Categoria: Contas

PALAVRA DE HONRA

Se pedissem para definir o homem Frederico Varandas diria que é alguém de palavra de honra!

Cumpridor das suas [não] promessas, visionário das suas ideias e é alguém que tem, imagine-se, como seu maior inimigo a contradição. As palavras não são o seu forte, só por si, mas, esta coisa de gravarem o que diz não o tem ajudado nada!

Vejamos, em vídeo, alguns episódios de Frederico Varandas:

JOSÉ PESEIRO

O treinador certo que acabou despedido por Frederico
Varandas

AS MODALIDADES


Frederico Varandas critica as modalidades do SCP

SPORTING TV


A Falácia da Liberdade – Episódio 1

SPORTING LIVRE


A Falácia da Liberdade – Episódio 2

SPORTING CAMPEÃO

Frederico Varandas acreditou e acredita que fará o SCP campeão

A MAIORIA DA SAD

A [não] venda da SAD do SCP por Frederico Varandas

RECORDE DE VENDA DAS GAMEBOX


VARANDAS AVISA: “ESTAMOS A BATER RECORDES NO MERCHANDISING, BATEMOS NA VENDA DE GAMEBOX E MUITOS OUTROS VÃO CAIR”

A EXPULSÃO DE BRUNO DE CARVALHO

A tal PENA DE MORTE

Depois de vermos os vídeos não temos dúvidas que estamos perante um homem de palavra de honra, pessoa de bem e ideal para liderar o grandioso SCP ou será que alguém tem dúvidas?

Para onde caminhamos Sporting CP?

Louve-se o homem que não quis a pena de morte, o mesmo que quis uma Sporting TV com comentadores com direito à sua própria opinião e um Clube livre!

É Frederico Varandas o presidente do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

Todos os episódios relatados nesta crónica são reais, por isso, recordo as suas palavras que resumem tudo isto:

Frederico Varandas garante que acabou o tempo de o Sporting ser um “circo” e alvo de “chacota”

Sobre Frederico Varandas, palavra de honra, nunca mais quero escrever…

Saudações Leoninas

EIS O NOVO SCP DO MITO

Criámos a ilusão de uma possível reversão no actual estado do SCP e nunca percebemos que a caminhada estava a chegar ao fim…

Os mitos foram chegando e de braço dado com os chavões foram adornando as mentes e criando novas realidades paralelas. Nunca em vão!

E eis que chegamos ao ponto de ver um SCP que tem um PMAG que não cumpre os Estatutos, o Regulamento das AG´s porque a sua interpretação é contrária ao que é aplicável e assume-o, primeiro na última AG e depois na televisão. Brilhante!

Voltemos aos mitos. Criou-se, depois da famosa campanha televisiva e “jornaleira” o mito do “velhotes” que dominavam as AG´s e que era preciso 1 Sócio/ 1 Voto. A alicerçar essa teoria foi fundamental a divulgação da últimas eleições com João Benedito a ganhar nos Sócios mas a perder nos votos. Repito: Não foi em vão! Nunca nada é em vão!

Na mais recente AG fiquei com a ideia que a votação chumbaria o Orçamento, mas, mais uma vez, depois de uma cena de diversão (grave) e com a AG suspensa há uma contagem e um resultado inequívoco!

O novo mito implementado é ainda mais surreal. Querem passar a ideia que são os Sócios que vão decidir a expulsão de BdC e Alexandre Godinho, quando, alegadamente, tudo já está arrumado e resolvido. Mas, para que não existam percalços, ainda usam estratagemas para reforçar o destino final e falo-vos do Jornal Sporting e da abertura das urnas de voto sem que os visados sejam ouvidos, coisa já testada e com sucesso num passado recente.

A verdade é que os Sócios não têm a palavra, servem apenas para pagar as quotas e vão caindo um a um com expulsões e até já há quem defenda que uns tais Leais devem de ser expulsos do Clube, cumprindo assim, o ADN de elite que muitos sonharam para o SCP. Pode ser tudo menos um Clube do povo!

Estamos a caminhar para o fim. Obviamente que os expulsos vão ver a sua sentença confirmada pelos Sócios e a paz nunca mais existirá nem com a bandeira de #UnirOSporting. Mitos urbanos. Falácia rural, perdão, plural.

Sábado, se não for barrado sem motivo aparente, lá estarei na AG para ver com os meus próprios olhos a teatralidade, a ousadia e a arrogância do poder instalado no SCP que continuo a achar que é mais um mito ao dizer-se que foi eleito democraticamente pelos Sócios. Eu, por tudo o que já vi, tenho muitíssimas dúvidas.

Um Clube que não respeita quem o defendeu, quem o destacou e que deu resultados positivos só pode estar subvertido, refém ou sem saúde mental. Vale o que vale e até pode ser por outra razão, no caso, financeira, mas, então, não falem ao coração dos Adeptos e dos Sócios com esse paralelo, constante e cerrado ataque ao seu passado!

Tudo vai morrendo lentamente até que a verdadeira história seja um dia contada ou, talvez, nunca chegue ao conhecimento público. E como dizem no desporto-rei, o futebol é momento… Sabemos que a memória se vai apagando em cada um de nós e essa é uma preciosa ajuda.

Até sábado e para terminar digo-vos o seguinte: Até prova em contrário, ainda estou para perceber porque chegamos aqui, como deixamos e quem tem interesse nisto tudo. O SCP não será e eu também não!

Temos um novo SCP do mito!

Saudações Leoninas

COMUNICAÇÃO DOGMÁTICA

Hoje vou dispensar as imagens ilustrativas por respeito aos Leitores deste blogue, pois não os quero ferir mais porque já bastam os atropelos diários em diversos meios.

João Félix é a nova coqueluche para difundir, apoiar e promover, talvez um novo CR7, para comunicação social portuguesa. Grande investimento no miúdo.

São horas a fio nas Tv´s, capas de jornais e páginas intermináveis com, no mínimo, 3 clubes a bater a cláusula de €120M.

Sobre o Sporting CP é de registar a boa imprensa que conseguiu. Frederico Varandas é, finalmente, um presidente do SCP muito bem visto por todos os meios da CS, em especial, dos afectos ao SLB. O que é preocupante, digo eu! Mas ninguém se preocupa com isso…

Faz tudo bem até quando não faz. Diz coisas fantásticas até quando se exprime com dificuldade. O louve-se que até o seu silencio é apreciado quando em vez de defender a Instituição centenária SCP opta por ficar calado. Brilhante exemplo, para uns, não para mim, de uma comunicação de referência. É, aqui também, uma comunicação dogmática!

Depois há o mistério chamado: Tertúlia Sporting 2.0 que dá as notícias sobre o Sporting em primeira mão. Vou, abrir uma excepção no texto para colocar uma imagem para exemplificar:

O mais recente exemplo de comunicação da Tertúlia Sporting 2.0

Tenho estado a reparar, para espanto meu, que acaba por ser, não sei se a fonte de decisão ou apenas o meio oficial de divulgação, que nos tempos da nova geração de comunicação é a verdadeira fonte de noticias do Clube. Hoje ninguém se importa com nada e os tempos de exigência e transparência foram de férias ou faleceram ali numa esquina qualquer… Talvez seja o que o SCP precise.

Bem sei que o Clube não está órfão do seu papel de comunicar e até dizem que paga bastante para esse desígnio. Decisões de gestão!

A verdade é que os Sócios andam tranquilos, passivos e acomodados! Basta ver o recente Relatório & Contas [R&C] com uma gestão nada comparável com as anteriores e é vermos quem defenda este R&C apresentado. A palavra prejuízo voltou! Só falta celebrar…

Uma justificação para essa defesa até nas redes sociais deve ser o efeito da nova comunicação do Clube, bem paga, mas a actuar em todas as frentes, ao melhor cenário daquele canal de televisão que tão bons resultados já deu! Equipa que ganha não se mexe, diz o povo!

E com a aproximação das duas Assembleias o panorama Leonino promete muitas novidades, bombas de mau cheiro como é usual no Carnaval e uma lavagem cerebral aos que beberam o cálice do ódio. No fundo, nada de novo, ou seja, dividir para reinar que é um método tão antigo como eficaz.

Porque tudo se resolve com uma boa comunicação, em quantidade e em expressão dogmática, eis um sucesso fácil de constatar e de antecipar.

