Categoria: BdC Page 2 of 3

QUEM CONTA UM CONTO…

«Quem conta um conto acrescenta um ponto» é uma «expressão que se utiliza para indicar que cada pessoa relata um mesmo acontecimento ou facto acrescentando pormenores da sua autoria». [in Dicionário da Língua Portuguesa 2008, da Porto Editora].

Este provérbio popular retrata na perfeição o meu assunto na crónica de hoje. Todos sabemos que uma história, quando é contada de pessoa para pessoa, sofre sempre alterações, mais ou menos substanciais.

Tal não seria grave numa conversa entre amigos, de café ou em alguma situação semelhante.

O problema é quando acontece com um jornalista/comentador sobejamente conhecido, com presença assidua em horário nobre na televisão. Aí o caso muda de figura.

Mais grave ainda, é quando esse «ponto» acrescentado altera, influencia e até mesmo muda a narrativa dos factos, criando uma ideia na mente das pessoas, como se de uma verdade absoluta se tratasse. A maior parte das pessoas pensa «Então, se ele diz na TV, é porque é verdade!». Ou «se vem no jornal, é porque foi mesmo assim».

A pessoa em questão é Rui Santos que, no seu programa Tempo Extra na Sic Notícias, afirmou o seguinte:

Temos assim Rui Santos, não uma, não duas mas sim TRÊS vezes a salientar que Bruno de Carvalho perguntou, na reunião, se as pessoas estariam com ele, independentemente do que se passasse AMANHÃ (dia do ataque). Rematando com um «E portanto, isto aqui pressupõe algum conhecimento daquilo que viria a acontecer».

Vejamos então o que está no despacho da acusação do Ministério Público

img_8486

Por aqui se comprova, como o acrescentar da palavra «AMANHû muda todo o sentido que se quer dar à narrativa, fazendo querer que BdC já teria conhecimento do que se iria passar.

E eu pergunto… Como é possível? Como é possível, que uma pessoa que quase todos os dias intervém na televisão, afirme uma coisa destas, sem provas? Citando fontes? A culpa não é dele, é das fontes que o levaram ao engano? E o que é feito da presunção da inocência?

Mais: As afirmações são espalhadas pelos vários sites de notícias e portais, reforçando a ideia que BdC disse o que disse, porque já sabia o que ia acontecer no dia seguinte, quando o contexto tinha tudo a ver com a não permanência de Jorge Jesus como treinador.

Adenda: olhemos para a última frase das declarações de BdC que constam no auto: «convocando uma reunião para estarem presentes na Academia de Alcochete às 16:00h do dia seguinte».

Pensem comigo: Então o presidente, segundo estas teorias loucas do MP, trata de tudo para a invasão da Academia e marca uma reunião para o dia seguinte à mesma hora? Com que intenção? Para se habilitar a levar um sopapo? Acreditam mesmo nisto?!

Voltando a Rui Santos, no final do vídeo, a jornalista, questiona-o sobre como viu a ida de Bruno de Carvalho ao DIAP para prestar declarações.

Resposta: «Eu acho que isso foi claramente com a intenção de gerar algum desconforto no Ministério Público».

Se isto não revela um julgamento de carácter em praça pública e uma má-fé extraordinária, não sei o que revelará.

E é assim, que desta forma, se deturpa algo e se molda a opinião das pessoas que, cada vez mais, têm menos sentido crítico e capacidade para se interrogar da verdadeira natureza dos factos. E pouca hipótese têm disso. Do universo Sportinguista, quantas pessoas devem ter lido o despacho da acusação? A CS sei que leu toda mas repor verdades ou desfazer equívocos é coisa que não dá tanta audiência ou vende mais.

Pouco ando pelo Facebook, mas quem me segue no Twitter sabe o que penso desde o primeiro dia: eu não acredito na narrativa que nos querem vender. Mas caso se encontrem os culpados – sejam eles quem forem – com PROVAS e não efabulações e teorias que dão jeito a algum propósito nefasto – que paguem pelo que fizeram.

Mas por favor, não inventem. Não acrescentem um ponto ao conto já por si mal contado.

CRÓNICA SOBRE UM RESSABIAMENTO JORNALÍSTICO

Desde domingo, que o circo mediático voltou às televisões. O motivo: a detenção absurda e ilegal de Bruno de Carvalho que se mantém ainda hoje (na opinião de vários juristas e da própria Ordem dos Advogados).

img_8009

Não vou falar em geral – o circo fala por si – mas de um caso em particular que me chocou ontem. Chocar, até é uma palavra simples demais, para descrever o que se passou, com o directo de uma jornalista da TVI.

Embora os acontecimentos tenham sido ontem, é anteontem que, na minha opinião, começa o ressabiamento da «douta» Carolina Resende Matos.

A profissional (?) da TVI é «encostada às boxes» por José Preto, advogado de BdC, ao fazer a pergunta mais inteligente que se lembra no momento, levando com a resposta «Essa pergunta é completamente idiota!» Não querendo ficar atrás (imaginando que desta forma conseguiria a tão desejada declaração do advogado – em «Novas Formas do Jornalismo Circense, Cap. IV»), a jornalista responde com um «É uma pergunta como tantas outras quem decide quem faz as perguntas que faço sou eu».

