Categoria: Benfica Page 1 of 2

O RUMO INCERTO

Em tempo de férias, para muitos, e em vésperas de um início de época para o futebol, não queria escrever algo pesado.

Primeiro quero reforçar que os resultados da pré-época não têm qualquer relevância e que espero e quero que o SCP vença a Supertaça!

Estou, no entanto, preocupado com a política de cedências de jogadores do Clube, muitos a custo zero e outros quase nessa cifra. Preocupa-me também um aproximar ao carrossel tão conhecido do futebol português que tem ligações pelo mundo.

Diria que o rumo é incerto, mas, na verdade, o que conta são os resultados. E se o Sporting for campeão muita coisa pode mudar… Ou não!

Também não é do meu agrado, tal como as cedências, as aquisições de percentagens de passes dos jogadores por valores elevados. Como não é do meu agrado o silêncio e a demora na resolução dos casos dos jogadores que rescindiram e que continuam por desvendar, perceber e resolver…

Até a novela BF – para muitos a novela do Verão -, nada melhor para esquecer a outra novela JF, tem causado algumas palpitações nervosas, não só porque é um grande jogador e faz falta ao Clube, como por causa dos valores falados que estarão sempre abaixo do valor justo que o Sporting merece ser ressarcido por tudo o que já passou, investiu e promoveu.

O rumo é incerto até para as modalidades e o afastamento dos diversos atletas com títulos ganhos e em que tudo se resumirá num evidente esforço para fazer do basquetebol campeão esquecendo todas as outras modalidades.

Mas como o povo gosta é de futebol, pouco importa que Girão seja agenciado por JM, continuamos, a meu ver, com um plantel fraco em relação aos rivais, sem grande argumentação para discutir o título nacional de futebol e a viver de mensagens de futuro. A reportagem da SIC foi fantástica ao promover o presidente, mas, não só, serviu para afastar o Canal do Clube que poderia ter feito aquela reportagem mas não fez. Novas tendências…

Se ganharmos a Supertaça estará tudo bem, mais uns tempos, até que acordem os alarmes e despertem as mentes. E se não ganharmos, usaremos as reservas e os créditos para continuarmos focados num futuro eternamente adiado. Ainda assim, na minha opinião, estamos perante o rumo incerto!

Boas férias para quem está ou vai e boa sorte para a final.

Saudações Leoninas

SOU DO TEMPO EM QUE VÁRIOS TEMPOS ATRAVESSARAM O MEU TEMPO!

Eu sou do tempo, recente, em que éramos feitos de silêncios nos cafés, do tempo em que não víamos as crianças equipadas à Sporting irem para a escola. Em que poucos adeptos viam as modalidades porque se dispersavam por pavilhões, muitas vezes, com poucas condições e distantes de Alvalade.

As coisas foram mudando…

Vi, nos últimos anos, nos cafés, mais Sportinguistas do que nunca com orgulho de serem do Clube, vi, também, com regularidade, muitas crianças vestirem as camisolas do Sporting. Vi muitas vezes o estádio cheio e uma vibração que não consigo traduzir por palavras.

Uma vez, pelo menos uma, lembro-me bem, no programa Juízo Final, que já não existe, dei um cartão verde aos Sócios e Adeptos do meu Clube com um reparo: para seremos campeões, primeiro, é preciso os adeptos terem mentalidade de campeão!

Expliquei a minha teoria que consistia por defendermos o nosso Clube e quem o representava, em todas as circunstâncias e em todos os lugares, cafés inclusive. Teríamos que, primeiro, ser campeões na exigência e no compromisso com o Sporting defendendo-o como se defende um filho. Ajudá-lo a crescer. Para depois sim, estarmos preparados para essa condição que há tantos anos almejamos sem sucesso.

Senti-me perto, muito perto, de ver o Sporting campeão, mas, estranhamente e por explicar, acabou por perder o campeonato para o Benfica.

Senti que, talvez fruto do entusiasmo de algo nunca vivido, estávamos no rumo certo e que chegaríamos lá. Fiquei na expectativa que também a justiça desportiva explicasse e corrigisse, se fosse caso disso, o que errado e ilegal tivesse acontecido nesse campeonato.

Hoje tenho a consciência ou a convicção que nessa época foi traçado um longo futuro que agora se cumpre em pleno. Agarrados ao ego e aos bons costumes voltamos ao progressivamente aos velhos tempos dos silêncios e da chacota em que os Sportinguistas vão desaparecendo porque não acreditam na Justiça, seja desportiva ou civil, vão perdendo a força e deixam morrer devagar a chama que outrora tiveram.

Há, agora, um Hitlerismo no Sporting, que quer aprimorar a raça de Leão, que quer criar um elitismo e um hábito de festa como se o futebol não fosse um desporto do e para o povo.

Filtram, pelo aumento do custo para os Sócios, que querem apoiar o Clube abrindo um fosso entre quem quer e quem pode.

Chamaram a isto #UnirOSporting!

Preferem os Adeptos com poder para assistirem ao espectáculo, os bem comportados, os chamados de bem, os que sem criticar pagam a sua ajuda, mas, em momento algum, fazem ruído ou manifestam sem medos o que pensam. O momento é de paz, usam a frase como uma senha e um slogan como se fossem regressados de uma guerra sem igual.

Não que a guerra não tenha acontecido. Aconteceu. Mas foi uma guerra de mentes perversas, já o disse, apenas afectou o Sporting. Beneficiando outros clubes e alguns personagens da nossa praça e não só…

Eu sou do tempo do nada, do quase e do agora.

Agora, com a bandeira de uma Taça que nada valia e de outra que deveria ter sido ganha no ano anterior, vemos jogadores dados, vemos negócios prejudiciais e outras coisas que ninguém ousa falar porque há um único alvo a abater.   

E estamos perto de duas AG´s para UNIR O SPORTING.

Ninguém explica as saídas gratuitas dos atletas, os gastos abusivos, a nova comunicação do Clube e os silêncios que se parecem com aqueles dos tempos dos cafés…

Como ninguém explicará, quando voltarmos ao passado, como ali chegamos!

Eu sou do tempo em que vários tempos atravessaram o meu tempo…

TIBÉRIO O GENERAL DE ROMA

Não vou aqui contar a história do Imperador Tibério, um dos maiores generais do Roma. Vou antes recuperar pequenos episódios desta semana do reino do desporto português e em especial do SCP para pensarmos se realmente “isto anda tudo ligado”?

 SETÚBAL E AS ENCOMENDAS

O Vitória de Setúbal perdeu com o Boavista e o árbitro Fábio Veríssimo foi o centro das atenções por expulsar 3 jogadores da equipa da casa. Confesso que, para mim, foram bem expulsos e neste caso o árbitro será o menos culpado. Mas vamos por partes:

  • Tentativa de invasão com um adepto a entrar no relvado[veja aqui]
  • Declarações inusitadas do Treinador Sandro em resposta à jornalista sobre o que se passou no relvado.
  • Declarações graves do Presidente do Clube Sadino Vítor Hugo Valente

A pergunta é: O que mudou no futebol português após o afastamento do grande prevaricador?

NO DRAGÃO HOUVE FOGO CUSPIDO PELAS CLAQUES

Um jogador agrediu um adepto. Os ânimos estiveram quentes. Mosquitos por cordas. E o futebol português continua sob a alçada da violência. Que impacto teve este episódio? E já agora porque voltaram a associar o Caso-Alcochete a este?

BRUNO FERNANDES PERDE PARA JOÃO FÉLIX 

Capa Record 8maio19

Parece não ser suficiente para alguma Comunicação Social (sempre o grupinho habitual) a toda a campanha que BF está a fazer nos relvados.

  • Melhor jogador da Liga Portuguesa (outra vez)
  • Homem do jogo por 10 vezes
  • Recorde mundial de um médio com 31 golos (para já)

E o que os jornais destacam?

JF no record.jpeg

Dir-me-ão que são opcções editoriais…

ABEL DE SAÍDA DO BRAGA

Não vou aqui recordar o rol de episódios deste treinador e a dualidade de critério, abordagem e reacções nos jogos que a sua equipa fez contra o Sporting e contra o Benfica.

Abel de saída do braga

A questão que lhe deixo, ao próprio, é se valeu a pena?

O futuro dirá que sim ou não, veremos onde se irá encaixar na próxima época…

O FUTEBOL FEMININO DO SPORTING CP

Acaba de perder, pela 1.ª vez, o campeonato nacional e para o S. C. Braga. E é com saudade da Raquel Sampaio e do seu grandioso trabalho no SCP – Futebol Feminino que trago as suas palavras:

Raquel Sampaio

A pergunta é: Vão desinvestir no futebol feminino do Sporting CP?

MODALIDADES LEONINAS PERDEM REFERÊNCIAS

Esta semana tem sido bombástica na perda de algumas referências do Sporting CP.

Espero que o actual presidente do Clube tenha mão nisto tudo. Trago-vos, como imagem de marca, as luvas do Patrício (ainda não está tudo resolvido com os jogadores que rescindiram com o Clube) para que possa agarrar melhor a barra!

Nomes como: Hugo Silva – treinador de Voleibol que fez do Sporting campeão nacional no ano do regresso da modalidade.

HUGO SILVA

João Simões (Voleibol) e fala-se já em Miguel Maia.

Nuno Paiva – Treinador de Karaté

NUNO PAIVA.jpg

João Pinto – Hóquei em Patins

Retive as palavras de Hugo Silva: “Quem sabe um dia cruze novamente com o Sporting forte e ambicioso que conheci“.

Dá que pensar…

Se juntarmos alguns dados adicionais, como por exemplo, o caso ainda por julgar de Alcochete e o seu empolamento para o terrorismo, as claques não organizadas que podem tudo sem consequências, os comentadores nas TV´s adidos aos clube rival que marcam a agenda dos jornais (tem paciência MA) ou mais uma lição de como se ganha um campeonato em Portugal leva-me a deixar algumas questões:

  1. Quem beneficia disto tudo?
  2. Quem paga?
  3. E a pergunta de 1 MILHÃO: QUEM É O TIBÉRIO PORTUGUÊS?

Dá que pensar… Outra vez a pensar?

E o que isto tudo, esta salada de episódios e de clubes, têm em comum?

Essa resposta fica para o tempo dar…

Boa sorte para o Hóquei em Patins do Sporting CP e contem com o meu apoio!

Saudações Leoninas

OUSA DIAS E OUSADIAS & COMP.ª

A Taça da Liga veio outra vez de Braga para Alvalade. Há dias assim. Ousa quem pode e quer, ousadias e companhia em rima com azia(s)…

Se não tinha sido bonito ver a dupla AA, leia-se Abel & António, desta feita não foi bonito ver as medalhas voadoras e uma dela como arma de arremesso contra um adepto. Nem tão pouco aquela falta de chá para assistirem à entrega do troféu depois da equipa do Sporting ter brindado com a devida homenagem.

Aquelas polémicas das imagens que o Benfica reclamou, já ausente da final, não contribuíram para a pacificidade no futebol, mas, disso tudo, não sobram resquícios na dita Comunicação Social.

Por falar em Benfica, polémicas e resquícios…

benfica 1-4sporting

No dia seguinte – ou seja ontem – vimos outro espectáculo empolgante! No caso, em hóquei em patins, com a vitória de sacrifício da equipa de Paulo Freitas na Luz por um concludente 1-4 depois de imenso tempo com um jogador a menos.

Atrevo-me a dizer que tive laivos memoriais de outros tempos!

Em boa verdade, confesso, que alimento a esperança de voltar a ter um Sporting CP com raça, atitude e compromisso em todas as modalidades e em qualquer lugar como o que já vi outrora. Prova-se uma vez e nunca mais se esquece aquele sabor. A memória gustativa aliada à outra que guarda os estímulos sensoriais como aquele que sentimos ao ouvir a nossa canção seja no estádio ou no pavilhão.

O importante, voltando ao jogo jogado, seja no ringue ou no relvado, é vencer!

E quem ousa essa vontade ou tem a ousadia de em dois dias ter bons resultados contra os maiores rivais, merece um louvor à companhia e uma menção de aptidão.

Mas em questão de prémios, para mim, o maior vai para os Adeptos Leoninos que em Braga deram um fenomenal festival de como se deve apoiar uma equipa. Tantas e tantas vezes disse que estes Adeptos são os melhores do mundo e merecem um Clube de uma grandeza europeia.

E como estamos à porta de Fevereiro, o meu mês predilecto, vamos ter um mês empolgante cheio de boas novas e muitas alegrias, que espero, no terceiro dia seja uma delas, porque, em Alvalade, mandamos nós e ganhar ao maior rival é fundamental.

Termino com vasto agradecimento a todos os que lêem o Banco de Suplentes! Percebi que não tem fronteiras geográficas e que é com agrado de muitos que aqui passam para saberem um pouco mais do que pensamos sobre o nosso Sporting.

Obrigado a todos, em especial, aos mais críticos pela coragem de aqui continuarem a ler o que escrevemos.

Saudações Leoninas

CRÓNICA DO IR LÁ DAR UMAS LAMPARINAS

Nos dias que antecederam o Natal, saiu a decisão do processo e-toupeira, de não levar a julgamento a SAD do rival de Lisboa.

Afinal, parece ter tudo saído da cabeça de Paulo Gonçalves. Toda a sua ação, segundo a decisão da Juíza foi decisão dele. Só não ficamos a saber se haveria algum tipo de autoria moral, de alguém, que, talvez, tivesse incentivado esse tipo de comportamento. A pergunta parece ter ficado respondida, pelo menos para a Juíza, Paulo Gonçalves agiu sozinho. No fundo um Lee Harvey Oswald dos tempos modernos.

Mas pergunto, será que Paulo Gonçalves não viu, mesmo, algum tipo de “incentivo” na instituição que servia de comportamentos menos éticos e menos cívicos? Pelo que saiu a público pelo ex-candidato – Bruno Costa Carvalho – à presidência do nosso rival de Lisboa, parece que sim, havia certos incentivos que vinham de cima.  Vamos ler o que este escreveu.

brunocostacarvalho.jpg

Pelos vistos o CEO da SAD incentivava comportamentos pouco éticos e perguntava ao “funcionário” Paulo Gonçalves, como foi classificado pela Juíza, e perguntava também a João Gabriel, que deve ser outro “funcionário”, se “podem ir lá dar umas lamparinas”. Imagino que “lamparinas” sejam os prémios atribuídos aos seus Sócios e adeptos. Pelo nome deve ser.

mailslb

Portanto ficámos a saber, por Bruno Costa Carvalho, que os dados pessoais dos seus sócios “passeiam” pelos e-mails do CEO e de “funcionários”. Também no nosso clube andaram os nossos dados a passear, não por mail – que se saiba – mas por pen. Aliás, as diversas queixas crime que foram feitas já estão a ser investigadas, pois o DCIAP já chamou Sócios do Sporting para prestarem declarações acerca desse tema.

Com estas evidências, trazidas a público por um destacado Sócio do rival, pareceram-me muito suaves as declarações oficiais da Direção do nosso Sporting.

SCPe-touperia.png

“A Sporting SAD tomou conhecimento da Decisão Instrutória hoje proferida no processo denominado como e-toupeira.

A decisão anunciada, na medida em que partirá do princípio que os arguidos agora pronunciados atuavam por sua conta e risco, é, pelo menos aparentemente, incompreensível.

A Sporting SAD analisará os fundamentos da decisão, reservando o direito de recorrer do teor da mesma, sempre com o objetivo de repor a verdade desportiva.”

 

Sim de facto foi “incompreensível” a decisão mas também é incompreensível a brandura da reação da nossa Direção, ou talvez não, pois com as práticas do rival, nunca se sabe, se não há algum “funcionário”, que por sua conta e risco faça “alguma coisa” e por isso é que esta é a crónica do ir lá dar umas lamparinas.

Um Abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

 

CRÓNICA DE UMA JORNADA EUROPEIA DIFERENTE

A última jornada europeia teve pontos muito interessantes de se analisarem. Dentro e fora de campo. Dentro de campo já foi bastante escalpelizado e o nosso Sporting teve uma resposta de raça e atitude, com muita coesão defensiva e uma ligação entre a equipa e a bancada como este ano não se tinha visto, ainda.

Mais uma vez, acompanhei o nosso Sporting, desta vez em Londres no estádio do Arsenal. Fica aqui uma nota, é um estádio muito confortável, com excelentes condições, que em certos aspetos mais parece um hotel misturado com centro comercial. O melhor onde já estive.

loungearsenal

foodcourtarsenal

Antes de entrar no estádio, aproveitei e fui visitar o Museu do Arsenal. Ficou evidente para mim, ao fazê-lo, perceber melhor a grandeza do Sporting Clube de Portugal. Incomparável.

emirates

Habituados que estamos às más condições da esmagadora maioria dos estádios de Portugal, podíamos ter estranhado aquele conforto e adormecer na bancada, mas pelo contrário sentimo-nos tão bem, mas tão bem, que demos um espetáculo no apoio ao nosso Clube como aquele estádio ainda não tinha assistido.

Já há 2 anos atrás, na ida ao Santiago Barnabéu, o espetáculo foi tal, que no fim do jogo ao conviver cá fora com os meus amigos Sportinguistas, os madridistas que paravam para falar connosco diziam espantados que nunca tinham visto tal atitude nos adeptos no apoio ao seu Clube.

Ou seja, os Sportinguistas elevaram lá fora, da melhor forma, o nome de Portugal e dos Portugueses. Não que fosse reconhecido cá dentro, ou dado o devido destaque, mas sim, pelo que fomos acompanhando pelas redes sociais, no que iam dizendo os ingleses que assistiam ao jogo.

tweetarsenal.jpg

Pelo contrário os adeptos dos nossos rivais de Lisboa destacaram-se pela negativa. Curiosamente, ou talvez não, também não houve destaque em Portugal, mas houve lá fora. Vejamos o que disse um jornalista Holandês hospedado no hotel atacado pelos ditos adeptos.

«Em toda a parte só se via sangue depois daquele que foi um ataque cobarde de hooligans ligado ao Benfica», Mike Verweij, jornalista do Telegraaf que estava hospedado no hotel alvo do ataque

Acalmem-se todos! Pois não foi um ataque terrorista! Foi uma visita de cortesia, senão vejamos o que é contado no Telegraaf:

“vários elementos afetos aos encarnados, todos vestidos de preto, atacaram os adeptos do Ajax numa unidade hoteleira perto do Estádio da Luz”.

Portanto estavam todos de preto, pois têm bom gosto a vestir e como todos sabemos “de preto eu nunca me comprometo”, siga!

os adeptos holandeses foram mesmo obrigados a fugir para os quartos para se refugiarem, sendo que foi necessária assistência médica para alguns adeptos.”

Qual o problema? afinal, o que estavam a fazer estes holandeses no lobby do hotel e na esplanada, àquela hora, Hum hum hum?

Como Portugal é um país que não precisa do turismo para nada, isto que aconteceu no hotel contra cidadãos holandeses é coisa pouca, sem interesse para o Presidente da Assembleia da República ou para o Presidente da República, pois desta vez não fizeram nenhuma declaração a dizer que se sentiram vexados.

ferromarcelo

Assim os adeptos Sportinguistas deram 15 a 0, como diria o Ricardo Araújo Pereira, aos adeptos do seu clube, e é por isso que esta foi uma Crónica de uma jornada europeia diferente.

PS – enquanto escrevo esta crónica nos diversos canais de TV só se fala de um assunto, de um homem só, até parece que o E-toupeira, um processo onde se julga a infiltração de um clube no sistema de justiça de um estado de direito é coisa sem importância… estranhos dias estes que vivemos.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa, Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

CRÓNICA DO ENCONTRO ENTRE DOCTOR VIEIRA E MISTER VARANDAS

“Se o senhor Varandas vem com o mesmo propósito, não deverá lá ficar muito tempo. Se ele se preocupar só com o Sporting, pode ter algum sucesso. Se olhar para o vizinho do lado, não. Porque o vizinho do lado já vai com um andamento que ele nunca mais vai lá chegar.” Vieira, Luís Filipe TVI 30/10/2018

Ía acontecer mais cedo ou mais tarde, assim que os resultados da sua agremiação fossem piores que melhores, seria uma questão de tempo até o ainda “Dono Disto Tudo” apontar baterias ao seu alvo preferido, o Sporting Clube de Portugal.

Fica bem visível neste “aviso” que o presidente dessa agremiação fez, que ele sabe, e sabe muito bem, como se faz para tirar um presidente do Sporting desse cargo, pois se um qualquer presidente do Sporting “olhar para o vizinho do lado”, então “não deverá estar lá muito tempo”, pois o dito “vizinho do lado já vai com um andamento que ele nunca mais vai lá chegar”

Isto diz muito de nós Sportinguistas, diz que nunca nos soubemos defender dos fatores externos, como são exemplo estes vizinhos indesejados que temos, e há até uns ditos Sportinguistas que acham piada, dão credibilidade a estas tiradas dos adversários e até apoiam, caso o presidente do Sporting não seja aquele em que tenham votado, ou porque simplesmente acham que têm fair-play ou “são diferentes”.

Quantas vozes Sportinguistas sempre prontas a “falarem” se levantaram a defender o Sporting e o seu presidente deste aviso do “Dono Disto Tudo”?

“Sobre o doutor Vieira, fiquei sensibilizado com a preocupação da longevidade do meu mandato, pode contar com o Sporting a lutar pela verdade desportiva, valorização do futebol português, implacável na luta contra a corrupção. Se me perguntam o que acho do caso e-Toupeira, tenho a dizer que é uma vergonha. Se me perguntarem 20 vezes, direi 20 vezes que é uma vergonha” Varandas, Frederico 3/11/2018

Frederico Varandas esteve bem a responder à pergunta feita pelo Expresso acerca do processo E-Toupeira e esteve ainda melhor na contrarresposta a Luís Filipe Vieira… perdão, na resposta ao doutor Vieira.

varandasdoutorvieira

Mas, não podemos esquecer que os atacados de “hoje” são os beneficiários de “ontem”, pois quando o mesmo doutor Vieira disse que “ía fazer uma ou duas loucuras atacando jogadores do Sporting, pois não se esquecia dos ataques feitos por Bruno de Carvalho”, ninguém dito Sportinguista, notável e com voz se indignou. Pelo contrário o que vimos foram disparatados pedidos públicos ao amigo Vieira para nada fazer. Vimos também, após as ditas afirmações, alguns atos de subserviência inaceitáveis, que incluíram passeatas pela tribuna da Luz.