Como muitos defendem, agora sim, estamos no bom caminho, mas o que muitos não querem ver é o seu destino!

Depois não se queixem…

PASSADO, PRESENTE E FUTURO

«Pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro»

Heródoto

Passado

Muito já se falou da AG30N, no entanto tenho de deixar aqui algumas notas que considero relevantes:

-Pouco mais de 500 sócios presentes. Esperava mais, com todos os apelos à mobilização que foram feitos.

-Mais uma vez, a CS a fazer «das suas» e a focar-se em meias verdades: mostra imagens que são filmadas durante segundos no início da AG como se fossem de insultos à Mesa e a Varandas, quando na verdade a indignação é contra eles… Refere tensão e violência dos apoiantes de BdC quando o único episódio mais «quente» foi provocado por um confesso apoiante deste CD que aliás, foi expulso da AG (já tinha a sua missão encomendada cumprida).

-Assobios não são desacatos. Assobios são uma forma de manifestação (neste caso de desagrado, muito desagrado). Vejo por aí alguma (muita) indignação por causa de assobios e «bocas» que foram ditas durante a AG. Não vejo a mesma indignação por parte das mesmas pessoas, com as reacções dos apoiantes deste CD quando é anunciado o resultado da votação do Orçamento. Ver só para um lado tem destas coisas.

-Acho uma falta de respeito permitir a votação quando as pessoas ainda estão a falar. Mais: as pessoas estão a intervir sobre o ReC e está a votar-se o Orçamento. Não é correcto. Devem abrir-se os pontos e fechar os pontos: discussão, votação, anuncio dos resultados.

-A não leitura e votação da acta da AG23J: como é possível uma coisa destas? Sabendo o que se sabe agora que a acta não está assinada, faltam folhas e não tem discriminado os números de votos a favor e contra, se calhar percebe-se porquê. É no mínimo curioso que o Código Civil não sirva para umas coisas, mas se utilize para outras, quando convém. Neste caso para a justificação da não aprovação de uma acta pelos sócios pois já foi certificada por um notário.

-O resultado da AG: aprovados os dois pontos com 56 e 83% dos votos, respectivamente. Não me surpreende. O Relatório e Contas só tinha de ser aprovado. O Orçamento (quase cópia de orçamentos passados) não me choca que o tenha sido também. Reprovar só porque sim, não pensado no bem do Clube não me parece sensato. De resto, os números falam por si.

Presente

-Se na altura da sua vinda, confessei as minhas dúvidas em relação ao treinador Keizer, neste momento tenho de mostrar o meu agrado. Claro que fazer melhor do que Pé0 não é nada difícil… No entanto, fica a nota de que, pelo menos este treinador entende a equipa e parece ter muito para mostrar.

-Nota para todas as notícias que têm saído na CS sobre os interrogatórios a BdC, Nuno Mendes (Mustafá) e Fernando Barata «Mendes» (Naná). Li por aí numa rede social a adaptação de um ditado engraçada: «Mais depressa se apanha uma Cofina que um coxo».

Numa clara alusão às notícias truncadas que vão saindo naquele que é o órgão de CS que mais tem contribuído para arrastar o nome do SCP na lama. Pelo que se tem visto, a verdade é mesmo como o azeite e pouco a pouco, vem ao de cima. O levantamento do segredo de justiça tem ajudado mais do que aquilo que se pensava, para que essa mesma verdade seja conhecida.

Futuro

Dia 15 temos nova AG. Desta vez a um sábado e pelo que foi anunciado por Rogério Alves, no pavilhão João Rocha. Lá estarei para votar favoravelmente os recursos apresentados por todos os suspensos e pelos dois expulsos. Todo este processo foi uma vergonha e nada, mas nada transparente. É preciso que se reflicta muito bem sobre o que esta AG significa e o precedente que poderá abrir caso a votação seja noutro sentido. Falo do melhor CD que este clube já teve nos últimos anos. É uma questão de justiça, verdade e transparência.

Por tudo isto, não podemos faltar dia 15. Espero nada menos que uma participação massiva dos sócios calma, ordeira, sem incidentes. O nosso protesto, a nossa vontade e o nosso querer é mostrado nas urnas. Só aí é que conta. Tudo o resto não passa de ruído que depois é utilizado por uma CS que não olha a meios para atingir fins.

Vamos ser mais fortes e inteligentes do que isso. E vamos mostrar afinal, de que raça somos feitos: daquela que não basta dizer que se é mas que prova que o é: Leal.

CRÓNICA DO NUNCA OUVISTO

“Esta não é uma vitória financeira, é a vitória da união, do compromisso, dos verdadeiros Sportinguistas… desde segunda-feira… tivemos vários… vários sócios a dirigirem-se ao Apoio ao Sócio para terem… terem… dar, doar 100 euros por terem ouvisto o apelo desta direção.”  Varandas, Frederico 23/11/2018

Frederico Varandas encheu o peito de ar. Após dias em que a corda esteve à volta do seu pescoço, respirou fundo e fez mais umas declarações que vão contra o espírito que tanto professa. Diz ele que é da União com o #unir, mas logo distingue os “verdadeiros Sportinguistas” dos “outros”.

E distingue do quê, pergunto eu? O que há para lá dos “verdadeiros Sportinguistas”? Os Sportinguistas? Os “falsos Sportinguistas”? Já não é a primeira vez que Frederico Varandas lança a suspeita, não nomeando a quem se refere, ou a que grupo se refere.

Uma coisa acertou, esta não foi uma vitória financeira. Mas já lá vou.

As dificuldades com que se foi expressando durante a conferência de imprensa não deixam dúvidas que estávamos em presença do atual presidente do Sporting. No entanto, se lhe colocassem uma casca de ovo na cabeça, ao ouvir e ver as suas declarações, após a conclusão da subscrição do Empréstimo Obrigacionista, pensaria estar em presença do Calimero, senão vejamos:

  • Queixou-se de falta de apoio dos bancos na venda;
  • Queixou-se que não teve direito a um empréstimo intercalar como “outros tiveram”;
  • Queixou-se de ter herdado a situação;
  • Queixou-se que só teve 1 mês e meio para lançar o empréstimo obrigacionista;
  • Queixou-se da imprensa que estava a dizer que ele estava a usar os bancos como bode expiatório da falta de sucesso da operação;
  • Queixou-se das notícias acerca do Sporting;
  • Queixou-se de detenções;
  • Queixou-se de processos;
  • Queixou-se de boicotes;
  • Queixou-se de calúnias de falência da SAD;
  • Queixou-se que resolveu o que “outros” não resolveram;

Só faltou mesmo queixar-se que em maio deste ano, o diretor clínico do Sporting, demitiu-se ainda com a época a decorrer, deixando as equipas sem médico, para se lançar numa corrida presidencial, quando havia um presidente em exercício e equipas em competição.

De facto, se esta subscrição tivesse sido um sucesso, como atabalhoadamente tentou fazer passar, não teria estado tanto tempo a queixar-se. Teria, isso sim, celebrado. Mas de facto não há muito a celebrar e as caras durante a dita conferência de imprensa denunciam isso mesmo. (ver imagem principal)

Este foi o primeiro Empréstimo Obrigacionista em que a procura dos títulos ficou abaixo da oferta. A procura foi de 25,9M€ o que correspondeu a 86% da oferta (30M). O total de investidores foi de cerca de 4.100.

historicoEO

Compare-se com os anteriores Empréstimos Obrigacionistas que constam da imagem. Compare-se, principalmente com o anterior, também de 30M€, que teve uma procura que superou a oferta em 257%.

Em 2015 o Sporting não tinha o nível de proveitos que tem atualmente, Portugal saía de uma crise profunda, e mesmo assim os investidores acreditavam no projeto de Clube de forma cabal. Em 2018 com a economia a crescer, como já não crescia há muitos anos, e com um nível de proveitos superior, os investidores demonstraram falta de confiança no projeto e na sua liderança ficando a procura abaixo da oferta, e por isso é que esta é a crónica do nunca ouvisto.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

 

CRÓNICA DE UMA OBRIGAÇÃO

Hoje será o último dia para subscrever as obrigações Sporting SAD 2018-2021. Nunca se falou tanto de um Empréstimo Obrigacionista, parecendo até que é coisa rara e que só o Sporting é que recorre a este instrumento de financiamento “pois está à rasca”, “sem dinheiro” e vai daí tem que fazer estas “coisas esquisitas”.

