Aproxima-se mais uma AG determinante na história do Sporting Clube de Portugal. Uma AG diferente, em todos os sentidos, pois é a primeira vez que se realiza uma AGE pelos motivos conhecidos.

Enganem-se os que pensam que é uma Assembleia pouco importante para o futuro do nosso Clube, apenas porque vai deliberar sobre o destino de oito pessoas. As deliberações desta AG podem abrir um precedente sem igual (mais um) na história do SCP. Mas já lá vamos…

Confesso que estou cansada de tantos extremismos de opinião. Não me apercebi quando é que Portugal deixou de ser um regime democrático para passar a ser uma ditadura… De opiniões, pelo menos. E aqui, refiro-me a ambos os lados da questão: aos que são contra e aos que são a favor do levantamento das suspensões/expulsões.

Não interessa aqui quem começa, quem é mais aguerrido, quem publica mais posts e escreve mais comentários. Interessa aqui é que existe uma grande falta de respeito de ambas as partes, e isso não é nada bom. Se a isto juntarmos a quantidade de ameaças que os Leais têm sido alvo, o assunto descamba a níveis nunca vistos.

Acima de tudo há uma grande falta de compreensão por quem defende um dos lados. E aqui, tenho de puxar a brasa à minha sardinha. Porque o que esta direcção e os seus apoiantes ainda não perceberam é que nós, os «brunistas» como nos querem chamar, não nos conformamos com a falta de transparência. Com aquilo a que chamamos o «golpe» que foi feito. Com os inúmeros atropelos e histórias mal contadas que nos querem impingir todos os dias.

A herança da CG em geral, e de Sousa Cintra, em particular, é pesada para quem, como nós, começa a ter as certezas de que tudo o que foi feito e dito na altura, não bate certo.

O caso do ordenado de Bas Dost é só um dos vários exemplos: vinha sem exigências, afinal foi aumentado. Aqui não está em causa o excelente jogador, que tantas alegrias nos dá quando marca golo (sim, alegrias – ao contrário do que muitos afirmam, eu quero o Sporting a ganhar, a ser campeão!). Não está em causa se merece ou não. Nem a questão é frisada para «desunir» o que quer que seja. O que está aqui em causa é a mentira, a trapalhada, a falta de transparência do que foi dito.

Já nem vou detalhar a falta de imparcialidade de um órgão como o ex CF, com elementos como Henrique Monteiro, esse mesmo que esteve nas manifestações anti BdC ou de alguns elementos que tanto gostam de tertúlias e que depois decidiram a suspensão/expulsão dos elementos que tanto criticaram.

E de cada vez que se «desmonta» uma inverdade, cai o carmo e a trindade! porque «não nos conformamos», porque somos do «Bruno Futebol Clube» porque não promovemos a paz no Sporting.

Queriam paz? Era tão simples. Deixavam BdC ir a eleições. Se de facto nao representava perigo e os 71% eram reais, a derrota seria estrondosa nas urnas. Só nos restava “meter a viola no saco” e estava feito. Evitava-se tanta, mas tanta coisa, como o ponto a que nos encontramos hoje, por exemplo.

Voltando à AG do próximo sábado. Conheço muitas pessoas anti BdC que vão votar contra a suspensão/expulsão de qualquer sócio. Porquê? Porque simplesmente sabem separar o trigo do joio. Porque apesar de não quererem BdC mais no clube, não esquecem o que foi feito de positivo – que não foi tão pouco como isso – nem embarcam em histórias da carochinha.

Com os excessos que já foram cometidos de parte a parte, a julgar pelos motivos que levaram a esta suspensão, então a lista seria tão extensa, que várias AG’s semanais não chegavam para tanta decisão.

Vamos todos respirar. Parar e pensar um pouco. Chega de disparates e de injustiças. Vamos todos calmamente e de forma ordeira votar. Sem insultos. Sem excessos. Somos todos Sporting Clube de Portugal, um Clube que se quer eclético, justo e vencedor. No relvado e fora dele.