Algumas pessoas ficam escandalizadas quando eu afirmo que não sou deste clube a que chamam Sporting. Tenho 52  anos de sócio. Não comprei Game Box, deixei de pagar quotas, não vou ao estádio, não vejo os jogos na TV, não acompanho os resultados como não o faço com a outra agremiação do outro lado da segunda circular.

Mais: quero que percam todos os jogos que disputarem.

Mais ainda: Vibrei com a derrota com o Portimonense, vibrei com a derrota com o Arsenal e só lamento não terem perdido por mais!

Ah! mas continuo a ser Sportinguista. Continuo sim senhor. Mas como o Sporting não existe não tenho como gostar deste clube que o substituiu.

Estou a ser parvo? Fanático? Confundo Bruno de Carvalho com o Sporting?

Não, não e não!

Vejamos as coisas desta maneira, estabelecendo um paralelo com a política para ver se me compreendem melhor.

Imaginemos que a liderança do partido Socialista era tomada de assalto, assalto é o  termo correcto, por líderes do CDS. chegavam à sede do PS, faziam uma reunião para expulsar o seu líder, ocupavam as instalações e começavam a governar o partido.

Pergunta inocente:

Os militantes e simpatizantes do PS continuavam a apoiar o “novo” partido tomado de assalto por outro? continuavam tranquilamente a frequentar a sede do partido? davam apoio aos novos líderes?

Tenho a certeza que não!!!

Tudo fariam para voltar a repor a legalidade e continuarem a ser os Socialistas que nunca deixaram de ser!

Fiz-me entender?
Até para a semana

Sejam felizes
Arthur Santos