Nada de mais falacioso. De facto, o Sporting é o Clube que menos recorre a este instrumento de financiamento, como se pode ver pela imagem que retirei deste post d’O Artista do Dia. Embora seja de abril de 2018, dá uma ideia da diferença entre os 3 grandes. Em junho e julho deste ano, quer o rival de Lisboa, quer do rival do Porto, fizeram novas emissões não tendo baixado a exposição a este instrumento.

Evolução dos empréstimos obrigacionistas

E o que é afinal um Empréstimo Obrigacionista, para que serve e porquê recorrer-se a esta fonte de financiamento?

Basicamente uma Entidade, que pode ser uma empresa ou por exemplo o Estado, emite dívida, e alguém individualmente, ou uma instituição financeira ou não financeira – pode ser um fundo de pensões, ou uma empresa que tenha excesso de dinheiro em caixa e queira aplicar esse dinheiro – compra essa dívida. Em troca dessa compra a entidade emissora pagará um juro periodicamente – anual ou semestralmente – e no fim do prazo devolve o capital.

Tipicamente recorre-se a este instrumento para baixar o custo de financiamento, ou seja, o juro que se paga a quem empresta terá que ser menor do que o que se pagaria a um banco, isto caso o banco estivesse disposto a emprestar esse dinheiro. Por outro lado, o investidor compra esta dívida pois é remunerado acima do que um depósito a prazo lhe paga e por isso sente-se atraído para comprar as obrigações.

É pelo juro prometido que a relação da oferta e da procura se dá. Se o juro for considerado atrativo, para o nível de risco, da empresa emitente, por certo haverá muita procura, acima da oferta. Pelo contrário se o juro não for considerado atrativo, dado o risco, a procura situar-se-á abaixo da oferta.

O conceito de risco é muito importante em tudo o que é o mundo financeiro. Portugal tem mais risco que a Alemanha, por isso o estado português paga mais juro que o estado alemão nas suas obrigações do tesouro. Quando o risco é demasiado elevado, então não aparece ninguém para comprar ou aparecem poucos investidores, pois não há juro suficientemente atrativo para tanto risco. No mundo da finança não há cá lugar a sentimentalismos, é o vil metal que conta, e a credibilidade.

Ora, o que tem acontecido nos últimos meses no Sporting? Dias e dias seguidos, mês após mês, de ditos Sportinguistas, a juntarem a sua voz a adeptos e interesses adversários, atacando profundamente a gestão dos últimos 5 anos, arrastando a credibilidade do clube para a lama.

peristecmtv

Numa tentativa desesperada para limpar a imagem que tantos sujaram, temos assistido a diversas entrevistas de Francisco Salgado Zenha e de Miguel Cal, para assegurarem que o “drama e horror” afinal não passam de boatos. Felizmente está a dar resultado e os investidores estão a reagir, tendo ontem sido ultrapassada a barreira mínima e portanto garantida a emissão, mas infeliz e dificilmente, pela primeira vez um empréstimo obrigacionista ficará por subscrever na sua totalidade.

Esta calma e confiança transmitida por Francisco Salgado Zenha não é nada que já não suspeitássemos, pois, todos os números dos exercícios anteriores foram melhorando como podemos ver neste post d’O Artista do Dia, do qual retirei a imagem.

Contas - receitas operacionais

Na ânsia de criticar tudo o que está relacionado com a anterior direção, os tais ditos Sportinguistas que dia após dia, pululam pelos canais de TV, estão na realidade a queimar a credibilidade do Sporting, logo a aumentar o risco percebido pelos investidores, e a “lixar” o Sporting. Mas para esses ditos Sportinguistas, o que interessa é o seu desejo de vingança ser preenchido. Eles querem lá saber do Sporting.

Perante este cenário Frederico Varandas teve que fazer um apelo à moda da “operação coração”, sendo obrigado a deixar a postura institucional, para fazer o apelo emocional aos Sportinguistas para investirem nem que fossem 100 euros. Lá está o “beneficiado de ontem”, com esta fogueira de vaidades e falta de proteção do bom nome do Clube, é o “prejudicado de hoje” e Frederico Varandas vendo a falta de adesão dos investidores às Obrigações, teve que fazer “telefonemas” aos sócios.

