Estamos numa época festiva e de família. E, de repente, encontramos um Sporting paradoxal. Numa ruidosa luta entre o positivo e o negativo ou entre o bem e o mal. Vejamos:

POSITIVO

A equipa principal de futebol. Os mesmos jogadores em equipa técnica diferente e tudo mudou quase por magia. Bom futebol jogado, só vitórias, muitos golos e uma entrega (atitude e compromisso) dos jogadores. Forte reacção e muita pressão depois da perda da bola até recuperá-la e muitos passes, com transições ofensivas rápidas. Remates à baliza por qualquer jogador. Depois a aposta na “prata da casa” também faz a diferença e dá crédito à Academia de Alcochete.

Marcel Keizer é o homem que representa, de momento, e na perfeição, o lado positivo do actual Sporting.

NEGATIVO

A comunicação do Sporting! O exemplo vem de cima e começa no presidente Frederico Varandas.

Sobre a sua pronuncia em relação à Sporting Tv do passado já respondi na minha página do facebook e todos os anteriores comentadores deveriam tê-lo feito. Pela verdade. Pela justiça. E pela honra.

Depois vem uma campanha natalícia que engloba crianças e o momento mais triste do ano, um dos mais tristes da história do Sporting CP.

Até parece provocação ou algo que é superior ao entendimento do comum adepto!

Vejamos, para comparar, uma antiga campanha do Sporting na mesma época e, com os devidos descontos do tempo que passou e da evolução, nota-se uma clara diferença ou não?

Se esta tem cinco anos, e para compararmos melhor, vejamos uma campanha com três anos:

Parece-me ousado o caminho que este Sporting está a trilhar, ousado e arriscado!

Aquele erro informático ficará na memória futura e Cherbakov não esquecerá, certamente, tão depressa.

Depois, há algo de muito negativo a registar: A assistência em Alvalade de 12.103 espectadores esta semana e com a equipa a ganhar bem, a marcar muito golos e com bom futebol. Dá que pensar, melhor, deveria dar que pensar, e muito, aos responsáveis actuais do Clube.

Claro que no final, se o Sporting for campeão, como espero, e já anunciei, tudo valeu a pena e ninguém se lembrará de tantas negatividades…

Para mim, ressalvo, nem tudo justifica os meios para chegar aos fins pretendidos.

Entretanto vamos coleccionando momentos e histórias paradoxais, entre as AGs e as suas conduções restringidas, as campanhas e as comunicações de lapso ou criativas e os bons jogos de futebol.

Mas o Sporting não pode ser só isto! Exige-se mais, muito mais!

Boas Festas!