Introdução:

Ontem estive em Alvalade para assistir ao jogo em que o Sporting CP venceu e convenceu o SC Braga por um expressivo 3-0 e tão bem soube, não só pela vitória, mas, essencialmente pelo jogo jogado. Mas fui um atento observador (também observado) do que aconteceu num todo e vou expressá-lo, aqui e agora, mais do que vi, o que realmente senti.

300000

TAKE 1

Um grande jogo merece uma grande assistência! Ponto. Não aconteceu, estiveram em Alvalade 27.673 espectadores o que é realmente sintomático e nos remete para uns tempos atrás onde os ventos eram assustadores e o futuro incerto com adeptos resignados ou incrédulos. Cada vez mais estamos próximos desses tempos indesejáveis. Muito próximos que, a maioria, continua sem uma profunda consciência.

TAKE 2

As claques, mais uma vez, iniciaram o seu apoio ao minuto 12. São o 12.º jogador. Reivindicam coisas que com as quais posso concordar e que, na maioria, já defendi em tempos idos. As tarjas são uma boa ferramenta para passarem as suas mensagens. E a de Fredy Montero: “SEMPRE…LEÃO… OBRIGADO” foi bonita de ver. E para Nani? O capitão da formação do Sporting, o Sportinguista que regressou à sua casa pela segunda vez não merecia mais consideração e respeito? Talvez as claques tenham as suas razões, mas, não só não entendi como não gostei!

TAKE 3

Foi bonito observar a felicidade dos Adeptos e Sócios que vibravam felizes com a exibição e os golos que construíram a justa vitória. Olhava-os e pensava: A falta de exigência dos Adeptos é uma constância que dá os seus frutos sem cor e sem sabor. Estamos atrás do Braga, temos jogado mal e é vê-los sem memória, felizes a viver o momento, como se tudo isso fosse natural ou como se o Sporting tivesse sido campeão várias vezes nos últimos 25 anos como o Abel perguntou. Já vive outra cultura de exigência que vai morrendo lentamente e se refecte dentro das quatro linhas.

TAKE 4

Onde andou esta equipa do Sporting nos últimos jogos? Ou, por coincidência, foi preciso saírem Montero e Nani para tudo mudar? Não que o Sporting fosse obrigado a ganhar todos os jogos por 3-0 mas a atitude e compromisso (são os mesmos jogadores) deveria ter estado sempre lá e não esteve! Porquê? O que aconteceu? O que mudou? Responda quem souber que não sei estas respostas…

Conclusão:

Há um Sporting diferente e, na minha perspectiva, não é para melhor. Uma classificação assustadora e exibições deprimentes têm sido o apanágio deste Sporting 18/19. E não venham com lamechas de verão que os gelados – esses sim são usuais no verão – não se comem com a testa. E assalta-me diariamente a memória de 2012. A mudança constante de treinador ao meio das épocas, as debilidades em campo e a ausência de títulos nacionais. Se é verdade que o Sporting não foi campeão, não há como refutar sem factual, também é verdade que já esteve mais próximo de sê-lo do que está ou estará, provavelmente, nos próximos anos. Mas, como ontem vi, os Adeptos estavam felizes e felizmente ninguém se aleijou. Haja saúde!

Saudações Leoninas