Não há quem pare para pensar no que é o bem do Sporting, nem mesmo Frederico Varandas pensou, pois deixou durante tanto tempo os canais de TV queimarem a imagem da anterior direção sem nada dizer, não percebendo que no processo, o Sporting, Clube do qual é o atual presidente, também se lixa. Em último recurso, e já com a corda no pescoço, teve que fazer um apelo, contra o seu estilo, e é por isso que esta é a crónica de uma obrigação.

Nuno Sousa – Sócio 9.575 desde agosto de 1981

O MISTÉRIO DO RELATÓRIO E CONTAS

No passado dia 10/10/2018 o Paulo Afonso Ramos perguntou o porquê das misteriosas alterações constantes no artigo 65º  na versão dos estatutos escriturados pela Comissão de Gestão (Para quem não leu a referida crónica pode encontrá-la aqui).

Em jeito de resumo, os estatutos sofreram alterações em 2011 e na sua versão escriturada o então artigo das prorrogações dizia que os prazos, constantes no 1 do artigo 31º (Orçamento) e no 1 do artigo 34º (Membros Orgãos Sociais), seriam prorrogados por 3 meses, sempre que houvessem eleições para o CD e/ou para CFD nos 3 meses anteriores.

Em 2013 e em 2014 foram outra vez alterados e lavradas as respectivas escrituras sem que o texto do referido artigo fosse alterado.

Em 2015 a alteração estatutária introduziu um novo artigo 25º (Prémios e Galardões Honoris Sporting), sendo que esta inclusão fez com que os artigos seguintes fossem renumerados, tendo subido 1 número. Nestas alterações o artigo das prorrogações foi alterado para 32 e 35.

E agora, misteriosamente e sem que houvesse propostas de alterações aparece convenientemente alterado para 32 (Orçamento) e 33 (Relatório e Contas), sem que haja uma explicação oficial.

O introito já vai longo mas era necessário fazer este resumo para enquadrar o resto da cróncia.

PORQUE É QUE FOI NECESSÁRIO ALTERAR O PRAZO DA APRESENTAÇÃO DE CONTAS DO CLUBE?

unirfbÉ esta pergunta que me tem andado a vaguear pela cabeça… Porque é que não se podia fazer uma AG em Setembro (ou até 15 de Outubro) para que os Sócios pudessem votar e aprovar o Relatório e Contas do Clube, do exercício que acabou em Junho de 2018?

Tendo em conta que tudo o que tem vindo a público tem a ver com a SAD e esta já tem as suas contas apresentadas e aprovadas, mesmo estando ainda no meio de uma auditoria “forense” (as aspas são mesmo propositadas), mas as do Clube, que nunca levantaram grandes cuidados, estão agora adiadas até Dezembro / Janeiro utilizando um expediente no mínimo duvidoso, com um fim misterioso…

Mesmo que estivessem a ser auditadas também porque é que não se cumpriram os prazos como as da SAD?

Será que alguém teve medo de fazer uma AG em Setembro para aprovar as Contas, uniroporque nessa AG teria de ser aprovada a Acta da de 23 de Junho e a confirmação das suspensões do anterior CD?

Esta poderia ser uma explicação… Mas se assim fosse não teria muita lógica! Ora fazendo fé nos resultados da AG de 23, não existe motivo para pensar que os mesmos “71%” (mais uma vez as aspas propositadas) que votaram a destituição não fossem agora estar presentes e votar a acta e a confirmação das suspensões… Não acredito que tenham mudado de opinião.

Pelas palavras de muitos comentadores e pessoas de “bem” que conhecem profundamente o Sporting Clube de Portugal, os apoiantes da anterior Direcção são uma ínfima minoria e portanto, não deve ser por medo da mobilização desta, pois mesmo que se mobilizassem pelos vistos não seriam representativos.

Então porque é que ainda não tivemos oportunidade de conhecer e votar as Contas do Sporting Clube de Portugal? Pelos vistos o mistério ficará por desvendar…

Seja lá quando for que isso aconteça, uma coisa vos posso garantir. Nessa AG, terei oportunidade de olhos nos olhos perguntar à Direcção o porquê desta espera, para dar a conhecer um Relatório e Contas que já estava quase terminado!

Saudações Leoninas!

 

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén