Frederico Varandas decidiu resolver, unilateralmente e de forma imediata, o protocolo que tinha com 2 das 4 claques do Sporting. A Juve Leo e o Directivo.

Após mais uma jornada de contestação, ao desempenho da Direcção do Sporting Clube de Portugal, os protesto subiram de tom e, segundo notícias, Frederico Varandas teve de sair escoltado do Pavilhão João Rocha pela Policia.

Sempre fui da opinião que as claques chegaram tarde a este protesto e fizeram-no da forma errada!

Após Alcochete, a Juve Leo está ferida de “morte” pois, na minha modesta opinião, deixou-se envolver no ataque que provocou a destituição da Direcção de BdC! Por outras palavras, envolveram-se no “jogo politico” e agora estão a pagar o preço desse envolvimento.

É verdade que a Juve Leo, enquanto organização, não está acusada de nada, no que diz respeito a Alcochete, mas tem alguns dos seus elementos de relevo presos por alegada participação no ataque terrorista, não estando mais nenhum membro de outras claques identificado ou detido… Ou pelo menos é o que transparece pela comunicação social.

Para o público em geral e Sportinguista em particular, o juízo há muito que foi feito e a claque é culpada, pelo que é fácil a Frederico Varandas utilizar o fantasma da violência contra ela e desta forma, justificar a retirada de privilégios na aquisição de bilhética, recursos logísticos etc.

Qualquer incidente que haja, qualquer contestação que aconteça, qualquer acto violento perpetrado em dias de Sporting será sempre e invariavelmente associado às Claques ou a uma ou outra “facção” de oposição. Hoje, até o Vitor Espadinha, se voltasse a querer dar estaladões à porta do Holmes, seria visto como pertencente à JL ou aos “Leais”!

E a malta do Sporting aplaude estas medidas… Ficam bem e permitem que Varandas saia por cima de uma semana de protestos fortíssimos, pela eliminação da Taça de Portugal pelo Alverca!

Quando atrás referi ser da opinião que as Claques chegaram tarde e mal a este protesto, quis somente dizer que a oposição não precisa de nenhuma Claque ou GOA para engrossar o protesto ou para este ter corpo. Precisamos sim que os membros participem nas AGs e votações, na sua capacidade de sócios do Sporting clube de Portugal, deixando que o seu, ou seus, voto o represente ou que a sua opinião seja dada em nome próprio evitando desta forma, que se confundam os papeis.

E nesta medida, eu vejo o papel dos membros das Claques como os do Exército. Os militares, em público, estão proibidos de expressar opiniões políticas que ponham em causa a independência da Instituição Militar. Esta postura evitaria que o seu papel fosse posto em causa, como tem sido desde Alcochete.

E Frederico Varandas ganhou mais uns dias de descanso… A bola está do outro lado e agora cabe às Claques visadas responderem à altura e deixarem de ser elas a manter o CD “vivo”.

E já agora, porque falámos de Alcochete… Não seria hora de se ir sabendo algumas coisas agora que as “comadres” se zangaram?

P.S. Para quem esteja atento percebe o que o Frederico Varandas está a tentar fazer… Será que vai arriscar um PowerPlay?