“Foi uma decisão de tal maneira precipitada que o Sporting anda à procura de soluções. Aquilo que fez, fê-lo sem ter uma solução credível, rápida e que pudesse, de facto, ser aglutinadora. Por isso, acho que foi algo que não se justificava de maneira nenhuma” Dinis, Carlos vice-presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol 2/11/2018

Também da Associação Nacional de Treinadores veio um ataque. Desta, e da sua atividade, confesso que só tinha ouvido falar quando Marco Silva foi despedido. Agora com o despedimento de José Peseiro deram um novo sinal de vida. Mas, haverá ato de gestão mais “normal” de uma equipa de futebol que despedir um treinador de futebol? Não é uma questão de se concordar ou não com a decisão, é uma questão de legitimidade de um presidente, qualquer que ele seja, em despedir um treinador. É que um presidente tem essa legitimidade… exceto o presidente de um clube, o Sporting, no entender destes da Associação de Treinadores.

“Enquanto presidente do Sporting faço o que achar melhor para o Sporting, o resto não interessa” Varandas, Frederico 3/11/2018

Também aqui, esteve bem Frederico Varandas na contrarresposta dada, sem sequer nomear o nome destes. Vamos estar atentos ao que têm a dizer com os despedimentos que aí vêm, e ao que vão dizer os senhores da dita Associação. Sabem o que vão dizer? Isso mesmo, nada!

Vai chegar o dia em que o Sindicato dos Jogadores vai criticar Frederico Varandas, seguir-se-á o Sindicato de Jornalistas, e por aí fora, pois os “beneficiários de ontem” serão os “atacados de amanhã”. Bruno de Carvalho foi atacado, “amanhã” será assim com Frederico Varandas, no meio disto tudo um denominador comum: “quem se lixa sempre é o Sporting”.

Em conclusão, parece que Frederico Varandas “sentiu-se picado” pelo tratamento que lhe foi dado por Carlos Dinis e principalmente por Luís Filipe Vieira, e de uma só cajadada matou dois coelhos. Correu-lhe bem este primeiro confronto, e por isso chamei a esta crónica, a crónica do encontro entre Doctor Vieira e Mister Varandas

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

CRÓNICA SOBRE VARANDAS PRISIONEIRO

Comecei a pensar nesta crónica, estava eu em Milão, onde passei 3 dias em trabalho. Na sua principal Praça lá estava ele, o Leão, majestoso, poderoso, símbolo de força, junto da estátua de Vittorio Emanuele II, “o pai da Pátria Italiana”.leone-vittorio-emanuele-ii-monument-in

Itália tem excelente comida, excelentes carros, grandes clubes de futebol, mas também teve o “Calcio Caos”, o processo de corrupção que arrastou a Juventus para a Série B, iniciando o campeonato com -9 pontos na classificação, multa pecuniária, e perda dos títulos de 2004-05 – não atribuído a outro clube – e 2005-06 – atribuído ao Inter.

Em Portugal, o futebol passa por um processo, ou melhor vários processos, onde há suspeitas de corrupção e outros crimes, por parte de um clube. Fala-se de muita coisa, já há arguidos em alguns dos processos, mas os supostos corruptores ativos, dirigentes da agremiação rival, estão em liberdade, não estando, portanto, em prisão preventiva.

Mesmo havendo suspeitas e sendo arguidos, essa agremiação continua a sentir-se com direito a atacar tudo e todos – está no seu direito logo que dentro da lei – mantendo assim, os seus adeptos, convencidos que a direção está a defender o melhor possível o seu clube, mesmo que o “gato esteja escondido com o rabo de fora”.

Já no nosso Sporting temos uma direção que, chegada de fresco, continua calada no silêncio, sem dar uma prova de vida, parecendo que está no cárcere.

Varandas, não dá uma prova de vida em relação ao prometido durante a campanha eleitoral que “o campeonato de 2015/16 é nosso. Eu vi com os meus olhos muita coisa que não vai poder continuar”. Será que se referia a coisas como as que temos vindo a saber pelo caso “E-mails”? Mas então porque não fala? Está prisioneiro de alguma coisa que se passou entretanto?

varandaschora.jpg

Frederico Varandas, vê o seu treinador – sim, seu treinador, pois Varandas apoiou a decisão da contratação de Peseiro – mas dizia eu, que vê o seu treinador a ser atacado por Sousa Cintra e não vem defender o seu “grupo de trabalho”? Mas porque não defende o seu “grupo de trabalho”? Está prisioneiro de alguma coisa?

Varandas, que disse que os jogadores não tinham razão no pedido de rescisão por justa causa, que com ele todos voltariam e que iria defender os interesses do Sporting, anda agora, segundo os jornais, a “pedir ajuda a Jorge Mendes”. Mas Jorge Mendes é advogado especialista em rescisões? Esse não era o Juan de Dios Crespo? Está Varandas prisioneiro de alguma coisa?

Varandas nada diz acerca do rumo para o Sporting, nada diz aos Sócios, tem uma comunicação transmitida por canais oficiosos, pouco transparente, gerida de uma forma benfiquizada como já escrevera aqui na semana passada. Está prisioneiro de alguma coisa?

Adaptando ao atual Sporting o que dizia o co-fundador da Apple, Steve Wozniak – na imagem com Steve Jobs – acerca dos produtos que “inventava”: Varandas, ninguém vai amar este clube se tu não o amas.

stevewozniak

Varandas, como tu não o amas, quem o ama, vai, mais cedo do que mais tarde, criar uma alternativa. Uma alternativa para que os Sportinguistas e os seus Sócios se sintam majestosos, poderosos, tal como o Leão junto da estátua de Vittorio Emanuele II,  uma alternativa em que se revejam, com liderança, com um propósito, que defenda o Sporting, que não esteja calado, que transmita aos Sócios informação clara, porque essa é a melhor forma de os respeitar.

Até lá, Varandas, não espero nada mais do que fizeste até aqui, ou seja, nada. Não sei se por inaptidão ou porque não te deixam, mas na dúvida vou pela segunda hipótese e por isso esta foi uma crónica sobre Varandas prisioneiro.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

CRÓNICA DO PROCESSO DE BENFIQUIZAÇÃO EM CURSO

“O que garanto é que defenderei o Sporting. E isso significa, muitas vezes, estar calado” Varandas, Frederico – 13-10-2018

A política sempre tentou colar-se ao desporto e em particular ao futebol, mas a verdade é que era um fenómeno mais de autarcas de pequenas localidades, que tentavam tirar dividendos políticos nas suas terras. Isto foi assim até ao dia em que nas legislativas de 2002 um presidente de um clube – Manuel Vilarinho –  apelou ao voto num partido (PSD), enquanto presidente desse clube e não enquanto cidadão, com a liberdade de opinião que todos temos. Não tardou a vir o “pagamento” do apoio a esse partido, fosse para a construção do estádio, fosse aceitando ações da SAD, que não estava cotada, como dação em pagamento de dívidas fiscais que a atirariam para os escalões secundários.

Não demorou muito até que o presidente seguinte desse mesmo clube – Luís Filipe Vieira – fosse buscar João Gabriel para diretor de comunicação. João Gabriel que vinha também da política, onde foi assessor de Jorge Sampaio. A João Gabriel sucedeu Luís Bernardo, que vinha também da política, onde foi assessor de José Sócrates, e por lá se mantém.

Algumas táticas que estávamos habituados a ver só na política, como as campanhas negativas contra os adversários, o “deixar” as notícias saírem por um órgão de comunicação social escolhido e privilegiado (TVI, Abola) começaram a ser cada vez mais evidentes no desporto.

Mas também é verdade que, ao mesmo tempo que os diretores de comunicação foram ganhando protagonismo, foram retirando da “linha da frente” o presidente Luís Filipe Vieira, até pela falta de competências comunicacionais que esse presidente apresenta.

Curiosamente, ou talvez não, atualmente no Sporting está-se a dar uma benfiquização, pois para além de a comunicação estar a ser dirigida por uma renomada empresa de comunicação, a LPM, habituada a diversas campanhas políticas, também temos um presidente com fracas competências comunicacionais.

A chamada “pescadinha de rabo na boca” vai acontecer, ou seja, quanto mais protegem Frederico Varandas da exposição pública, menos treinado para enfrentar os jornalistas e os Sportinguistas estará, e como não treina, mais os seus assessores de comunicação se sentirão tentados a “protege-lo”.

No entanto, há situações em que Frederico Varandas tem mesmo de falar, faz parte do seu trabalho. Mas, veja-se o quão infelizes foram as suas declarações à saída de uma reunião da Liga. Declarações essas de alguém que fala em #Unir: “Há muitas pessoas que estão habituadas ao Sporting ser um circo, um produto televisivo de chacota, mas esse tempo acabou. Será também uma tristeza para alguns, mas o empréstimo obrigacionista é uma realidade e o refinanciamento será feito em novembro, como prometido.”

Quem são as “muitas pessoas”? Quem ficará numa “tristeza” pelo empréstimo obrigacionista ser feito? Eram para José Maria Ricciardi estas palavras? Eram para os Sportinguistas em geral?

Erro básico da comunicação, palavras vagas, sem destinatário, descontextualizadas do local e do assunto que o levou ali.

Frederico Varandas falou, mas nada disse, continuando calado em relação ao ataque feito pelo rival aos blogs Mister do Café e O Artista do Dia. O New York Times fala do assunto aqui, mas o presidente do Sporting cala-se? Expliquem-me de que forma é que Frederico Varandas estando calado, está a defender os bloggers leoninos, pergunto eu?

NYTimes.jpg

Assim, quando Frederico Varandas diz que “defenderei o Sporting. E isso significa, muitas vezes, estar calado”, mais não está a fazer do que esconder um seu ponto fraco, pois estando calado não defende o Sporting, nem os Sportinguistas, em nada.

Em minha opinião, Frederico Varandas ao estar calado, apenas se está a defender a si próprio da opinião pública, e principalmente dos Sportinguistas, e de estes verem o óbvio. No caso de Frederico Varandas, estar calado não é estratégia, mas sim uma necessidade, tal como no rival já viram isso há muitos anos, e é por isso que o Sporting está num processo de benfiquização em curso.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

CRÓNICA SOBRE VARANDAS E O SEU MOMENTO À LUIS FILIPE VIEIRA

“O que estavam adeptos do Sporting a fazer ao pé da Luz às três da manhã?” Vieira, Luís Filipe 22-04-2017

LFVMarco

Se bem se recordam, da frase acima, esta foi proferida após um adepto do clube rival ter atropelado mortalmente Marco Ficcini, atropelamento esse, que segundo a acusação, foi feito de forma culposa.

Luís Filipe Vieira, na senda do taxista do seu clube que disse “que as leis são para violar como as meninas virgens”, com aquela frase culpou Marco Ficcini de ter sido atropelado, por estar na rua às 3 da manhã, em frente ao estádio em frente ao Colombo.

Ninguém melhor que Luís Filipe sabe que aquele local não é bem frequentado, muito menos às 3h da manhã. Só mesmo a PJ, é que sabe tão bem como o Luís Filipe, o quão mal frequentado é aquele local.

Pela mesma ordem de ideias de cima, Rui Mendes, no Jamor, só foi assassinado, porque saiu de casa naquele domingo para ir com o filho ao futebol. Tivesse Rui Mendes ficado em casa, que nada daquilo lhe teria acontecido, pensará Luís Filipe Vieira para os seus botões. Pensa, mas, logo a seguir dá-lhe um ataque de amnésia e já não sabe o que pensou.

Também podemos culpar as Torres Gémeas em Nova Iorque de existirem, pois se não existissem, não teriam embatido lá os aviões. Soubesse disso George W. Bush e de certeza que teria proativamente derrubado as torres, para evitar que os aviões fossem de encontro às mesmas.

Neste momento devem estar a perguntar-se: “mas porque raio está o Nuno agora com esta conversa?”

Passo a explicar. Lembrei-me disto estava eu no Pavilhão João Rocha a ver o Sporting em Andebol, onde derrotamos o clube do qual Luís Filipe Vieira é ainda presidente, quando me chega, via whatsapp (sim o whatsapp serve para isto, mas não devia de servir para fazer convocatórias) uma mensagem com o seguinte print screen:

comunicadoportimonense

Foi como se visse, imediatamente, estas linhas escritas na minha cabeça.

Eu sei, todos nós sabemos, que não foi o Frederico Varandas que escreveu o comunicado, pois ele tem o Luís Paixão Martins para lhe fazer essas coisas, assim como o Luís Filipe Vieira tem o Galamba.

Também todos achamos que, Frederico Varandas não tem capacidade para escrever um comunicado, pois se nem a anatomia básica do corpo humano, que se aprende no 1º ciclo do ensino básico, sabe dizer, sabe lá agora escrever um comunicado. Repita lá Frederico: “Cabeça, Tronco e Membros”. Vá umas 100 vezes para não se esquecer, ok?

Mas, pelo menos as guidelines, um presidente tem de saber dar, para que o seu diretor de comunicação saiba o que escrever, ou não? Frederico, se nem as guidelines souber dar peça ao seu mentor. Esse mesmo, o outro Luis. O Godinho Lopes. Esse de guidelines diz que deixou lá muitas.

Ora partindo do princípio que Frederico Varandas deu as guidelines para este comunicado, então tenho que dizer que, está lá tudo, desde chamar diferendo a uma agressão, até ser um comunicado conjunto, mas não está o essencial, que era um lamento à situação criada ao jogador, um pedido de desculpa ao jogador e ao Sporting Clube de Portugal.

Num comunicado destes, só se pedia duas coisas, 1) defender um dos nossos, 2) o agressor pedir desculpa: Mas não é nada disso que se lê. Frederico Varandas, a sua atitude expressa neste comunicado, lá na minha terra, o Porto, tem um nome: Morcão

Neste comunicado só falta mesmo é pedir desculpa ao Portimonense pelo facto do Rafael Barbosa não se ter desviado quando o presidente da SAD o agrediu, e culpar o Rafael Barbosa por ter ido para o Portimonense. Por isto, é que em minha opinião esta é uma crónica sobre Varandas e o seu momento à Luís Filipe Vieira.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9575-0 desde agosto de 1981

Page 1 of 2

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén