Comecei a pensar nesta crónica, estava eu em Milão, onde passei 3 dias em trabalho. Na sua principal Praça lá estava ele, o Leão, majestoso, poderoso, símbolo de força, junto da estátua de Vittorio Emanuele II, “o pai da Pátria Italiana”.leone-vittorio-emanuele-ii-monument-in

Itália tem excelente comida, excelentes carros, grandes clubes de futebol, mas também teve o “Calcio Caos”, o processo de corrupção que arrastou a Juventus para a Série B, iniciando o campeonato com -9 pontos na classificação, multa pecuniária, e perda dos títulos de 2004-05 – não atribuído a outro clube – e 2005-06 – atribuído ao Inter.

Em Portugal, o futebol passa por um processo, ou melhor vários processos, onde há suspeitas de corrupção e outros crimes, por parte de um clube. Fala-se de muita coisa, já há arguidos em alguns dos processos, mas os supostos corruptores ativos, dirigentes da agremiação rival, estão em liberdade, não estando, portanto, em prisão preventiva.

Mesmo havendo suspeitas e sendo arguidos, essa agremiação continua a sentir-se com direito a atacar tudo e todos – está no seu direito logo que dentro da lei – mantendo assim, os seus adeptos, convencidos que a direção está a defender o melhor possível o seu clube, mesmo que o “gato esteja escondido com o rabo de fora”.

Já no nosso Sporting temos uma direção que, chegada de fresco, continua calada no silêncio, sem dar uma prova de vida, parecendo que está no cárcere.

Varandas, não dá uma prova de vida em relação ao prometido durante a campanha eleitoral que “o campeonato de 2015/16 é nosso. Eu vi com os meus olhos muita coisa que não vai poder continuar”. Será que se referia a coisas como as que temos vindo a saber pelo caso “E-mails”? Mas então porque não fala? Está prisioneiro de alguma coisa que se passou entretanto?

varandaschora.jpg

Frederico Varandas, vê o seu treinador – sim, seu treinador, pois Varandas apoiou a decisão da contratação de Peseiro – mas dizia eu, que vê o seu treinador a ser atacado por Sousa Cintra e não vem defender o seu “grupo de trabalho”? Mas porque não defende o seu “grupo de trabalho”? Está prisioneiro de alguma coisa?

Varandas, que disse que os jogadores não tinham razão no pedido de rescisão por justa causa, que com ele todos voltariam e que iria defender os interesses do Sporting, anda agora, segundo os jornais, a “pedir ajuda a Jorge Mendes”. Mas Jorge Mendes é advogado especialista em rescisões? Esse não era o Juan de Dios Crespo? Está Varandas prisioneiro de alguma coisa?

Varandas nada diz acerca do rumo para o Sporting, nada diz aos Sócios, tem uma comunicação transmitida por canais oficiosos, pouco transparente, gerida de uma forma benfiquizada como já escrevera aqui na semana passada. Está prisioneiro de alguma coisa?

Adaptando ao atual Sporting o que dizia o co-fundador da Apple, Steve Wozniak – na imagem com Steve Jobs – acerca dos produtos que “inventava”: Varandas, ninguém vai amar este clube se tu não o amas.

stevewozniak

Varandas, como tu não o amas, quem o ama, vai, mais cedo do que mais tarde, criar uma alternativa. Uma alternativa para que os Sportinguistas e os seus Sócios se sintam majestosos, poderosos, tal como o Leão junto da estátua de Vittorio Emanuele II,  uma alternativa em que se revejam, com liderança, com um propósito, que defenda o Sporting, que não esteja calado, que transmita aos Sócios informação clara, porque essa é a melhor forma de os respeitar.

Até lá, Varandas, não espero nada mais do que fizeste até aqui, ou seja, nada. Não sei se por inaptidão ou porque não te deixam, mas na dúvida vou pela segunda hipótese e por isso esta foi uma crónica sobre Varandas prisioneiro.

Um abraço de Leão.

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde agosto de 1981