E COMO NÃO HÁ DUAS SEM TRÊS…

O assunto da semana não pode deixar de ser a AG30N. O Paulo e o Gil já escreveram nas suas crónicas (aqui e aqui) e eu já tinha abordado o assunto referindo a importância mobilização aqui. Esta Assembleia não será diferente.

E porquê? Porque como já referi, é no voto que nós sócios temos a nossa voz. Devemos votar em consciência e, como tal, devemos estar informados sobre os documentos que vão estar em discussão.

Tanto o ReC como o Orçamento são importantes e relevantes. O orçamento por ser o documento orientador para os objectivos da Direcção no próximo ano e o ReC porque valida parte da obra efectuada pelo anterior CD.

E sobre este assunto, não se compreende que em pleno século XXI, os sócios apenas tenham hipótese de consultar o Orçamento e o Relatório e Contas deslocando-se ao Centro de Atendimento no Pavilhão João Rocha. (Como descrito na convocatória).

Se estamos constantemente a receber emails do Sporting para pagar quotas, para ir aos jogos, com a agenda semanal… Até na altura das eleições recebemos mensagens dos candidatos, porque carga de água, não enviam os documentos por e-mail?!

Mais: Temos um site, temos um jornal do clube. Seria tão fácil! Este assunto não é novo, não é de agora e já vem das anteriores direcções. A única diferença é que, desta vez, não leio nem oiço indignação sobre o tema como num passado recente. Lá está. O tempo da união, parece que tem um efeito amnésico em algumas pessoas. (Será que se pega?).

Em relação à acta da AG23, sou da opinião que devemos pedir a leitura integral da mesma de modo a verificar que de facto é o relato fiel do que se passou e que é apenas uma e SÓ uma acta.

Sobre a intenção de voto, obviamente que não vou dar aqui nenhuma indicação. Cada um de nós deverá votar em consciência e com conhecimento de causa.

Quero apenas reforçar um ponto: nos últimos tempos, tudo o que é considerado oposição à actual direcção do Sporting é apelidado por diversas figuras, em diversos quadrantes e plataformas da CS como «gang», «tribo», «vândalos», «malucos». etc. Não só não é verdade como não é aconselhável este tipo de rótulos. A participação deverá e será com toda a certeza pacífica e cívica.

Ao contrário da imagem que querem fazer passar, o facto de nem toda a gente estar de acordo com esta nova forma de «unir o Sporting» não é sinónimo que essas mesmas pessoas sejam perturbadores da ordem ou que procurem qualquer tipo de confronto para fazer passar os seus pontos de vista.

Não contem connosco para ajudar a denegrir o nome do Sporting. Para isso já temos diariamente a CS que não se cansa de querer desviar as atenções dos assuntos gravíssimos que se passam do outro lado da 2ª Circular, perante a passividade da actual direcção. Mas isso são outros «500».

Contem sim connosco para participar democraticamente sempre atentos e vigilantes em todos os assuntos que dizem respeito ao nosso grande Amor. É este o meu apelo a todos vós.

Comentários do Facebook

Anterior

OUTRA VEZ AG30N!

Seguintes

CRÓNICA DO NUNCA OUVISTO

  1. ANTONIO BERNARDO

    REPITO comentário:

    REFLEXÃO RETROSPECTIVA com humildade e realismo:
    Democracia não é sinónimo de “chavões” e “etiquetas” de “Brunismo” ou outros…
    Porque é que não foi lida e aprovada a ata da anterior assembleia, como manda a lei?! Há que entender que muitos dos que votaram na destituição foi base em afirmações do Marta Soares, de que TODOS se poderiam candidatar, tendo havido uma queixa de um sócio (coincidência, hoje membro do CF de Varandas) para que BdC fosse suspenso/ castigado, não podendo ser candidato. O (“processo”) que “nasce torto, tarde ou nunca se endireita” a começar, pela AG de 23 de junho, com o motivo de “justa causa” para a destituição a não ser discutido, e seu contraditório (ou não), anterior à votação. A maioria dos sócios votaram e foram embora ou seja, sem estarem presentes na dita assembleia, a “totalidade” dos que a promoveram. A questão da “justa causa” é para “leigos” e formados em “iliteracia”/ ignorância? Ou os que têm “razão” (?!) não terá sido com base em “opinion media” formada (ou manipulada?) via CS, tipo ABola, CM e/ou CMTV, com empolamento, de modo a caminhar num determinado sentido de voto? O tema “controverso” da JUSTA CAUSA não é assunto de tribunal? Os sócios estavam devidamente esclarecidos, para votarem em consciência?
    Como é que TODOS os excluídos e MAL VISTOS pela anterior direcção, num “clique” passaram a COMENTAR assuntos internos na CS? A CMTV a direccionar a sua programação, diariamente, para o tema Sporting e esquecer assuntos “gravíssimos” do “outro lado” e que nos vai ao “bolso”. A que propósito e serve a quem?! Andam todos ESQUECIDOS das famosas CARTILHAS? Onde pára Carlos Janela?, que na CMTV “destilava” ÓDIO sobre BdC/ Sporting. Basta ir ao “ARQUIVO” e recordar quando tudo começou e, mesmo com temas “POLÉMICOS”, tipo comentários após jogo em Guimarães, assunto Marco Silva e ida ao balneário no jogo em Chaves, para que ganhasse as eleições com um resultado estrondoso! Ao anterior presidente já era conhecida a sua personalidade e, mesmo assim, foi merecendo apoio até ao momento em que, publicamente, se falou no percentual accionista da SAD e especulou no “perdão” da dívida. É certo, ninguém ignora (até o próprio) que passou a ter, nos últimos meses um comportamento “errático” e de má/ pouca(?) comunicação interna. Seria suficiente ou quem ganhou com o que aconteceu em Alcochete? Uma coisa é certa, foi com a anterior direcção que não deixou que se fosse à falência, iniciou a SportingTv, aumentou o número de sócios, a quotização passou para o Clube, aumentou o número de modalidades e de títulos nacionais e europeus, o património (finalmente) com o pavilhão e, talvez, o mais importante, o contrato de 515 Milhões da NOS (a quem não interessa?!), cuja negociação se dizia, pelos outros, não ser atingível e impossível… Concluindo, para UNIR é preciso não perdermos MEMÓRIA

Deixe-nos o seu comentário

Powered By WordPress & Tema por Anders Norén

%d bloggers like this: