Ontem o Paulo Afonso escreveu sobre a próxima AG de 30 Novembro. Partilho aqui para quem ainda não teve oportunidade de ler.

No entanto, gostaria de completar a crónica dele com mais alguma informação, porque pelo que tenho lido por essas redes sociais a fora, existe algum desconhecimento do que se vai passar nessa Assembleia.

 

A ACTA DE 23 de JUNHO

No início da AG o PMAG põe à votação da Assembleia a Dispensa da Leitura da Acta de 23 de Junho, para se passar directamente à sua aprovação. Ao contrário do que já li algures a aprovação da acta não tem de fazer parte da convocatória pois, é obrigatória a sua leitura e aprovação, pelo Regulamento da AG.

Com toda a controvérsia que houve em torno desta Acta, com as declarações de Rita Garcia Pereira a dizer que havia duas actas, uma escriturada pelo Notário e outra não, este é um momento de elevada relevância, pelo que sou firmemente contra a Dispensa da sua leitura.

Quero saber se, o que lá está escrito, representa fielmente o que aconteceu na AG de 23 e, para isso, não podemos dispensar a sua leitura, sendo que é a única forma de fiscalizar o seu conteúdo e garantir, que caso seja aprovada, que é uma representação fiel daquilo que realemnte se passou na AG de 23.

Tenho lido alguns comentários sobre a importância do Chumbo desta Acta. Gostaria de esclarecer o seguinte:

  • Segundo o Regulamento da AG do Sporting, no seu artigo 11.º, sobre a Acta da Sessão Antecedente, mais especificamente no ponto 3, as reclamações serão postas à Assembleia e resolvidas imediatamente após a sua leitura.
    • Isto significa que quem tem reclamações a fazer sobre a Acta só poderá intervir a seguir à sua leitura e colocar, nesse momento, as suas reclamações à AG;
    • Isto também significa que até a Acta ficar resolvida e aprovada a AG não continua.
  • Se a Acta for chumbada Bruno de Carvalho os resultados da AG são anulados.
    • Isto é MENTIRA! O Chumbo da Acta pode ajudar a reforçar o caso que já corre nos tribunais, mas não tem impacto directo na anulação dos resultados da AG de 23 de Junho.
    • Bruno de Carvalho só recuperará a Presidência se e quando o Tribunal decidir que a AG tem de ser impugnada por estar contrária à lei. E somente nessa altura ele poderá ser reconduzido.

 

O ORÇAMENTO

Já li também por aí que o Chumbo do Orçamento levaria à Destituição da Actual Direcção! Gostaria de saber em que é que as pessoas se baseiam para escrever semelhante coisa.

A Direcção pode ser destituída se não apresentar o Orçamento e o Relatório e Contas à Mesa da Assembleia Geral nos prazos estipulados, nunca por não serem aprovados! Aliás, o Orçamento se não for aprovado, continua a gestão por duodécimos, como aliás aconteceu até agora.

Invistam algum tempo a ler os documentos e depois decidam. Não vou por isso indicar a minha posição relativamente ao voto no Orçamento, porque julgo que todos o devem fazer em consciência.

O único motivo de destituição é se houver gastos acima dos ganhos sem que estes sejam previamente aprovados em AG. Claro que estamos a falar do Clube!

A PARTICIPAÇÃO

A participação nas AG’s, dos Sócios do Sporting, é sempre recomendada. E por isso, gostaria de apelar a uma participação responsável dos que nos lêem e que querem estar presentes na AG de 30 de Novembro.

Será importante que todos contribuamos para um ambiente democrático e saudável, onde a discussão e discordância possam contribuir para um debate elevado por ambas as partes.

É por isso essencial que mesmo que discordemos dos documentos apresentados pela Direcção, o saibamos fazer para que as nossas propostas, caso hajam, permitam melhorar esses mesmos documentos.

Um clima de guerrilha alimentado por nós não vai contribuir em nada para melhorar a situação do Sporting ou de Bruno de Carvalho, se por acaso estiverem a pensar que esse clima o beneficia de alguma forma.

Lembrem-se que ele, Bruno de Carvalho, sempre lutou com factos e argumentos para desmontar a “oposição” que lhe moveram. Sempre foi duro e frontal, mas sempre pugnou para que os seus adversários pudessem falar e expor os seus pontos de vista.

Uma atitude cega e fratricida, nesta AG, não fará com que seja feita justiça a nada e nem a ninguém. Somente fará com que sejamos iguais a quem planeou o Golpe.

Espero por isso, do nosso lado, uma oposição digna e responsável, para que nos possamos diferenciar da oposição que foi movida à anterior Direcção de Bruno de Carvalho e que tanto prejudicou o Clube. Saibamos nós distinguir o bebé da água do banho, de forma a que não os joguemos todos fora.

Obrigado a todos quantos nos lêem e espero encontrar-vos na AG de 30 de Novembro.

P.S. Será que finalmente vamos ser esclarecidos sobre o que se passou com o Artigo 65.º dos actuais estatutos? Não sabem do que falo? Leiam aqui para se recordarem ou ficarem a saber.