Como podem constatar no vídeo, foi a melhor abordagem possível para se conseguir um belo dum «furo» jornalístico…

Ora isto leva-nos ao directo de ontem. Vejam este vídeo com atenção:

Então vamos lá dissecar este tratado de conhecimento jurídico-policial-jornalístico impecável da senhora jornalista:

«Tanto BdC como Mustafá são arguidos neste processo. Estão detidos mas que ainda não privados de liberdade mas têm exatamente os mesmos direitos, os mesmos deveres, têm de ser algemados (…)»

-Então temos arguidos, mas que estão em liberdade, mas que têm deveres (?) e que têm de ser algemados. A sério? Mas onde é que isso está escrito?! Mas continua…

«Aliás, tem de ser por ordem, por regra, têm de ser algemados, transportados numa viatura policial e não se entende a diferença de não terem vindo nas carrinhas da unidade de intervenção exactamente igual a todos os outros arguidos».

-Aconselho a Carolina a ler a directiva do Parlamento Europeu de 9 de Março de 2016 que tem o objetivo claro de reforçar o princípio de presunção de inocência consagrado constitucionalmente (artigo 32º)

img_8034

Carolina continua o seu sábio discurso, desta vez em defesa da PSP, vitimizando aquela força policial e referindo uma guerra interna (?) que desta forma é descrita:

«Não foram transportados pela elite da GNR e sim por carros descaracterizados, colocando, como eu dizia há pouco, em causa aqui o trabalho feito pela PSP (…)».

-O drama, o horror. O tratamento preferencial, porque foram em carros descaraterizados colocando em causa a própria PSP! Continuando:

«E é uma situação, diria até que uma espécie de guerra interna nos últimos meses que tem acontecido porque estão feitos vários planos para a PSP no que diz respeito fora do tribunal, uma vez que a jurisdição aqui desta área é da Policia de Segurança Publica e depois lá dentro é da GNR»

-Então temos uma guerra interna há meses…Meses?! Mas já se sabia há meses que BdC e Mustafá iam ser detidos e depois ouvidos no Tribunal do Barreiro?… E que esses planos foram desfeitos devido a essa suposta guerra? Realmente, como podemos ver nesta foto, o corpo de intervenção rápida da PSP está completamente à nora, sem saber o que fazer, com a mudança de planos imposta pela GNR, num clima de guerra impressionante:

img_8035E para o remate final:

«E à última da hora a GNR pretende mudar os planos sem avisar sequer o que é que vai acontecer à PSP e também depois, como é óbvio a própria Comunicação Social tem que andar aqui de um lado para o outro ainda que, como disse, nós estamos aqui precisamente para noticiar e estávamos já a contar que estas manobras de diversão acontecessem…».

-Então temos uma mudança de planos sem avisar a PSP e a própria CS que – coitados!! – têm de andar de um lado para outro (onde já se viu!) sem saber, desnorteados! Mas calma… Afinal de contas, estamos aqui para noticiar e já estávamos a contar com estas manobras de diversão.

Resumindo:

A jornalista queria, porque queria muito muito ver Bruno de Carvalho algemado. Tinha de ser! Não está preso, mas tinha de ser algemado e mais: tinha de sair de uma carrinha identificada da GNR, passar à sua frente para ser filmado, algemado (sim, mais uma vez… A Carolina referiu sete, por isso ainda fica a ganhar) e deixar a jornalista feliz e contente por estar à espera da sua imagem «dourada» pelo menos há seis meses.

Meu deus Carolina, acho sinceramente que devia processar a GNR e quiçá o próprio Estado, por esta maldade que lhe fizeram!

Um pouco mais a sério agora: não sei se pela resposta anterior a uma pergunta «idiota» nas palavras de José Preto, se pela frustração de, em dois dias seguidos, não ter alcançado nenhum dos seus objectivos, esta jornalista demonstra o mais puro ressabiamento, tecendo uma série de comentários infelizes, adivinhatórios e imprecisos. E é este o jornalismo que temos.

CRÓNICA DO CRIME

A Crónica do Crime era uma série policial que passou no final dos anos 80 início dos anos 90, naquele tempo, era o tempo pré canais privados, pré televisão por cabo.

Todos víamos as mesmas séries, e às terças-feiras, durante muitos anos, esse dia era reservado às séries policiais.

Essas séries de investigação criminal/policial andavam sempre à volta de duas questões fundamentais:

  1. A quem aproveitava o crime cometido, ou seja, quem sairia beneficiado com o ato?
  2. Qual o móbil do crime, ou seja, qual a motivação para o crime ser praticado?

Agora que a TVI dá como certo que Bruno de Carvalho está indiciado por 56 crimes, entre os quais sequestro e ameaça agravada, vou fazer as perguntas a que me habituei a ver serem colocadas às terças-feiras à noite nos anos 80/90 pelos detetives, heróis dessas séries.

Partindo do pressuposto de que é verdade que Bruno de Carvalho, é “o autor moral”, o “instigador”, o “mandante do apertão”, o que beneficiaria, Bruno de Carvalho, com o ataque à Academia?

Se alguém me conseguir responder a esta pergunta agradeço-lhe muito, pois eu por mais voltas que dê, não consigo. Terá Bruno de Carvalho feito um erro de cálculo e viu um benefício que mais ninguém conseguiu ver? Não me parece, pois como sempre vimos nos filmes ou nas séries, o público simpatiza sempre com a vítima e não com o criminoso, mas posso estar errado.

Quanto à segunda pergunta, partindo do pressuposto de que é verdade que Bruno de Carvalho, é “o autor moral”, o “instigador”, o “mandante do apertão”, que motivação teria, Bruno de Carvalho, para ordenar o ataque à Academia?

Aqui, algumas pessoas serão tentadas a dizer que a motivação era forçar os jogadores a reagirem, a serem de tal forma espicaçados, que em campo dessem uma grande resposta e trouxessem a Taça de Portugal para o Museu do Sporting, e assim compensassem os Sócios e Adeptos, após o falhanço inqualificável do acesso à Liga dos Campeões.

Mas este argumento tem uma falha, pois há bem poucos dias, foram revelados SMS em que Bruno de Carvalho revelava a André Geraldes que, após o falhanço do acesso à Liga dos Campeões a vitória na final da Taça de Portugal não o compensaria em nada.

Assim sendo, espero que rapidamente se saibam as respostas a estas perguntas, sob pena de ficar a sensação que alguma peça fica a faltar neste puzzle, e que afinal os argumentistas que fazem os filmes e séries policiais insistem num erro grave, que é tentarem durante os episódios responder a estas duas questões, mas pelos vistos, estas perguntas não precisarem de ser respondidas para alguém ser acusado, e por isso esta é a Crónica do Crime.

P.S. – Será que ao longo da história sempre que um casal, ou um par de namorados, ou amantes, tenham cometido suicídio, poderemos argumentar que Shakespeare por causa de Romeo e Julieta foi o “autor moral” desse ato?

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981

DOMINGO DE CINZAS

“Jamais se desespere em meio das sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.” – Provérbio Chinês

PONTO PRÉVIO

Sou o fundador do Blogue Banco de Suplentes. Convidei algumas pessoas para aqui escreverem de forma livre e sem condicionalismos.

Tudo o que aqui escrevo é o que penso, no que acredito e só a mim me responsabiliza.

EPISÓDIOS EM AVULSO

Ontem, domingo, 11 de novembro de 2018, foi um dia triste e cheio de episódios em avulso, que, de certa forma, ligam-se a outros episódios que aconteceram e, provavelmente, aos que ainda irão acontecer. Mas vamos aos episódios.

O EPISÓDIO DA NOVA ASSEMBLEIA GERAL DO SPORTING CP

A notícia espalhou-se na CS de que, em breve, presumidamente, aconteceria uma AG onde seria decidido a situação dos membros da anterior Direcção. Foi tornado público quer o envolvimento do actual PMAG Dr. Rogério Alves, quer a insatisfação da Dr.ª Rita Garcia Pereira.

O EPISÓDIO NO NÚCLEO DE LONDRES

Foi notícia na CS que o actual presidente do Sporting não cumprimentou Mustafá na sua visita ao Núcleo Sportinguista de Londres. Não houve nenhum desmentido nem esclarecimento.

DOMINGO – PARTE 1 – COMUNICAÇÃO SOCIAL

A informação antecipada. Depressa se difunde que Bruno de Carvalho está detido. E esta informação vai sofrendo alterações em alguns aspectos. Chega as redes sociais.

DOMINGO – PARTE 2 – MUSTAFÁ

O líder da claque Juventude Leonina é detido. As notícias espalham-se e as televisões avançam com a apreensão de droga. Caso que não é virgem nas claques ou nos grupos organizados de adeptos.

DOMINGO – PARTE 3 – A DETENÇÃO

O Dr. José Preto já prestou algumas declarações à RTP. Destaco a estas declarações porque, na minha opinião, são de uma perspectiva que não deve ser negligenciada.

Não era, na minha opinião, necessária, de todo, este constrangimento público de uma detenção a um domingo, perto do jogo do Sporting, e de quem sempre se manifestou colaborante com a Justiça e que sempre quis ver este caso “Alcochete” resolvido.

DOMINGO – PARTE 4 – A INOCÊNCIA

Tenho que fazer esta declaração por consciência e carácter: Eu acredito na inocência de Bruno de Carvalho. Acredito que o tempo irá demonstrar esta minha profunda convicção. Respeito quem não concordar comigo. E desejo que tudo seja rapidamente esclarecido.

Estou ao seu lado! Este é um momento particularmente difícil para ele – o Homem, pai e filho – em que é necessário alguma serenidade e contenção com o que se atira contra a pessoa.

E, todos sabemos, que não terá uma CS a apoiá-lo nem comentadores a justificar a sua inocência como vimos sobre, por exemplo, o Dr. Paulo Gonçalves.

Bruno de Carvalho é presumivelmente inocente até prova em contrário. Chama-se a presunção da inocência.

DOMINGO – PARTE 5 – A CONTRAINFORMAÇÃO E AS EVENTUALIDADES

O Sporting não tem paz! Nem nunca terá enquanto tudo não for devidamente esclarecido.

Impressiona-me a rapidez com que alguns comentadores televisivos colocam em causa a probabilidade de os jogadores terem razão nas rescisões que fizeram com o Clube.

Impressiona-me a conivência e a ajuda que muitos Sportinguistas dão no processo de contrainformação e da credibilidade que dão a algumas eventualidades sobre o Sporting.

DOMINGO – PARTE 6 – O JOGO E A VITÓRIA

E o jogo de futebol passou para segundo plano. Mas teve uma vitória importante. Sofrida. Até estranha com uma arbitragem anormal – para o que estamos habituados e idêntica ao jogo de Tondela – e com a ausência notada da maior claque do Sporting: Juve Leo!

Um agradecimento especial ao Tiago Fernandes por esta grande jornada da sua vida com três memoráveis jogos. Desejo-te tudo de bom!

CONCLUSÃO

A melhor conclusão é a de que não se pode, ainda, tirar conclusão deste domingo atípico e que ficará ligado ao Sporting, quer se queira ou não, como um trágico domingo.

É preciso serenidade. Paciência. E discernimento para saber filtrar toda a informação que é divulgada na Comunicação Social.

 

CARTA ABERTA A BRUNO DE CARVALHO

Olá Bruno.

Desculpa a familiaridade do tratamento, mas sinto que te posso, e devo, tratar assim. Sem merdas ou adjectivos. Sem rodeios e directo ao assunto.

Hoje é dia de escrever para ti, de dizer-te o quanto significas para muitos de nós. O quanto sentimos que te devemos por teres reerguido o nosso Sporting Clube de Portugal, por teres devolvido o orgulho de pertencermos à maior potência desportiva portuguesa.

Quando agarraste no clube ninguém o queria! Todos diziam que estava condenado… Que não havia safa possível… Mas tu, louco varrido, disseste que não era bem assim e que ainda havia muito a fazer. Logo nessa altura chamaram-te garoto! Suicida! Que ias ser comido de cebolada na negociação com os Bancos!

Mas nada disso aconteceu… Tu e a tua equipa lá conseguiram desencantar uma via e que eram eles, os bancos, que tinham de ceder. E eles cederam! E o Sporting, paulatinamente começou a recuperar…

Enquanto negociavas com a banca, começaste a falar grosso com os nossos adversários! Começaste a demonstrar que querias realmente um Sporting forte e pujante, como há muitos anos que não se via, e conseguiste… Conseguiste construir uma cultura de exigência e essa catapultou-nos para os títulos ganhos nas modalidades. Fomos campeões em todas as modalidades de Pavilhão!!

Ainda me vêm as lágrimas aos olhos quando recordo o título do Hóquei!! 30 anos depois, conquistámos este título na nossa casa, no Pavilhão João Rocha, que tu tornaste possível.

Com muita pena minha, parece que muitos sportinguistas não valorizam assim tanto o ecletismo…

No amaldiçoado futebol nada resultou… Nem as condições, nem melhores treinadores, nada nos fez ganhar o tão ambicionado título de Futebol… Forças mais fortes se ergueram e nem sempre foram as do desporto… Mas até neste deixaste a tua marca, com a introdução do VAR…

Ainda nos hão-de dar o título de 15/16. Esse que só não foi celebrado por nós porque as forças mal o atribuíram a outro.

Foi muito duro o percurso. Constantemente atacado por dentro e por fora, foste começando a claudicar. E nesses momentos, quando mais precisavas de nós sportinguistas, foi precisamente aí que te mostramos toda a nossa ingratidão.

Na primeira oportunidade, e num processo muito bem urdido, foste destituído… Foste-o por seres ambicioso e quereres que o teu Clube fosse o melhor e o mais ganhador… Foste-o porque a tua frontalidade sempre foi uma afronta aos cobardes que vivem nos corredores de Alvalade. Foste-o porque os sportinguistas cederam à pressão exterior… Cederam às narrativas do CM e das cartilhas lampiónicas para poderem ter um pouco de paz… Para poderem aliviar a pressão e terem algum conforto…

E assim foste afastado numa AG infame que conduziu à situação em que estamos hoje. Tudo aquilo que conquistámos nos últimos anos, vai-se perdendo lentamente…

O Orgulho devolvido, a garra para lutar por aquilo que acreditamos, mesmo que pareça impossível de alcançar, vai sendo lentamente substituído por um sentimento de afastamento, de exclusão, à medida que nos vão mostrando que o Clube é cada vez menos nosso.

Mesmo depois disto tudo, continuo a olhar à volta e a pensar que ainda és tu quem melhor representa fielmente aquilo que quero para o meu clube!

E por isso Bruno, por estar consciente de tudo o que tu tens passado nos últimos tempos, das injustiças que já se fizeram para te denegrir a tua imagem. Por isso Bruno dizia eu, quero agradecer-te por me teres ensinado a saber o que quero para o meu Clube!

Quero agradecer-te por tudo o que nos devolveste e por nos teres feito acreditar que era mesmo possível ser-se maior e melhor.

Não sei o que acontecerá amanhã, nem o que o futuro te reserva a ti e a nós, mas eu e muitos outros, não esqueceremos nunca o que fizeste pelo nosso grande Amor!

Serás sempre um marco incontornável na História do Sporting Clube de Portugal e esta, estou seguro, mais tarde ou mais cedo te absolverá.

Já sei que alguns me vão chamar Brunete, adepto do Bruno de Carvalho Futebol Clube, mas sinceramente isso não me atinge. Foste tu que me fizeste querer voltar a ser Sócio e contigo, aprendi que o Sporting pode ser muito maior do que é, desde que quem o lidere tenha ambição e talento.

Obrigado pelas lições Bruno. Obrigado por nos teres devolvido, mesmo que momentaneamente o nosso Clube e o orgulho de a ele pertencermos!

Respeitosamente,

Saudações Leoninas!

UM LAPSO NA COMUNICAÇÃO!

Um lapso na comunicação foi real? Se sim, alguém vai ter que explicar e assumir o que realmente aconteceu, porque aconteceu, e aparentemente há provas que são inequívocas que carecem de uma transparente explicação! De quem foi o lapso?

Na minha anterior crónica neste Blogue já tinha abordado o tema [clique aqui] sobre a estratégia utilizada, quando na passada sexta-feira [28/9], à noite, começou a circular nas redes sociais mais uma notícia sobre a recusa de uma providência cautelar. Agora, volto ao tema, para expor e para tentar esclarecer o que realmente sucedeu.

Passaram uns dias – vamos no 3.º dia útil – e, alegadamente, nada terá sido confirmado, segundo a versão de uma das partes interessadas!

E, assim sendo, estamos perante um problema. Melhor, perante um claro e tão óbvio lapso [e/ou precipitação] na comunicação?

Mas, vamos por partes, tentado decifrar o que realmente aconteceu, usando, tanto quanto possível, a cronologia dos factos:

28/09/2018 [sexta-feira] – após o jantar circula nas redes sociais uma pretensa recusa do tribunal de uma providência cautelar.

28/09/2018 [sexta-feira – 21:20] –  Nuno Mourão coloca no seu Facebook uma mensagem e cito:

“E hoje, com o indeferimento da providência colocada por BdC”

NunoMourão

28/09/2018 [sexta-feira – 21:48] – Nuno Mourão usa o seu Twitter para difundir a nova mensagem sobre, como diz, e cito-o:

E hoje com a derrota na providência colocada por BdC 

twitter Nuno Mourão

É importante notar influência de Nuno Mourão com muitos seguidores nas redes sociais e, no caso da imagem em baixo, no Twitter, fazendo difundir a mensagem:

twitter apoionm

28/09/2018 [sexta-feira – 22:15] – Sporting Apoio coloca um post a reforçar a mensagem. O curioso é que, supostamente, Nuno Mourão é deste grupo no Facebook. Continua muito activo nas redes sociais.

E o que diz a mensagem?

Indeferida providência cautelar interposta por BdC” e reforça com uma imagem, bem escolhida, de Bruno de Carvalho, porque a mensagem visual também é importante para criar o efeito pretendido, no caso, a alegada derrota:

sporting apoio

28/09/2018 [sexta-feira – 23:54] –  a recusa da PC – é finalmente notícia na Comunicação Social através do jornal online “O Jogo”, mas, com a particularidade de acrescentar alguma futurologia:

“apenas falta decidir sobre uma, mas o desfecho dificilmente não será o mesmo: a recusa” – conforme escrevi a minha crónica – clique e veja aqui a notícia do “O Jogo”.

IMG_1389 (1)

29/09/2018 [sábado – 00:04] – é a vez do jornal online “Record” difundir a notícia como se comprova aqui – clique e veja aqui  a notícia de “Record” – mas com uma confissão de algo muito interessante e cito o autor da notícia Vítor Almeida Gonçalves:

– “A decisão foi conhecida ontem e reveste-se de grande significado

[pergunto: ontem quinta-feira 27/9 ou durante o dia de sexta-feira 28/9?]

– “Agora, a juíza Susana Cabaço, no despacho da decisão, a que Record teve acesso, concluiu que “os requerentes não alegam factos concretos referentes ao dano considerável, limitando-se a tecer conjeturas e considerações sobre tal de forma absolutamente conclusiva”. “O que se impõe aos requerentes é a invocação de factos concretos de onde se retire a existência de dano apreciável na manutenção da deliberação social perante a demora do processo de impugnação dessa mesma deliberação e não os benefícios gerados por essa mesma suspensão”, lê-se.”

[ainda na senda das questões – O Record e/ou Vítor Almeida Gonçalves tiveram acesso – natural e legalmente ao despacho: Como é que tiveram acesso e aonde? Porque é inquestionável que tiveram acesso por citarem um despacho da Juíza Susana Cabaço]

Aqui fica a imagem do referido texto do jornal Record:

record pc

29/09/2018 [sábado – 08:41] – Henrique Monteiro, tão matinal, faz, também, uma confissão pública através do seu Twitter. Cito-o:

Já sabia, mas agora vem em todos os jornais. O tribunal chumbou a célebre providência cautelar de BdC…”

Eis o seu texto neste print:

HMjásabia

01/10/2018 [segunda-feira – 20:31] – O Doutor José Preto, advogado que representa o Dr. BdC, sobre estes anteriores episódios, escreve no seu Facebook e cito:

No Citius consta já o nosso pedido de informação;

Sentença, Ou despacho, é que não.”

Aos Leões

Temos então aqui que constatar que, alegadamente, o Advogado requerente da Providência Cautelar não foi notificado da Sentença ou Despacho e que nem no Citius, a mesma, se pode consultar, segundo do Doutor José Preto.

[Nota informativa: Citius é o nome atribuído à aplicação de gestão processual nos Tribunais Judiciais de Portugal].

Então a questão que importa saber é:

Se não era do conhecimento dos interessados, como é que sabiam, antecipadamente, da alegada recusa da PC para a noticiarem com toda a certeza e até citarem o despacho da Juíza Susana Cabaço?

O jornal Record e o seu trabalhador Vítor Almeida Gonçalves;

O jornal O Jogo e os seus representantes Rui Miguel Gomes, Rafael Toucedo e Filipe Alexandre;

Nuno Mourão com grande actividade nas redes sociais para difundir a mensagem da “derrota” da providência.

E o jornalista Henrique Monteiro que recentemente coordenador da Comissão de Fiscalização no Sporting Clube de Portugal.

Ou, de facto, já existia essa informação que podia, natural e legalmente, chegar ao conhecimento dos acima mencionados?

Retomando na cronologia dos factos:

02/10/2018 [terça-feira – 11:21] – O Doutor José Preto, advogado que representa o Dr. BdC, volta ao Facebook para confirmar a continuada ausência de algo noticiado há cinco (5) dias…

“Continuação da saga: nenhuma notificação no Citius quanto à pretendida decisão de suspensão de deliberação social de 23 de junho.”

Preto

Provavelmente tanta contra-informação, ou não, será uma estratégia de comunicação para desacreditar e afastar os defensores da causa em questão, ou alguém cometeu um lapso na comunicação?

Mas, a existir algum lapso, é de um elevado risco. E será que continuamos a “mexer” com a Justiça Portuguesa? – relembro que decorre o caso e-toupeira – e este, alegadamente e aparentemente, tem contornos muito idênticos e que levanta algumas dúvidas ou, no mínimo, a suspeição de ter alguma ligação no “modus operandi” ou é apenas uma interpretação?

Há aqui, de facto, fugas de informações judiciais? – pergunto e creio que todos nós gostaríamos de saber a resposta.

Mas a cronologia dos factos continua:

02/10/2018 [terça-feira – próximo da meia-noite] – Henrique Monteiro coloca um post no seu Facebook com o despacho cuja conclusão, levar a crer, ser de 26/09/2018 [quarta-feira] conforme imagem e link abaixo:

conclusao hm26

E o seu post é público com o despacho como pode constatar e consultar aqui:

Na troca dos comentários de Henrique Monteiro, no Facebook, explica:

comentsHM

Não creio que alguém tenha mentido ou ocultado informação. O despacho existe!

Como se justificam estes episódios relatados e como vão terminar?

Há ou não uma violação do segredo de Justiça?

É aceitável que o Advogado requerente ainda não tenha sido notificado, principalmente, antes da divulgação relatada?

Se falhou alguma coisa, o que foi, aonde e como?

Há uma série de perguntas cuja resposta urge!

Aguardemos disciplinada e pacientemente.

 

CRÓNICA SOBRE O DISCURSO DO ESTADO DA (DES)UNIÃO

Todos os anos o Presidente dos EUA desloca-se ao Congresso e faz o “discurso do estado da União”. Aí faz uma síntese, do que, em sua opinião, se passou durante o ano, como está o país no presente, e aponta os objetivos para o futuro.

160112211823-state-of-the-union-address-president-obama-arrives-opening-statement-02-00005921-exlarge-169

Tipicamente, durante este discurso, apoiantes e oposição agregam-se num só, em volta da figura do Presidente, principalmente em tempos em que tenham sofrido algum ataque, dando assim a imagem da força da União ao mundo através da união das duas forças.

Isto a propósito de no Sporting termos assistido a vários “discursos do estado da União”. Esses discursos são proferidos por vários “presidentes”. Temos o “presidente” Marta Soares, o “presidente“ Torres Pereira, o “presidente” Sousa Cintra, e por último o “presidente” Varandas.

O discurso de todos, os 4, era e é errático, mas todos estavam e estão alinhados, senão vejamos. Em Junho os discursos eram assim:

  • Os jogadores têm razão para rescindirem.
  • O Sporting vai pagar milhões de indemnização aos jogadores.
  • O Sporting não tem dinheiro.
  • O Sporting deve aos fornecedores.
  • O Sporting está em falência técnica.
  • Bruno de Carvalho desvalorizou os ativos, nós vamos trabalhar com os empresários e com os jogadores.
  • Connosco os jogadores vão todos voltar.

Em Setembro os discursos já são assim:

  • Os jogadores NÃO tinham razões para rescindir, nenhum.torrespereira_jogadores
  • O Sporting tem muito dinheiro a receber de indemnizações e não vai demorar muito a receber.
  • O Sporting tem pago com o seu dinheiro.
  • O Sporting deve menos que o Benfica e que o FCPorto.
  • A casa está arrumada.
  • Alguns jogadores pensam que são craques e os empresários só atrapalham.
  • O Gelson não pensou no Sporting.

Ou seja, como podem ver discursos com “cabeça, pernas e membros”

Já que se fala de união, vamos aos constantes pedidos de “união de todos os Sportinguistas” que agora são feitos. Vamos? Vamos lá então.

Onde têm estado todos estes requerentes da “união”, desde o dia 15 de maio, dia do ataque à Academia? Onde têm estado eles? Onde esteve essa união que agora tanto apregoam? Digam-me que eu não a vi! Só vi, isso sim, usarem o ataque à Academia, como arma de arremesso a Bruno de Carvalho.

Dizem os defensores da “união”, como é o caso do Artista do Dia, neste post que agora há fake news e outros acrescentam que “não deixam o Varandas trabalhar em paz”.

