Mês: Junho 2019

ESTAMOS A MUDAR O RELVADO

Estamos a mudar o relvado, o título, é apenas uma figura de estilo, portanto, em sentido figurado, que espelha bem (ou pretende) o actual momento que vivemos no Sporting CP.

Não é, claramente, um apontamento ao relvado físico do estádio, que, em boa hora, foi solucionado pela anterior Direcção. Até isso ficou resolvido e fechou-se a torneira para quem tanto lucrava anualmente.

Este relvado é um quadro (diria quase médico…) da actual saúde do nosso Clube que vê, quer se queira ou não, uma limpeza com o passado.

Mas agora ninguém se importa… E só há gente de bem!

Fenómeno Leonino

Chamar-lhe-ia, como já o fiz, de Fenómeno Leonino:

– No passado antecipou-se a Gala um dia e foi o dilúvio. Agora não há Gala…

– A Comunicação, em nova versão, tem uma característica linda e o ADN assinalável com um F******

– Há jogadores em saldo e a variável são os oferecidos ou dispensados. Não dar exemplos porque é sobejamente conhecido.

– O aumento das Gamebox é um não-assunto (para alguns).

– Estamos a desinvestir nas modalidades todas para apostar tudo no basquetebol, fazendo desta modalidade a menina dos olhos do Clube. (Isto porque não existia).

– E no próximo ano vai acontecer a maior limpeza de sempre de Sócios do Clube, em especial, os que tenham alguma ligação ao passado, seja ela emocional ou efectiva.

– E, tipo cereja no topo do bolo, temos um presidente do Clube que é especialista em contradição e em comunicação atabalhoada e que, ainda assim, ninguém cobra as promessas e as campanhas que fez e em que agora se esconde atrás do silêncio.

Hoje estará na Sporting Tv para falar, certamente, das AG´s e do aniversário do Clube.

Relvado em fundo, mudança em prioridade!

Em suma, e voltando aos sentido figurado, estamos a mudar a casa ou o relvado para uma nova época que promete e muito, mas pela negativa.  

Adeus modalidades ganhadoras, imagem de marca perdida, adeus Sócios com opinião contrária. Adeus atletas de referência, uma mística que se dilui no vazio, e adeus o cumprimento dos Estatutos como já aconteceu desde 23 de Junho de 2018 e nas AG´s que se seguiram.

Estamos a mudar o relvado e a casa, os princípios e a verdadeira essência, por isso, chamo-lhe o fenómeno leonino, relvado ou outra coisa qualquer, só porque, ao que parece, não ter significância para os Sócios e Adeptos, como, naturalmente, e expectável, não tem para a Comunicação Social que prefere promover o bambino Félix e esconder ou aliar-se do que se passa no Sporting, mais uma antítese, comparável com os tempos da anterior Direcção.

Mas ainda sobra tempo para mais uma verdadeira e superior cereja no topo do bolo, falo-vos do homem-estátua, que deu uma entrevista surreal passando uma imagem atípica mas condizente com a actualidade do Universo Leonino, de gente de bem e de quase, quase ou de ses ou ainda de F******…

Quando o relvado estiver mudado, e será já no próximo ano, não se queixem pois avisos não faltaram.

E sobre as AG´s esperem pelas surpresas!

Saudações Leoninas

O CÓDIGO DE BARRAS!

No dia 29 de Junho de 2019, no Pavilhão João Rocha, terá lugar a Assembleia Geral Ordinária do Sporting Clube de Portugal, onde se discutirá e votará o Orçamento do Clube para 2019/2020.

No entanto, a crónica de hoje não versará sobre o tema Orçamento, mas sim sobre a provável violação de uma das mais elementares regras do Sistema Democrático: A secreticidade do voto!

Antes de mais, importa referir que o Sporting Clube de Portugal decidiu que todas as votações nas Assembleias Gerais, sejam Eleitorais ou não, reger-se-iam pelas regras das votações das Assembleias Gerais Eleitorais.

Assim, no seu Regulamento da Assembleia Geral, que rege os trabalhos da mesma, tem a seguinte estipulação:

O artigo 41.º do mesmo Regulamento, no seu n.º 1, estipula que as votações são sempre directas e secretas.

Existem duas  vantagens do voto ser secreto:

  • Permite que as escolhas sejam feitas em plena liberdade sem possibilidade de coação de qualquer ordem;
  • Permite uma contagem mais fidedigna dos votos, uma vez que no Sporting um sócio pode representar de um a 20 votos!

No entanto, desde 23 de Junho de 2018, data da famigerada AG que destituiu a direcção de Bruno de Carvalho que ocorreram alterações que põem em causa a secreticidade do voto.

Foi precisamente nessa AG que se introduziu uma novidade no boletim de voto: um código numérico contendo a data, um identificador sequencial numérico e um código de barras…

Código Numérico: 20180623014495

Este código é “atribuído” na altura da acreditação, quando o sócio recebe os votos. A cada sócio corresponde um código diferente.

Se bem se recordam este tema deu alguma celeuma na nessa AG e na seguinte, a de 30 Novembro 2018, questionei o PMAG (o actual) sobre a utilidade destes “novos” elementos e o seu propósito…, tendo-lhe dito que considerava que a presença destes no boletim de voto, podia pôr em causa a secreticidade do voto, uma vez que o código podia permitir identificação do Sócio!

O PMAG mostrou-se “surpreendido” e prometeu indagar os serviços sobre este tema tendo-se comorimetido a dar uma explicação em breve… E lá continuou a AG, com a utilização dos votos com estes elementos.

As imagens abaixo são de dois boletins de votos da AG de 30/11 e pertencem a duas pessoas que fizeram a Acreditação uma a seguir à outra, no mesmo posto.

Uma breve análise dos dois boletins permite concluir que o identificador único é gerado no momento da Acreditação por um “programa” ligado a todos os computadores usados para Acreditar os Sócios. Só desta forma é possível fazer esta atribuição sem haver duplicações. A máquina que gera os identificadores tem de estar ligada ao programa de gestão / acreditação dos Sócios.

Já agora, usando um telemóvel e um leitor de códigos é possível verificar o que está no código de barras:

Na AG seguinte, a de 15 de Dezembro, o PMAG já tinha uma “explicação”! Cito de memória: “Foi-me assegurado pelos serviços que estes códigos não põem em causa a secreticidade do voto e que são necessários para a gestão dos serviços” (mas não explicou o porquê da sua existência).

Tendo em conta que o PMAG é um homem versado em leis, estava à espera de uma resposta mais consubstancial. O Dr. Rogério Alves garante… Será que um juiz também se rege pelas garantias do Dr. Rogério na defesa dos seus constituintes? Ou o Dr. normalmente, para provar o seu ponto de vista, tem de apresentar provas inequívocas das suas afirmações?

O engraçado é que, apesar de os códigos serem necessários aos serviços e tal, alteraram o boletim de voto… Terá o sistema evoluído em 15 dias?

O código sequencial no topo da página desapareceu! Ficou o maldito código de barras… outra vez sem explicação plausível para a sua existência!

Se estão curiosos para saber o que é que o código de barras contém vejam a imagem abaixo. É um código numérico com 12 dígitos onde já não aparece a data. Este código é diferente de Sócio para sócio, ou seja, é único!

A existência destes códigos de barras / identificadores associados a uma simples tabela de correspondência com o número de sócio permitem, sem qualquer dúvida, identificar o Sócio e revelar o seu sentido de voto, o que viola os Regulamentos em vigor no Clube.

Se no final de cada AG os votos e os códigos de barras forem lidos por um scanner, em matéria de minutos fica-se a saber quem votou no quê ou em quem.

Não chega o PMAG garantir ou os serviços do Sporting garantirem ao PMAG!

O Responsável pelo sistema tem de vir explicar o porquê da existência destes códigos no voto a partir de 23 de Junho de 2018! Qual é a sua utilidade e que medidas salvaguardam os sócios de “alguém” poder identificar o Sócio através desse código único.

Ou então uma Entidade externa e idónea, tipo a Comissão Nacional da Protecção de Dados (CNPD), validar este sistema garantindo que o mesmo não põe em causa os Regulamentos e a secreticidade do voto, podendo o sócio utilizar estes boletins sem o risco de ver o seu voto identificado.

Na falta destas garantias, os Sócios presentes em AG devem exigir, de forma cabal, a retirada destes elementos possibilitam a identificação do voto, sob pena da não continuação dos trabalhos enquanto isso não acontecer ou houver uma garantia formal que o identificador único não serve para identificar o voto de cada sócio, caso este se mantenha.

O Clube foi fundado em 1906 e durante 112 anos não precisou de identificadores numéricos ou códigos de barras nos votos para fazer as suas AG’s.

E para quem bate no peito e se arroga que este é um Sporting de Valores, então que se dê um sinal disso mesmo e se elimine de uma vez por todas estes elementos dos boletins de voto já nesta próxima AG!

Ou então fica provado que para quem gere os destinos do Clube, a Democracia e a Liberdade não são valores a ter em conta.

Saudações Loninas!

SOU DO TEMPO EM QUE VÁRIOS TEMPOS ATRAVESSARAM O MEU TEMPO!

Eu sou do tempo, recente, em que éramos feitos de silêncios nos cafés, do tempo em que não víamos as crianças equipadas à Sporting irem para a escola. Em que poucos adeptos viam as modalidades porque se dispersavam por pavilhões, muitas vezes, com poucas condições e distantes de Alvalade.

As coisas foram mudando…

Vi, nos últimos anos, nos cafés, mais Sportinguistas do que nunca com orgulho de serem do Clube, vi, também, com regularidade, muitas crianças vestirem as camisolas do Sporting. Vi muitas vezes o estádio cheio e uma vibração que não consigo traduzir por palavras.

Uma vez, pelo menos uma, lembro-me bem, no programa Juízo Final, que já não existe, dei um cartão verde aos Sócios e Adeptos do meu Clube com um reparo: para seremos campeões, primeiro, é preciso os adeptos terem mentalidade de campeão!

Expliquei a minha teoria que consistia por defendermos o nosso Clube e quem o representava, em todas as circunstâncias e em todos os lugares, cafés inclusive. Teríamos que, primeiro, ser campeões na exigência e no compromisso com o Sporting defendendo-o como se defende um filho. Ajudá-lo a crescer. Para depois sim, estarmos preparados para essa condição que há tantos anos almejamos sem sucesso.

Senti-me perto, muito perto, de ver o Sporting campeão, mas, estranhamente e por explicar, acabou por perder o campeonato para o Benfica.

Senti que, talvez fruto do entusiasmo de algo nunca vivido, estávamos no rumo certo e que chegaríamos lá. Fiquei na expectativa que também a justiça desportiva explicasse e corrigisse, se fosse caso disso, o que errado e ilegal tivesse acontecido nesse campeonato.

Hoje tenho a consciência ou a convicção que nessa época foi traçado um longo futuro que agora se cumpre em pleno. Agarrados ao ego e aos bons costumes voltamos ao progressivamente aos velhos tempos dos silêncios e da chacota em que os Sportinguistas vão desaparecendo porque não acreditam na Justiça, seja desportiva ou civil, vão perdendo a força e deixam morrer devagar a chama que outrora tiveram.

Há, agora, um Hitlerismo no Sporting, que quer aprimorar a raça de Leão, que quer criar um elitismo e um hábito de festa como se o futebol não fosse um desporto do e para o povo.

Filtram, pelo aumento do custo para os Sócios, que querem apoiar o Clube abrindo um fosso entre quem quer e quem pode.

Chamaram a isto #UnirOSporting!

Preferem os Adeptos com poder para assistirem ao espectáculo, os bem comportados, os chamados de bem, os que sem criticar pagam a sua ajuda, mas, em momento algum, fazem ruído ou manifestam sem medos o que pensam. O momento é de paz, usam a frase como uma senha e um slogan como se fossem regressados de uma guerra sem igual.

Não que a guerra não tenha acontecido. Aconteceu. Mas foi uma guerra de mentes perversas, já o disse, apenas afectou o Sporting. Beneficiando outros clubes e alguns personagens da nossa praça e não só…

Eu sou do tempo do nada, do quase e do agora.

Agora, com a bandeira de uma Taça que nada valia e de outra que deveria ter sido ganha no ano anterior, vemos jogadores dados, vemos negócios prejudiciais e outras coisas que ninguém ousa falar porque há um único alvo a abater.   

E estamos perto de duas AG´s para UNIR O SPORTING.

Ninguém explica as saídas gratuitas dos atletas, os gastos abusivos, a nova comunicação do Clube e os silêncios que se parecem com aqueles dos tempos dos cafés…

Como ninguém explicará, quando voltarmos ao passado, como ali chegamos!

Eu sou do tempo em que vários tempos atravessaram o meu tempo…

BACK TO LIFE!

Cá estou eu de volta aos escritos depois de duas semanas de merecidas férias. Aproveitei fazer alguma reflexão sobre o futuro próximo do Sporting Clube de Portugal durante este periodo…

Claro que escusavam de ter perdido a final do Campeonato de Futsal para o Benfica no meu último dia de férias e no aniversário do meu filho… CAinda assim, pude-lhe ensinar a “verdadeira essência” da actual corrente que gere o meu clube… “Mais vale participar e ser do bem do que ganhar!”

Como disse acima, esta pausa permitiu-me, de alguma forma, reflectir no que aí vem e chegar a um par de considerandos que gostaria de partilhar convosco:

  • A próxima época de futebol começa no principio de Julho e nunca será demais referir que esta vai ser “Alcochete free”, sem casos e com o controlo total por parte da actual Direcção. O Keiser pôde construir o seu plantel e vai ter de viver com ele e portanto, não espero menos que campeão e fazer um brilharete na Europe League.
  • Já agora tudo o que escrevi para o futebol de 11 é válido para as outra modalidades… Todas as competições em que entrarmos é para ganhar! Com ou sem Presidente na bancada a assistir!
  • Se eu fosse o Bruno de Carvalho iria à AG de 29 de Junho! Leram bem! Se eu fosse ele iria à AG do Orçamento! Querem melhor pessoa para confrontar o Fred e debater as opções orçamentais da actual Direcção? Imaginem o sinal que isso daria aos sócios se Bruno de Carvalho estivesse presente nessa AG e discursasse… Aposto que a expressão do Fred mudaria radicalmente… E a cor da cueca também…
  • E para aqueles que se estão a perguntar como é que ele iria lá, eu relembro que o Sócio Bruno de Carvalho está expulso e recorreu da Decisão do CFD e segundo os nossos estatutos, nomeadamente o ponto 7 do art. 28º, o recurso tem efeitos suspensivos até ser confirmado na AG de 6 de Julho!
  • Sobre a AG de 6 de Julho creio que o PMAG vai fazer outra vez aquele atropelo à Democracia (também é só mais uma…) que é abrir as votações enquanto os recursos estiverem ainda a ser lidos! Mas de Rogério Alves e sua trupe não se pode esperar muito!
  • Ainda sobre esta AG estou muito curioso para ouvir o Sócio Frederico Varandas opinar sobre a mesma e o Sócio João Benedito! Enquanto candidatos, na tentativa de caçarem mais alguns votos, expressaram contra as expulsões que pelos vistos agora acham por bem silenciar… Aliás o Varandas chegou a afirmar que com ele isso nunca aconteceria… Como não adorar a espinha vertebral deste homem!
  • Sobre o Orçamento gostaria de escrever algo, mas ainda não há proposta oficial… Espero que a mesma seja posta à disposição dos Sócios pelo menos na loja verde (é uma verdadeira vergonha se a proposta de orçamento não for disponibilizada de forma a que possibilite os sócios não residentes em Lisboa de a consultarem). Até lá não vou tecer nenhum comentário.

Saudações Leoninas!

COMUNICAÇÃO DOGMÁTICA

Hoje vou dispensar as imagens ilustrativas por respeito aos Leitores deste blogue, pois não os quero ferir mais porque já bastam os atropelos diários em diversos meios.

João Félix é a nova coqueluche para difundir, apoiar e promover, talvez um novo CR7, para comunicação social portuguesa. Grande investimento no miúdo.

São horas a fio nas Tv´s, capas de jornais e páginas intermináveis com, no mínimo, 3 clubes a bater a cláusula de €120M.

Sobre o Sporting CP é de registar a boa imprensa que conseguiu. Frederico Varandas é, finalmente, um presidente do SCP muito bem visto por todos os meios da CS, em especial, dos afectos ao SLB. O que é preocupante, digo eu! Mas ninguém se preocupa com isso…

Faz tudo bem até quando não faz. Diz coisas fantásticas até quando se exprime com dificuldade. O louve-se que até o seu silencio é apreciado quando em vez de defender a Instituição centenária SCP opta por ficar calado. Brilhante exemplo, para uns, não para mim, de uma comunicação de referência. É, aqui também, uma comunicação dogmática!

Depois há o mistério chamado: Tertúlia Sporting 2.0 que dá as notícias sobre o Sporting em primeira mão. Vou, abrir uma excepção no texto para colocar uma imagem para exemplificar:

O mais recente exemplo de comunicação da Tertúlia Sporting 2.0

Tenho estado a reparar, para espanto meu, que acaba por ser, não sei se a fonte de decisão ou apenas o meio oficial de divulgação, que nos tempos da nova geração de comunicação é a verdadeira fonte de noticias do Clube. Hoje ninguém se importa com nada e os tempos de exigência e transparência foram de férias ou faleceram ali numa esquina qualquer… Talvez seja o que o SCP precise.

Bem sei que o Clube não está órfão do seu papel de comunicar e até dizem que paga bastante para esse desígnio. Decisões de gestão!

A verdade é que os Sócios andam tranquilos, passivos e acomodados! Basta ver o recente Relatório & Contas [R&C] com uma gestão nada comparável com as anteriores e é vermos quem defenda este R&C apresentado. A palavra prejuízo voltou! Só falta celebrar…

Uma justificação para essa defesa até nas redes sociais deve ser o efeito da nova comunicação do Clube, bem paga, mas a actuar em todas as frentes, ao melhor cenário daquele canal de televisão que tão bons resultados já deu! Equipa que ganha não se mexe, diz o povo!

E com a aproximação das duas Assembleias o panorama Leonino promete muitas novidades, bombas de mau cheiro como é usual no Carnaval e uma lavagem cerebral aos que beberam o cálice do ódio. No fundo, nada de novo, ou seja, dividir para reinar que é um método tão antigo como eficaz.

Porque tudo se resolve com uma boa comunicação, em quantidade e em expressão dogmática, eis um sucesso fácil de constatar e de antecipar.

Como muitos defendem, agora sim, estamos no bom caminho, mas o que muitos não querem ver é o seu destino!

Depois não se queixem…

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén