Ontem, sexta-feira 28/9, após jantar, começaram a circular nas redes sociais mais uma pseuda-notícia sobre uma recusa de uma providência cautelar…

Depressa foi difundida – a recusa – por o jornal online “O Jogo”, mas, com a particularidade de acrescentar alguma futurologia:

“apenas falta decidir sobre uma, mas o desfecho dificilmente não será o mesmo: a recusa

IMG_1388

– notícia assinada por: Rui Miguel Gomes, Rafael Toucedo e Filipe Alexandre Dias 28 DE SETEMBRO DE 2018 às 23:54 – como podem constatar na imagem abaixo:IMG_1389 (1)Se já é mau existirem fugas sobre a informação judicial, sem que os principais intervenientes tenham conhecimento em primeira mão, não é melhor, esta forma, tão regular, de fazer jornalismo via redes sociais e/ou fora de horas para que não existam possibilidades de confirmação ou de contraditório.

Também ninguém agora se importa que possa prejudicar a equipa de futebol – ideia de outros tempos – possibilitando até reacções de antigos “heróis” ou “pseuda-salvadores” do Sporting, como, a título de exemplo, esta de Henrique Monteiro tão matinal como venenosa:

dbec73de-d5f6-46b2-8660-43c14e78c499 (1)

Mas porque será que insistem em atacar a causa e o Homem?

Mas porque será que a imprensa dá cobertura a esta e as outras questões que prejudiquem o Sporting CP?

Ontem, a imprensa, deu destaque ao caso Nani que foi devidamente ajudada por o treinador Peseiro na sua conferência de imprensa.

Isto durante o dia. À noite veio a questão da recusa da providência cautelar num claro jogo tântrico…

Afinal a quem interessa manter as atenções concentradas em Bruno de Carvalho?

Ao próprio não será que tem estado em silêncio, o que, diga-se em abono da verdade, tem desgastado muita gente. Há silêncios que incomodam muito mais que um milhão de palavras.

Mas, mais uma vez, e não há coincidências, ontem à noite aconteceu uma Assembleia Geral no rival Benfica. Ora nem mais…

Cada vez que há barulho ali ao lado, levanta-se um tremendo vento para os lados de Alvalade que faz tanto barulho que abafa todos os ruídos do vizinho.

E isto é regular, histórico e fácil de comprovar. Nem precisam de fazer um grande esforço de memória para recordarem alguns episódios.

Também é um jogo tântrico! Uma estratégica cautelar!

E os Sportinguistas continuam bombardeados com contra-informação, de olhos vendados e recusam destapar os ouvidos. Fingem que os outros é que são malucos, que é preciso uma paz podre e quem não estiver de acordo é banido, expulso do seu Sportinguismo ou mesmo do próprio Clube.

Até quando?

Até quando deixarão esta manipulação tântrica, num jogo cautelar e com a devida influência, vinda de dentro e de fora, toldar a realidade que, teimosamente, recusam ver?

Até quando, Sporting?