O alarme está feito! Repetidas imensas vezes. É preciso transparência e rigor. É preciso mudar o que continua mal.

São muitos anos de casos, de desconfianças e de provas constantes que acabam por dissiparem-se no tempo e no espaço.

Podíamos particularizar por clubes e depressa chegaríamos aos três grandes. Todos diferentes, mas todos significativos para o futebol português.

O caso “apito dourado” manchou a imagem do FC Porto nos finais do século XX. Outros tempos, outras ferramentas com resultados que acabaram por ficar na história.

Já neste século XXI temos vários casos que implicam o SL Benfica. E aqui há para todos os gostos, em diferenciação e em qualidade, que ganham dimensão com os casos dos emails e da e-toupeira que ainda correm na Justiça. Aconteça o que acontecer a marca Benfica estará sempre penalizada e o futebol português a perder…

No Sporting existiu aquele caso da Madeira, onde PPC foi julgado e condenado, que manchou o próprio Clube. Depois teve um Presidente que começou a mexer no futebol português, a denunciar os Voucher´s e a lutar pelo VAR e todos sabemos o que aconteceu. Já não está no Sporting nem no futebol português.

E não é só na Liga principal. Na 2.ª Liga Portuguesa também há coisas curiosas…

Serve tudo isto para introduzir mais um episódio, caricato ou não, que reflecte o actual estado do negócio futebol português. E digo negócio propositadamente por ser um dos maiores da sociedade portuguesa, se não, o maior por tudo o que envolve e mexe, indirecta e directamente!

As capas dos desportivos de hoje nada mencionam. Não sei se há algum pacto para não dar visibilidade a alguns episódios que mancham o futebol português, mas que, por norma, não são difundidos não são!

Tudo aconteceu na manhã de ontem no jogo da 2.ª Liga entre Estoril-Praia e o Varzim com um empate já nos descontos e que golo mas veja aqui:

Depois há a revolta dos jogadores, treinadores e dirigentes que, muitas vezes, levam à violência entre os adeptos.

Nuno Capucho fez as declarações em directo para o canal Sport Tv, única maneira de não calar a sua revolta.

“A análise que faço é que este futebol português é uma vergonha. É a única coisa que tenho a dizer às pessoas. Desta maneira, como as coisas estão, é impossível as pessoas virem ao futebol. Parece que está tudo feito, tudo controlado e parece que já definiram as equipas que vão subir. É assim que os clubes querem o futebol português? Este futebol é uma vergonha! Interprete por onde quiser, o futebol português é uma vergonha!”

Sabemos todos, por diversas experiências, que se não fosse em directo não teria difusão. Que não é por acaso que os jornais – e todos eles (onde andam a CM e CMTV?) não deram destaque a este episódio.

Sabemos que o treinador vai ser exemplarmente punido!

Sabemos que os Órgãos como a FPF, a LPFP, Conselho de Arbitragem ou os vários Sindicatos estarão, mais um vez, calados. Nem Ministros nem outras entidades do país dirão uma palavra que seja…

E tudo isto leva a descredibilizar o futebol português e a afastar os adeptos.

Até ao dia em que o futebol será um produto exclusivo da televisão e os jogos tenham meia-dúzia de adeptos para fingir que é um espectáculo ao vivo e a cores…

Triste futebol português cá na nossa terra!