A esses só posso dizer: bem-vindos ao maravilhoso mundo real. Acordaram, agora, de um coma profundo onde estiveram mergulhados nos últimos 4 meses? Isto para não dizer anos? Ou será que tal como no filme de culto Matrix, tomaram o comprimido vermelho e agora já conseguem ver a brutal verdade?

Como podem pedir agora aquilo que não deram?

É por isso, e pelo estado a que as coisas chegaram, que em minha opinião, esta é uma CRÓNICA SOBRE O DISCURSO DO ESTADO DA (DES)UNIÃO.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde Agosto de 1981

P.S. – Marta Soares saiu. Teve 30 dias para dignar-se a responder à petição para marcar uma AG, entregue por mim no dia 10 de Agosto. Essa petição era representativa de mais de 1.500 votos no total. Não respondeu, como seria de esperar, de alguém que despreza profundamente os Sócios.

CRÓNICA DE UMA “GRANDE MENTIRA”

A “Grande Mentira” é uma técnica de propaganda que se baseia em que se uma mentira for tão, mas tão grande, ninguém achará que alguém é capaz de distorcer a verdade de forma tão infame.

Propaganda é informação que não é objetiva e é usada primeiramente para influenciar uma audiência, e ainda mais uma agenda mediática, apresentado factos de uma forma seletiva e truncada para criar uma perceção, ou usando um tipo de linguagem carregada de emoção. A propaganda é utilizada por vários tipos de organizações desde Governos a Empresas e algumas vezes pelos Media, que não só a difundem como a produzem.CM

Esta introdução é feita por causa de tudo o que temos vivido. E o que temos vivido?

Está tudo filmado e escrito, de uma forma que influencia a opinião pública, passando imagens até à exaustão com as palavras emocionadas de Governantes, choros de ex-atletas, palavras inflamadas de Sócios escolhidos a dedo.

Começa-se na Madeira com uma pequena altercação no Aeroporto, filmada. Passa-se para uma notícia escrita, pela manhã, de uma suposta corrupção da qual mais nada se ouviu desde então, e nessa mesma tarde por “coincidência” o ataque à Academia, e ainda maior “coincidência” havia, lá está, uma câmera de um canal a fazer zoom para uma estrada.

De imediato foi feita a ligação de um post de Facebook escrito em abril, à situação da Academia a meio de maio. Sem mais, sem provas, julgamento imediato, com tolerância zero. Compare-se com o que agora se diz em relação ao rival: que é preciso dar a “presunção de inocência”, que é “preciso uma fatura que comprove” a causa efeito. Palavras de Governantes? Zero. Palavras inflamadas de Sócios do rival nas TVs? Zero. Choros de ex-atletas do rival nas TVs? Zero.ferromarcelo

Acabe-se com uns apoteóticos e grandiosos 71% anunciados nas TVs mesmo antes da abertura das urnas de 1 a 7 votos, e esse mesmo anúncio feito quando as urnas de 8 a 20 votos estavam ainda a meio da contagem. Ninguém me contou, estava lá e vi.

A propaganda é tão grande que muitos Sportinguistas foram e vão atrás disto, e é por isso que em minha opinião tudo não passa de uma “Grande Mentira”.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – sócio 9.575-0 desde 1981

PS – dia 10 de agosto foi o dia em que entreguei as assinaturas de pedido da AG. Ao dia de hoje continuo sem ser notificado por Jaime Marta Soares, que mais uma vez teve tempo para estar numa TV a dar uma entrevista, mas não teve para me responder.

AS FORÇAS DO APAGÃO ALIADAS AS FORÇAS DA LUZ

Os portugueses já se habituaram as polémicas. Quase já não passam sem bombas – no sentido figurado – e vivem ansiosos por saber a próxima. Precisam deste alimento para o seu pensamento, para a sua memória e para guardarem no seu sub-consciência. Assim foram educados. E agora gostam de ser manipulados!

Na verdade, quase sempre, as bombas de longa duração – permitam-me assim classificar – foram e são as verdes. Para as encarnadas, e há muitas, existem sempre umas forças ocultas que evitam que venham a público ou que, caso falhe a primeira prevenção, outras forças forcem um apagão no dia seguinte.

Obviamente que este Gabinete de Crise tem várias equipas, mas, as forças de intervenção principais são as três equipas que têm como objectivo claro de:

1.ª Evitar a saída da notícia

2.ª Fazer um apagão das notícias inconvenientes 

3.ª Plantar novas notícias

  • por norma – dos adversários para reduzir o impacto ou sobrepor, passando a outra notícia a ter a visibilidade total.

Exemplos recentes dos apagões:

A) Na semana passada a Benfica SAD ter sido constituída arguida no processo e-Toupeira e nunca mais se falou no tema.

B) LFV esteve ausente e quase nada se soube sobre si.

Um dos exemplos que apareceram e desapareceram foi este, que como podem ver a notícia através do link (abaixo) é de 31 Agosto 2018 às 16:49 – e não se encontra mais…

“O Benfica foi punido com um jogo à porta fechada pelo IPDJ (Instituto Português do Desporto e Juventude). Os encarnados foram ainda multados em 56.250 euros, sendo esta a maior coima aplicada a um clube em Portugal.” Consulte aqui: Link

Todos temos consciência de que se o “protagonista” fosse outro, Clube ou Presidente, o caso, seria bem diferente!

Mas começam a ser muitos casos e alguns conseguem permanecer aos olhos do grande público.

No Sporting CP também começámos a ter alguns exemplos desta política, identificada como de sucesso.

Vimos algumas declarações bizarras de Sousa Cintra (veja aqui um exemplo: Link) serem quase ignoradas, mas, se as mesmas fossem proferidas por Bruno de Carvalho, todos sabemos, que o tratamento seria muito diferente.

O que isto significa?

Uma das possíveis interpretações é a de que a mesma equipa que defende o rival apoia esta Comissão de Gestão. Ou seja, o Gabinete de Crise assessoria este PMAG (demissionário), esta CG, CF e os seus aliados!

A ser assim – e para já estamos no campo das probabilidades – o que poderia significar tudo isto?

Certamente que nos levaria mais atrás e até ao início do ano, passaria pela destituição do CD de BdC – study case – e, provavelmente, seria um choque para muitas pessoas.

Na verdade, e indo ao início da crónica, educaram e habituaram os portugueses as polémicas mas foram selectivos nessa educação. E por que escolheram os Sportinguistas como o foco principal? A resposta é fácil e óbvia…

E porque é que alguns Sportinguistas compactuaram com tudo isto? A resposta é fácil e óbvia…

Não pode valer tudo pelo Poder. Nem o Poder pode fazer tudo!

Tudo isto da que pensar e repensar!

DAVID CONTRA GOLIAS

david-e-golias

Caros amigos, para situar esta crónica no seu lugar, recordo que:

Nas eleições de 4 de Março de 2017, Bruno de Carvalho foi reeleito com 86,13% dos votos. Estas eleições tiveram um recorde de 18.755 votantes. No dia 17 de Fevereiro de 2018, Bruno de Carvalho teve nessa AG, 89.55% dos votos.

A luta principal de Bruno de Carvalho é que o Sporting seja do Sporting, isto é, que o Sporting tenha a maioria absoluta da SAD. Essa é única e exclusivamente, a origem da contestação ao Presidente do Sporting Clube de Portugal.

Com isso Holdimo/Sobrinho/Ricciardi deixariam de mandar no Sporting e perderiam milhões, para além de perderem o controlo total da venda de jogadores (com os negócios de comissões milionárias fabricadas por empresários do qual Jorge Mendes é o cabecilha), o acesso aos milhões do contrato com a NOS, o negócio dos terrenos de Alcochete/novo aeroporto, a venda de património, incluindo o pavilhão, etc.

Perante este cenário, era preciso envenenar a opinião pública incluindo a opinião dos próprios Sportinguistas. Por isso aparece o acto terrorista de Alcochete, as rescisões de jogadores nucleares do plantel, a manipulação da Comunicação Social, com a conivência das autoridades desportivas, tribunais, membros do Governo, Presidente da Assembleia da República e pasme-se do próprio Presidente da República. Nunca visto em nenhum país do mundo!

Bruno de Carvalho pela primeira vez em muitos anos colocou as contas com saldo positivo, tirou o futebol profissional do Sporting do fundo da tabela e pô-lo a lutar pelo título, construiu um plantel de valor, contratou um treinador que na altura parecia ser a melhor solução, construiu um pavilhão, um velho sonho do clube, ganhou títulos Nacionais e Europeus nas modalidades, viveu e vive o Sporting como mais ninguém neste planeta vive e vibra pelo seu clube, 24 horas por dia!

Mas… Bruno de Carvalho fez frente ao alto poder financeiro. Era a luta de David contra Golias. David (Bruno) não tem experiência nem armas para enfrentar esta guerra contra Golias (putativa comissão) mas tem um forte cajado (a sua inesgotável força de vontade e o seu amor pelo Sporting) e muitas pedras (todos nós que o apoiamos incondicionalmente) para ferir de morte a besta inimiga.

Eu administro o grupo VIVA BRUNO DE CARVALHO no Facebook. O grupo tem cerca de 4000 membros. Organizei uma sondagem. Os membros com direito a voto diziam quantos votos tinham e se realmente iam votar. O resultado foi: O grupo vale 786 Votos. Nada mau para um pequeno grupo do Facebook.

No entanto há infelizmente gente do Sporting que se deixou intoxicar. É um pouco o espelho do país. Não se concorda com as políticas mas volta-se a votar nos mesmos. O problema dessas pessoas que apoiam esta putativa comissão, é apenas este:

Vale tudo contra Bruno de Carvalho. Se lhes mandassem comer lixo, seria o melhor lixo do mundo, melhor que o melhor petisco dum restaurante de luxo, desde que isso funcionasse contra Bruno de Carvalho! Esquecem-se é que há muita gente de bem que sabe que lixo é lixo e nunca passará de lixo.

Esquecem (ou querem esquecer) que apoiam criminosos que destruíram politica e economicamente o país. São contra eles (Sobrinho/Ricciardi e os seus capangas Jaime e Torres) enquanto corruptos e ladrões de bancos mas são a favor deles enquanto inimigos do Sporting e de Bruno de Carvalho.

É porque há gente desta que Portugal está como está. Que se lixe quem lhes tirou regalias, o emprego, a casa, as suas poupanças e os põe na miséria…

são contra Bruno de Carvalho?…
Excelente. grandes homens.
É lamentável não é?

©ArthurSantos (Sócio 3009-0 desde 1966)

Page 2 of 3

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén