na mais recente AG fiquei com a ideia que a votação chumbaria o Orçamento, mas, mais uma vez, depois de uma cena de diversão (grave) e com a AG suspensa há uma contagem e um resultado inequívoco!

O novo mito implementado é ainda mais surreal. Querem passar a ideia que são os Sócios que vão decidir a expulsão de BdC e Alexandre Godinho, quando, alegadamente, tudo já está arrumado e resolvido. Mas, para que não existam percalços, ainda usam estratagemas para reforçar o destino final e falo-vos do Jornal Sporting e da abertura das urnas de voto sem que os visados sejam ouvidos, coisa já testada e com sucesso num passado recente.

A verdade é que os Sócios não têm a palavra, servem apenas para pagar as quotas e vão caindo um a um com expulsões e até já há quem defenda que uns tais Leais devem de ser expulsos do Clube, cumprindo assim, o ADN de elite que muitos sonharam para o SCP. Pode ser tudo menos um Clube do povo!

Estamos a caminhar para o fim. Obviamente que os expulsos vão ver a sua sentença confirmada pelos Sócios e a paz nunca mais existirá nem com a bandeira de #UnirOSporting. Mitos urbanos. Falácia rural, perdão, plural.

Sábado, se não for barrado sem motivo aparente, lá estarei na AG para ver com os meus próprios olhos a teatralidade, a ousadia e a arrogância do poder instalado no SCP que continuo a achar que é mais um mito ao dizer-se que foi eleito democraticamente pelos Sócios. Eu, por tudo o que já vi, tenho muitíssimas dúvidas.

Um Clube que não respeita quem o defendeu, quem o destacou e que deu resultados positivos só pode estar subvertido, refém ou sem saúde mental. Vale o que vale e até pode ser por outra razão, no caso, financeira, mas, então, não falem ao coração dos Adeptos e dos Sócios com esse paralelo, constante e cerrado ataque ao seu passado!

Tudo vai morrendo lentamente até que a verdadeira história seja um dia contada ou, talvez, nunca chegue ao conhecimento público. E como dizem no desporto-rei, o futebol é momento… Sabemos que a memória se vai apagando em cada um de nós e essa é uma preciosa ajuda.

Até sábado e para terminar digo-vos o seguinte: Até prova em contrário, ainda estou para perceber porque chegamos aqui, como deixamos e quem tem interesse nisto tudo. O SCP não será e eu também não!

Temos um novo SCP do mito!

Saudações Leoninas

TIBÉRIO O GENERAL DE ROMA

Não vou aqui contar a história do Imperador Tibério, um dos maiores generais do Roma. Vou antes recuperar pequenos episódios desta semana do reino do desporto português e em especial do SCP para pensarmos se realmente “isto anda tudo ligado”?

 SETÚBAL E AS ENCOMENDAS

O Vitória de Setúbal perdeu com o Boavista e o árbitro Fábio Veríssimo foi o centro das atenções por expulsar 3 jogadores da equipa da casa. Confesso que, para mim, foram bem expulsos e neste caso o árbitro será o menos culpado. Mas vamos por partes:

  • Tentativa de invasão com um adepto a entrar no relvado[veja aqui]
  • Declarações inusitadas do Treinador Sandro em resposta à jornalista sobre o que se passou no relvado.
  • Declarações graves do Presidente do Clube Sadino Vítor Hugo Valente

A pergunta é: O que mudou no futebol português após o afastamento do grande prevaricador?

NO DRAGÃO HOUVE FOGO CUSPIDO PELAS CLAQUES

Um jogador agrediu um adepto. Os ânimos estiveram quentes. Mosquitos por cordas. E o futebol português continua sob a alçada da violência. Que impacto teve este episódio? E já agora porque voltaram a associar o Caso-Alcochete a este?

BRUNO FERNANDES PERDE PARA JOÃO FÉLIX 

Capa Record 8maio19

Parece não ser suficiente para alguma Comunicação Social (sempre o grupinho habitual) a toda a campanha que BF está a fazer nos relvados.

  • Melhor jogador da Liga Portuguesa (outra vez)
  • Homem do jogo por 10 vezes
  • Recorde mundial de um médio com 31 golos (para já)

E o que os jornais destacam?

