Antes de mais quero dizer que fizemos um resultado espetacular na Madeira!

Empatar foi muito melhor que o ano passado! Ainda por cima conseguimos melhor resultado a jogar pior!!! E sem treinador!!! E com uma Direcção completa! E sem metade da equipa! Sim porque os que ainda conseguem jogar, sem suores e pesadelos, estão em baixo de forma por serem muito utilizados, já que os outros nem se conseguem mexer ou são o Jefferson.

Começo esta crónica por reafirmar que os mandatos são para levar até ao fim e portanto, esqueçam essa conversa de quererem a queda do Varandas!

Somos todos responsáveis pela situação que o Clube atravessa, porque garantidamente, todos contribuímos para a situação chegasse onde está agora.

Uns porque não defenderam, apesar de serem apoiantes ferrenhos, outros porque não queriam saber de chatices e confusões e outros, porque sentiam que os seus “valores” aristocratas estavam em causa pela forma como se comunicava no Clube.

Portanto, este bastardo é de todos nós, Sócios e adeptos do Sporting Clube de Portugal.

Há quem afirme, de forma veemente, que a situação tem de mudar já! Que temos de fazer isto ou aquilo para correr com esta Direcção! Mas quando lhes pergunto como se propõem a fazer isso, dão-me respostas pouco informadas e com fraca aderência à realidade ou impraticáveis.

Os que montaram este “golpe” não são propriamente burros e fizeram as coisas para que fosse praticamente impossível perderem  o controlo à situação! E a democracia há muito que abandonou este clube…

Então vamos por pontos:

1 – Marta Soares marcou a AG destituitiva recorrendo às alíneas a), b) e d) do nº 1 do art.º 55 que tem esta redacção:

1 – Extraordinariamente, a Assembleia Geral comum reúne-se em qualquer data:
a) por iniciativa do Presidente da Mesa da Assembleia Geral;
b) a pedido do Conselho Directivo ou do Conselho Fiscal e Disciplinar;
c) a requerimento de sócios efetivos, no pleno gozo dos seus direitos, com o mínimo de mil votos, desde que depositem na tesouraria do Clube a importância necessária para cobrir os gastos inerentes.
d) votar a revogação com justa causa do mandato dos titulares dos órgãos sociais, nos termos dos presentes estatutos

No princípio Marta Soares fez um grande alarido à volta das 3500 assinatura ou votos, (até hoje ninguém entendeu ou viu os documentos) mas depois, talvez alertado por alguém mais inteligente, resolveu marcar a AG por sua iniciativa  (alínea a).

Um aparte, acho estranho que tenha invocado também a alínea b na convocatória porque já não havia conselho fiscal e disciplinar e seguramente que o Conselho Directivo não lhe teria solicitado a marcação de uma Assembleia para se destituir. Mas com o Marta tudo era de esperar… O homem parecia um elefante numa loja de loiças, tal era o sentimento de impunidade… E nunca se fez rogado.

Ora dizia eu que Marta, avisado por alguém mais inteligente que ele invocou as únicas alíneas que permitem hoje ao PMAG poder rejeitar uma AG a requerimento dos Sócios, uma vez que para isso acontecer, e pelos nossos estatutos, além dos 1000 votos, os sócios têm de depositar a quantia necessária para pagar a AG.

O novo PMAG, Rogério Alves, já afirmou que uma AG dessas teria de ser feita no Altice, tal como a anterior, e como tal, estes sócios teriam de pelo menos reunir 160.000 euros… Bela protecção!

Ou seja, pela via estatutária esqueçam a destituição, a não ser que tenham uma carteira cheia de dinheiro e força suficiente para “obrigar” o PMAG a marcar a AG. Se conseguissem que isso acontecesse iríamos para o ponto seguinte.

2 – O Sistema de Votação.

Como é sabido, e fácil de comprovar, desde a AG de 23 de Junho de 2018, que misteriosamente apareceu um código numérico e um código de barras em cada voto, que é impresso na altura da acreditação e que é individual para cada sócio. Ora nenhum destes códigos alguma vez tinha sido usado anteriormente e até hoje ainda ninguém do Sporting veio esclarecer para que servem os ditos.

Na AG de 30 de Novembro eu mesmo interroguei a MAG, qual a utilidade daquele código e se este não violava a secreticidade do voto. Esta informou-me, através do PMAG, que os serviços haviam-lhe garantido que o código era inócuo, não conseguindo no entanto dizer qual a sua utilidade…

Tenho a informar o Dr. Rogério Alves que o que ele disse não chega, que tenho imensa pena, mas os Serviços podem dizer o que quiserem, mas se durante 5 anos não foi necessário o mesmo, porque é que agora faz?

E não venham com a história que mudaram de ‘software’ porque, na CI de sexta-feira, o Miguel Cal informou-nos que os sistemas do SCP estavam desactualizados e portanto concerteza que não foram actualizados em Maio de 2018…

Portanto, podemos assumir, até haver uma explicação cabal, que os votos podem ser controlados e quiçá adulterar-se resultados eleitorais. É por isso urgente que o Sporting venha esclarecer esta questão ou que deixe de utilizar estes códigos.

Em resumo, só há duas maneiras de fazer cair esta Direcção. Ou porque eles querem que caia, ou a malta pega em armas e toma de assalto as instalações do clube, fazendo com que eles entreguem o poder.

No entanto, continuo aberto a novas sugestões.

Até lá, continuemos a exigir ao PMAG que venha fazer o papel para o qual foi eleito, que é representar os Sócios e pedir explicações à Direcção do Clube e da SAD pela CI de sexta passada.

E talvez rezar para que chovam colchões em Alcochete… Já que se rezarmos por computadores, com ‘software’ actualizado, ainda podemos ser acusados de terrorismo, no caso daquilo acertar na cabeça de alguém.

Saudações Leoninas