JF no record.jpeg

Dir-me-ão que são opcções editoriais…

ABEL DE SAÍDA DO BRAGA

Não vou aqui recordar o rol de episódios deste treinador e a dualidade de critério, abordagem e reacções nos jogos que a sua equipa fez contra o Sporting e contra o Benfica.

Abel de saída do braga

A questão que lhe deixo, ao próprio, é se valeu a pena?

O futuro dirá que sim ou não, veremos onde se irá encaixar na próxima época…

O FUTEBOL FEMININO DO SPORTING CP

Acaba de perder, pela 1.ª vez, o campeonato nacional e para o S. C. Braga. E é com saudade da Raquel Sampaio e do seu grandioso trabalho no SCP – Futebol Feminino que trago as suas palavras:

Raquel Sampaio

A pergunta é: Vão desinvestir no futebol feminino do Sporting CP?

MODALIDADES LEONINAS PERDEM REFERÊNCIAS

Esta semana tem sido bombástica na perda de algumas referências do Sporting CP.

Espero que o actual presidente do Clube tenha mão nisto tudo. Trago-vos, como imagem de marca, as luvas do Patrício (ainda não está tudo resolvido com os jogadores que rescindiram com o Clube) para que possa agarrar melhor a barra!

Nomes como: Hugo Silva – treinador de Voleibol que fez do Sporting campeão nacional no ano do regresso da modalidade.

HUGO SILVA

João Simões (Voleibol) e fala-se já em Miguel Maia.

Nuno Paiva – Treinador de Karaté

NUNO PAIVA.jpg

João Pinto – Hóquei em Patins

Retive as palavras de Hugo Silva: “Quem sabe um dia cruze novamente com o Sporting forte e ambicioso que conheci“.

Dá que pensar…

Se juntarmos alguns dados adicionais, como por exemplo, o caso ainda por julgar de Alcochete e o seu empolamento para o terrorismo, as claques não organizadas que podem tudo sem consequências, os comentadores nas TV´s adidos aos clube rival que marcam a agenda dos jornais (tem paciência MA) ou mais uma lição de como se ganha um campeonato em Portugal leva-me a deixar algumas questões:

  1. Quem beneficia disto tudo?
  2. Quem paga?
  3. E a pergunta de 1 MILHÃO: QUEM É O TIBÉRIO PORTUGUÊS?

Dá que pensar… Outra vez a pensar?

E o que isto tudo, esta salada de episódios e de clubes, têm em comum?

Essa resposta fica para o tempo dar…

Boa sorte para o Hóquei em Patins do Sporting CP e contem com o meu apoio!

Saudações Leoninas

A GENIALIDADE DA INCOMPREENSÃO E ACEITAÇÃO

INTRODUÇÃO

Aplica-se o “efeito Escher” ao mundo actual que vivemos no Sporting onde o fenómeno mais vigente é, comparativamente à cultura desbravada na pintura de Escher, a da ilusão óptica. Há genialidade, muita incompreensão – ainda nos dias que correm – e pior, com alguma aceitação.

O EFEITO ESCHER NO MEU OLHAR LEONINO OU A GENIALIDADE DA INCOMPREENSÃO E ACEITAÇÃO

Escadaria Escheriana – é a melhor definição que encontro para o actual Sporting, sé é que me entendem… Mostro-vos o vídeo para quem desconhece esta realidade.

Traduzindo emocionalmente a minha visão da escadaria Escheriana, em mim e aplicada ao mundo Sporting, daria qualquer coisa próxima deste sentimento:

Tenho saudades do meu Sporting. Visito, a espaços, o Pavilhão João Rocha, – vi o Voleibol e o Futsal, e foi ali, naquele pavilhão especial, que aprendi a amar mais o Hóquei em Patins e a redescobrir uma acentuada paixão pelo Andebol – e, também, sem a frequência que estava habituado, vou indo ao Estádio ver, cada vez menos, a equipa principal de futebol. Deixei de acompanhar a formação e, infelizmente, o futebol feminino que tanto gostava. As saudades são imensas. A desmotivação também.

Perdi, a permeio, a emoção de outrora. Perdi, também, aquela ânsia que crescia desmesuradamente com o aproximar dos jogos. E, confesso-vos, que sinto um estranho medo misturado na saudade de perder o apetite emocional que sempre nutri pelo Clube do meu coração. Estou apático. Esta apatia talvez seja uma defesa ou uma consequência por ter vivido intensamente o Sporting, por tê-lo feito de peito aberto defendendo as minhas convicções, por vezes, mais fortes do que eu.

Sinto uma estranha genialidade pela incompreensão que se agarra, tristemente, à aceitação, e ambas, de braço dado, ancoram-se no mais profundo de mim, como um contra-senso ou algo que não consigo traduzir em palavras por ser mais que uma  inadequada e cena incompreensível, por tornar-se numa aceitação resignada.

A genialidade não abunda, em paralelo, a incompreensão é prematura e estéril. Já a aceitação vai sendo diluída pelo tempo e, lentamente, morro em cada dia que se despede dos meus olhos. Mais que uma morte poética, que existe, há uma morte real devoradora que assalta – o termo é o mais apropriado – a minha memória e resvala na saudade. Mas, estamos vivos!

Todas a lutas morreram. Estão sepultadas, também elas, na mesma memória estéril que nem para museu serve.

Todas as conquistam perderam-se no tempo e talvez algumas sejam salvas para um dos museus do Sporting. Talvez enquanto existirem pessoas que amem o Clube com a mesma intensidade de sempre, com ou sem mágoa, mas com o mesmo verdadeiro amor.

Até esta profunda tristeza em mim tem a genialidade da incompreensão e aceitação. Paradoxos à parte. A vida é mesmo assim. Feita de ciclos até que a morte determine um fim. Mas morrer e continuar vivo – desportivamente falando – é uma inércia tortuosa que machuca e agita emoções. Dói e corrói. Tortura quem sobrevive as intempéries da vida.

Não há Cultura que nos salve. Borram a pintura e a música tem uma mensagem em busca de um inusitado salvamento. A tristeza abunda. O perigo é real. Morreremos todos num ápice cultural, mas, antes, a minha mensagem fica para a posterioridade.

E num quase grito de desespero digo:

“Diga algo, estou desistindo… Diga alguma coisa.”

Say Something

TV PARA TOTÓS, ACÉFALOS E FANÁTICOS

Nota prévia: Se está enquadrado num destes três estados por favor não leia mais porque terá dificuldade em entender, aceitar e reconhecer-se!

Passo um: deixe de ler. Passo dois: saia deste texto. Passo três: regresse de imediato aos habituais canais televisivos disponíveis.

Esclarecimento necessário: Não vejo Tv, mas para esta crónica recorri as redes sociais onde existem vários pequenos vídeos exemplificativos. Nada tenho contra os comentadores desportivos ou pivôs que ganham a vida com este trabalho, mas tenho pena de quem consome este produto final. Muita pena!

Episódio referência: O golo anulado ao Moreirense contra o Benfica e a questão sobre se a bola entrou ou não na baliza do clube encarnado.

TV PARA TOTÓS, ACÉFALOS E FANÁTICOS

Primeiro é preciso ver as imagens e ouvir bem cada comentário que é dito sobre o mesmo lance para entender este fenómeno paranormal da realidade actual da televisão portuguesa e daqueles comentadores desportivos, presumo que bem pagos, para desempenharem um papel de manipulação das mentes distorcendo a realidade visível a qualquer um. É, de facto, uma obra de arte incrível. Há comentadores de bom senso – poucos – que não se prestam a esses serviços encomendados.

Não é golo mal anulado nenhum, a bola não entra na baliza! … Por favor olhem com atenção para este vídeo e vejam a bola a bater num placard de uma instituição financeira que ali até ao fundo e a vir para trás da baliza” – Vasco Mendonça – in SIC Notícias

Mas o pior estava guardado para outro canal televisivo que até transmite jogos do seu clube.

E se associarmos os diversos jornais diários a esta panóplia de instrumentalização e manipulação global tudo fica mais assustador!

Há muitos milhões envolvidos. E de várias proveniências. Há muitos interesses escondidos e para uma sociedade feliz e estupidificada é preciso que ganhem sempre os mesmos. A luta do poder.

É preciso que a televisão consiga distrair o povo e alimente as suas conversas de café. Não dá para mais. Não querem mais. Não pode ser mais. Um lindo povo de totós, acéfalos e fanáticos é o cenário perfeito para que tudo o resto aconteça e passe despercebido. Coitado do Rui Pinto que teve a inteligência e ousadia de contrariar esta realidade. Coitado do outro que foi desmascarado e apanhado com a “boca na botija” ao fim de tantos e tantos anos e até vimos – isto era no tempo em que via televisão – alguns comentadores a defender a sua condição e apetência religiosa. Um crente, certamente, dos mais fervorosos do mundo Tuga!

Fico afastado de consciência tranquila. Nunca recebi nenhum dinheiro para comentar nem para escrever sobre o desporto ou sobre os clubes as suas artimanhas, mas combati o sistema enquanto tive essa oportunidade, um combate com ética, directo e feroz! Os resultados todos sabem. Eram tempos de mudança, de acabar com o que se construía e que tiraria o poder ao actual estado, mas ninguém percebeu o que estava em causa e deixaram morrer um combate necessário e ousado. O mundo não vive de ousadias…

Hoje é tão deplorável que deixei de ter estômago, jogo de cintura e flexibilidade mental para ver a televisão portuguesa. Digo-vos que foi uma decisão feliz. Defendi a minha sanidade mental, ocupei-me com outras coisas mais importantes e deixei de aturar totós, acéfalos e fanáticos, que os há, diga-se, em todos os clubes.

Estar longe da Star Wars para totós é tão saudável e satisfatório. Repito: Não tenho nada contra quem ganha a vida a desempenhar este papel da manipulação global de mentes inócuas. Bem pagos, como espero, fazem pela vida! Eu não seria capaz de fazê-lo, mas, por isso, não julgo os que o fazem.

Tenho pena dos totós, acéfalos e fanáticos embora saiba que estão convictos da sua razão e que estarão cobertos de sapiência, talvez até alguma cultura (desportiva?) e outros predicados inexplicáveis.

Se uma sociedade com poder quer e constrói um povo assim, quem sou eu para impedir?

Termino que a conexão obrigatória para os mais desatentos: foi por aqui, por este caminho de manipulação das mentes que iniciou a destruição do meu Clube. Foi por aqui meus caros, por aqui e ninguém quis perceber até que já era tarde demais…

O mundo agora é dos totós, acéfalos e fanáticos que vivem dependentes de alimentação diária para a mentes obtusas e nas mãos de uns quantos. Mas vivem felizes, quero eu acreditar!

Sejam felizes!

DEPOIS DA LAMBRETA DE ELISEU A MOTA DE JOSÉ

Antes da Mota e depois da lambreta há um Keizer. E com ele umas quantas estreias sempre evocadas para criar um género de pressão. Resultado fixa-se no algarismo 4. Vale o que vale, mas é factual. Qual será a próxima estreia a merecer destaque para pressionar?

Desta feita era a estreia em Alvalade. Coisa medonha. E, para ajudar o festim, aos 18´já o Desportivo das Aves vencia o Sporting CP por 0-1 a relembrar o jogo da final da Taça de Portugal.

Golo indefensível. Como ao minuto 40´o defesa do D. Aves fez uma grande penalidade escusada, até parva e inesperada, mas, de facto, grande penalidade e com o VAR era impossível deixar passar. Bas Dos fez o empate e começou o festim de Mota.

Expulsão imediata por comportamento inadmissível e abusivo, completamente descontrolado, de um treinador com vasta experiência no futebol português.

Se há coisa que não compreendo é como é que um treinador expulso vai à conferência de imprensa, isto, porque, o critério é variável, uns vão e outros não. José Mota foi!

E qual Santo António, José Mota começa a dar um valente sermão, não aos peixes, mas aos que assistiam àquela conferência.

Os momentos de Eliseu e Mota são antagónicos pela essência e razão. Mas, talvez, esta analogia sirva para delimitar uma era que foi vencedora e que acabou. Estarão a pensar nas aves, melhor, na águia Vitória, mas podem também pensar nas Aves do Desportivo e concluir que aquela vitória da Taça jamais voltará a acontecer.

O Eliseu desapareceu misteriosamente. Ninguém sabe o que aconteceu e ninguém parece ter reparado. É normal. Um jogador do rival tem sempre um manto protector a cobrir todos os ângulos que impede de ver cada lance ou cada caso com a natural realidade das coisas.

Mas o que faria um José tão desnorteado para ser expulso?

O que terá o efeito de chegar à conferência para ter aquela postura demorada e teatralizada com uma justificação surreal de aplausos aos seus jogadores muito para além da zona técnica. E insistentemente. E depois de sofrer um empate por erro crasso do seu jogador?

A Mota do José fará esquecer a lambereta do Eliseu. Não o Eliseu que gosta de andar de lambereta e desapareceu para parte incerta.

Se acham que há alguma ligação entre ambos casos, o desaparecimento e o sermão ao peixes, perguntem ao Santo António que anda sempre escondido e só aparece de vez em quando, à noite, quando uma luz se insinua.

O futebol português tem coisas giras! E mistérios por descobrir…

PASSADO, PRESENTE E FUTURO

«Pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro»

Heródoto

Passado

Muito já se falou da AG30N, no entanto tenho de deixar aqui algumas notas que considero relevantes:

-Pouco mais de 500 sócios presentes. Esperava mais, com todos os apelos à mobilização que foram feitos.

-Mais uma vez, a CS a fazer «das suas» e a focar-se em meias verdades: mostra imagens que são filmadas durante segundos no início da AG como se fossem de insultos à Mesa e a Varandas, quando na verdade a indignação é contra eles… Refere tensão e violência dos apoiantes de BdC quando o único episódio mais «quente» foi provocado por um confesso apoiante deste CD que aliás, foi expulso da AG (já tinha a sua missão encomendada cumprida).

-Assobios não são desacatos. Assobios são uma forma de manifestação (neste caso de desagrado, muito desagrado). Vejo por aí alguma (muita) indignação por causa de assobios e «bocas» que foram ditas durante a AG. Não vejo a mesma indignação por parte das mesmas pessoas, com as reacções dos apoiantes deste CD quando é anunciado o resultado da votação do Orçamento. Ver só para um lado tem destas coisas.

-Acho uma falta de respeito permitir a votação quando as pessoas ainda estão a falar. Mais: as pessoas estão a intervir sobre o ReC e está a votar-se o Orçamento. Não é correcto. Devem abrir-se os pontos e fechar os pontos: discussão, votação, anuncio dos resultados.

-A não leitura e votação da acta da AG23J: como é possível uma coisa destas? Sabendo o que se sabe agora que a acta não está assinada, faltam folhas e não tem discriminado os números de votos a favor e contra, se calhar percebe-se porquê. É no mínimo curioso que o Código Civil não sirva para umas coisas, mas se utilize para outras, quando convém. Neste caso para a justificação da não aprovação de uma acta pelos sócios pois já foi certificada por um notário.

-O resultado da AG: aprovados os dois pontos com 56 e 83% dos votos, respectivamente. Não me surpreende. O Relatório e Contas só tinha de ser aprovado. O Orçamento (quase cópia de orçamentos passados) não me choca que o tenha sido também. Reprovar só porque sim, não pensado no bem do Clube não me parece sensato. De resto, os números falam por si.

Presente

-Se na altura da sua vinda, confessei as minhas dúvidas em relação ao treinador Keizer, neste momento tenho de mostrar o meu agrado. Claro que fazer melhor do que Pé0 não é nada difícil… No entanto, fica a nota de que, pelo menos este treinador entende a equipa e parece ter muito para mostrar.

-Nota para todas as notícias que têm saído na CS sobre os interrogatórios a BdC, Nuno Mendes (Mustafá) e Fernando Barata «Mendes» (Naná). Li por aí numa rede social a adaptação de um ditado engraçada: «Mais depressa se apanha uma Cofina que um coxo».

Numa clara alusão às notícias truncadas que vão saindo naquele que é o órgão de CS que mais tem contribuído para arrastar o nome do SCP na lama. Pelo que se tem visto, a verdade é mesmo como o azeite e pouco a pouco, vem ao de cima. O levantamento do segredo de justiça tem ajudado mais do que aquilo que se pensava, para que essa mesma verdade seja conhecida.

Futuro

Dia 15 temos nova AG. Desta vez a um sábado e pelo que foi anunciado por Rogério Alves, no pavilhão João Rocha. Lá estarei para votar favoravelmente os recursos apresentados por todos os suspensos e pelos dois expulsos. Todo este processo foi uma vergonha e nada, mas nada transparente. É preciso que se reflicta muito bem sobre o que esta AG significa e o precedente que poderá abrir caso a votação seja noutro sentido. Falo do melhor CD que este clube já teve nos últimos anos. É uma questão de justiça, verdade e transparência.

Por tudo isto, não podemos faltar dia 15. Espero nada menos que uma participação massiva dos sócios calma, ordeira, sem incidentes. O nosso protesto, a nossa vontade e o nosso querer é mostrado nas urnas. Só aí é que conta. Tudo o resto não passa de ruído que depois é utilizado por uma CS que não olha a meios para atingir fins.

Vamos ser mais fortes e inteligentes do que isso. E vamos mostrar afinal, de que raça somos feitos: daquela que não basta dizer que se é mas que prova que o é: Leal.

SEJA O QUE DEUS KEISER…

A derrota na taça da liga foi a gota de água. Findo o encontro com o Estoril, o desagrado vindo das bancadas foi audível e notório, insatisfação essa que já vinha desde o jogo em Portimão.

Peseiro nunca foi consensual no Sporting. O treinador apelidado de «PéZero» ou «Pé Frio» nas redes sociais, nunca reuniu a maioria dos apoios como treinador do Sporting.

Não vale a pena estar aqui descortinar as razões para tal, pois já foram mais do que debatidas na Comunicação Social. O que é estranho é essa mesma CS não referir (ou pouco mencionar), que esta foi a escolha pessoal do amigo Sousa Cintra na sua passagem pela Comissão de Gestão do Sporting. E mais: o Próprio Cintra assumiu: “Não se pode agradar a todos, uns querem estrangeiro… Foi a minha decisão, se as coisas correrem mal assumo essa despesa». (notícia completa aqui).

Ora bem, ficamos então à espera que Cintra já tenha o dinheirinho preparado. Quanto ao Peseiro, na minha humilde opinião, já vai tarde e nunca devia ter vindo!

Com Peseiro fora, Tiago Fernandes assume o comando provisório e começam os nomes a sair na CS. Desde o dia 1 de Novembro, já foram «confirmados» ou «avançados no Sporting: Paulo Sousa, Miguel Cardoso, Cesare Prandelli, Peter Bosz, Jorge Sampaoli, Leonardo Jardim e agora, parece que o nome final é Marcel Keizer.

«Quem?» foi a pergunta que mais li ao ser anunciado como certo. Embora Varandas não tenha revelado ainda o nome, afirmando que apesar de já estar escolhido o novo treinador «não posso revelar porque ainda tem de rescindir o contrato com o clube em que está agora em funções».

Coincidência ou não, o treinador de que todos falam agora (mais uma vez) como forte possibilidade no Sporting está no mesmo clube onde trabalha o médico contratado para vir em Janeiro para o SCP: João Pedro Araújo, o Al-Jazira. Mais, segundo alguma CS, sempre bem informada, foi o médico a fazer a ponte entre o treinador e a direcção do SCP. É o chamado «2 em 1», portanto.

Segundo li na imprensa, Keiser formou-se nas escolas do Ajax. Gosta de jogar 4x3x3 e no CV conta com… zero títulos. A CS, bem informada como sempre, desta vez pela voz Pedro Sousa, no seu espaço habitual na TV, adianta que o treinador custará 530 mil euros (custo da indemnização ao clube árabe) e que supostamente vai assinar por duas épocas, com um salário de perto de 700 mil euros/ano.

O sentimento geral é: que venha! Sem treinador é que não podemos ficar. Mais eis que, o que a imprensa mais uma vez, dava como 99% certo, afinal não é assim tão certo. Depois de avançarem que o Al-Jazira exige uma indemnização pela saída do treinador, o próprio Marcel afirma aos jornalistas que recebeu um convite dos Leões mas que «ainda não recebi a oferta formal”. (Aqui).

Estranho, é A CS já saber os detalhes do contrato do suposto novo treinador, antes do próprio! Há proposta? Não há proposta? Arrependeram-se? Marcel não aceitou e quer outras condições?

Portanto: a CS dá Marcel como certo, vamos pesquisar quem é o homem, lá nos convencemos que é ele (apesar do CV pouco empolgante), o clube onde trabalha faz braço de ferro, Marcel diz que apenas tem uma proposta verbal… e, 6 dias depois, estamos na mesma à deriva, nas águas da CS, como de costume.

Eu não queria o PéZero. Mas despedir o treinador (de madrugada, de manhã, a mando de outros ou pelo próprio presidente) sem ter uma opção?… Não digo imediata, mas passados 6 dias ainda andamos nisto?!

Veremos o que acontece. Eu quero é um treinador e um Sporting vencedor. Até lá, seja o que Deus Keiser!

A “MINHA” SPORTING TV ERA ASSIM

Nota prévia:

Sou uma pessoa grata por ter tido a oportunidade de ter estado na Sporting Tv. Foram fantásticos tempos entre 2016 a 2018. E um dia espero voltar. Sei que vou voltar!

Esta crónica serve de homenagem a todos os que tanto ajudaram neste meu caminho e é também uma saudosa recordação dos tempos de luta e felicidade que naquela grande casa passei com toda a intensidade!

Não encontrem aqui qualquer intenção de comparação ou de crítica.

A LITERATURA NAS CONVERSAS NA LUA

Criar este programa de raiz foi um desafio empolgante. Valeu a pena. Tive a honrosa oportunidade que nem todos têm. Conversar com o grande Senhor da Comunicação Portuguesa: Fernando Correia

VIRAR A PÁGINA

Foi o programa que fez com que entrasse na Sporting Tv. Não conhecia ninguém e estava ali para ajudar o Canal do meu Clube de forma graciosa e dedicada. Aconteceram bons momentos.

COMENTADOR DESPORTIVO DA SPORTING TV

Mais tarde, mais precisamente em janeiro de 2017, iniciei os comentários desportivos.

Nota de Esclarecimento:

Fui sempre um comentador que não recebi dinheiro para trabalhar para o Clube, que tudo fiz por amor ao Sporting e que muitas vezes fui acusado, em especial nas redes sociais, de ser um funcionário ou ser pago para ali estar. Pura mentira! Fica o esclarecimento e o ponto final sobre o tema. 

Foi bom estar a defender os nossos atletas e a denunciar os acontecimentos nacionais. Deixo-vos pequenos exemplos:

Juízo Final de 23 de março de 2017 – O alerta para os falsos benefícios dados ao Sporting:

Ou ainda no Juízo Final de 3 de julho de 2017 a questão dos Observadores e Delegados aos jogos:

Mas há mais! No mesmo programa abordei as influências do Benfica, sem medos e sem tabus, a expor sobre o Conselho de Disciplina e FPF.

Eram lutas de causas. E em 9 de julho de 2017 também no Juízo Final falei dos emails ou do agora conhecido caso como “e-toupeira” ainda a decorrer na Justiça portuguesa.

Apenas e só alguns exemplos do que eram os meus saudosos tempos de luta.

Agora tudo é diferente e existe uma nova grelha conforme pode ver aqui.

Tudo passa, tudo muda.

Fiz comentários em directo, em vários programas, desde jogos de futebol aos debates:

Grande Jornal – Sporting 19:06 – Bom Dia Sporting – Boa Tarde Sporting – Pós Jogo – Futsal entre tantos outros, mas, fica aqui uma revelação:

De todos o que mais gostava de estar era o JORNAL SPORTING

AJORNALSPORTING.jpg

Por estar com os atletas, treinadores e dirigentes que representam o Sporting. E são todos esses momentos vividos naquela casa que guardo. Que agradeço.

Uma palavra de gratidão para todos os espectadores Leoninos que sempre deram o seu apoio nos encontros casuais no Estádio, no Pavilhão ou em qualquer parte. Obrigado por compreenderem e apoiarem.

Eternamente Sportinguista, eternamente grato!

Estamos em casa!

aaaaem casa

A “minha” SPORTING TV era assim…

SAUDAÇÕES LEONINAS

CRÓNICA DO PROCESSO DE BENFIQUIZAÇÃO EM CURSO

“O que garanto é que defenderei o Sporting. E isso significa, muitas vezes, estar calado” Varandas, Frederico – 13-10-2018

A política sempre tentou colar-se ao desporto e em particular ao futebol, mas a verdade é que era um fenómeno mais de autarcas de pequenas localidades, que tentavam tirar dividendos políticos nas suas terras. Isto foi assim até ao dia em que nas legislativas de 2002 um presidente de um clube – Manuel Vilarinho –  apelou ao voto num partido (PSD), enquanto presidente desse clube e não enquanto cidadão, com a liberdade de opinião que todos temos. Não tardou a vir o “pagamento” do apoio a esse partido, fosse para a construção do estádio, fosse aceitando ações da SAD, que não estava cotada, como dação em pagamento de dívidas fiscais que a atirariam para os escalões secundários.

Não demorou muito até que o presidente seguinte desse mesmo clube – Luís Filipe Vieira – fosse buscar João Gabriel para diretor de comunicação. João Gabriel que vinha também da política, onde foi assessor de Jorge Sampaio. A João Gabriel sucedeu Luís Bernardo, que vinha também da política, onde foi assessor de José Sócrates, e por lá se mantém.

Algumas táticas que estávamos habituados a ver só na política, como as campanhas negativas contra os adversários, o “deixar” as notícias saírem por um órgão de comunicação social escolhido e privilegiado (TVI, Abola) começaram a ser cada vez mais evidentes no desporto.

Mas também é verdade que, ao mesmo tempo que os diretores de comunicação foram ganhando protagonismo, foram retirando da “linha da frente” o presidente Luís Filipe Vieira, até pela falta de competências comunicacionais que esse presidente apresenta.

Curiosamente, ou talvez não, atualmente no Sporting está-se a dar uma benfiquização, pois para além de a comunicação estar a ser dirigida por uma renomada empresa de comunicação, a LPM, habituada a diversas campanhas políticas, também temos um presidente com fracas competências comunicacionais.

A chamada “pescadinha de rabo na boca” vai acontecer, ou seja, quanto mais protegem Frederico Varandas da exposição pública, menos treinado para enfrentar os jornalistas e os Sportinguistas estará, e como não treina, mais os seus assessores de comunicação se sentirão tentados a “protege-lo”.

No entanto, há situações em que Frederico Varandas tem mesmo de falar, faz parte do seu trabalho. Mas, veja-se o quão infelizes foram as suas declarações à saída de uma reunião da Liga. Declarações essas de alguém que fala em #Unir: “Há muitas pessoas que estão habituadas ao Sporting ser um circo, um produto televisivo de chacota, mas esse tempo acabou. Será também uma tristeza para alguns, mas o empréstimo obrigacionista é uma realidade e o refinanciamento será feito em novembro, como prometido.”

Quem são as “muitas pessoas”? Quem ficará numa “tristeza” pelo empréstimo obrigacionista ser feito? Eram para José Maria Ricciardi estas palavras? Eram para os Sportinguistas em geral?

Erro básico da comunicação, palavras vagas, sem destinatário, descontextualizadas do local e do assunto que o levou ali.

Frederico Varandas falou, mas nada disse, continuando calado em relação ao ataque feito pelo rival aos blogs Mister do Café e O Artista do Dia. O New York Times fala do assunto aqui, mas o presidente do Sporting cala-se? Expliquem-me de que forma é que Frederico Varandas estando calado, está a defender os bloggers leoninos, pergunto eu?

NYTimes.jpg

Assim, quando Frederico Varandas diz que “defenderei o Sporting. E isso significa, muitas vezes, estar calado”, mais não está a fazer do que esconder um seu ponto fraco, pois estando calado não defende o Sporting, nem os Sportinguistas, em nada.

Em minha opinião, Frederico Varandas ao estar calado, apenas se está a defender a si próprio da opinião pública, e principalmente dos Sportinguistas, e de estes verem o óbvio. No caso de Frederico Varandas, estar calado não é estratégia, mas sim uma necessidade, tal como no rival já viram isso há muitos anos, e é por isso que o Sporting está num processo de benfiquização em curso.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

Page 1 of 2

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén