Só e apenas isto: dizer o que se pensa. Parece que nos dias de hoje, dizer o que se pensa é contra natura, só porque sim. Só porque não se quer ir com a corrente.

Isto a propósito da derrota do meu Sporting ontem, com o Braga. O meu Clube perdeu é um facto. E perdeu porque a equipa jogou zero! Perdeu porque, na minha opinião, temos um treinador que é isso mesmo: zero. A todos os níveis. E uma equipa em sintonia com Peseiro, cujos jogadores vão para as redes sociais responder aos adeptos. Mas como é para «chorar» e pedir desculpa, está tudo bem. Perdoa-se tudo, não é verdade? (Na altura das rescisões, foi estranha a falta de palavras para com os Sócios e Adeptos. Devia ser falta de rede…)

Mas parece que agora não se pode dar a opinião sobre o treinador, a equipa, a direcção, o relvado, o penteado, o que for. Mas calma, não é qualquer pessoa. Os únicos que não podem emitir qualquer opinião são quem? Os que defendem a antiga direcção. Essa mesma presidida por aquele que era carinhosamente apelidado por «pequeno ditador». Irónico, não?

Então estamos neste ponto: qualquer pessoa conhecida por não estar de acordo com o golpe levado a cabo por Jaime Marta Soares e sus muchachos, que levou às eleições de 8 de Setembro, cada vez que emite uma opinião sobre qualquer dos assuntos referidos anteriormente é acariciada com os termos «destabilizadora», «brunista», «intriguista», etc. E estou a ser simpática nos adjectivos.

Somos acusados de não querer a União, a Paz. Agora temos de ser carneirinhos e não é glamouroso emitir opinião quando as coisas não correm bem ou, simplesmente, não estamos de acordo com algo. (Ler crónica do José Gil aqui  )

Ao que chegámos!

Tudo isto me leva, cada vez mais, a querer ser a Resistência a este Sporting! E resistência é necessária! Porque precisamos do contraditório. Porque não somos carneiros e temos opiniões. Porque todos nós sempre fomos treinadores de bancada, jogadores de «solteiros e casados», mestres no opinar sobre aquela que é uma das nossas paixões. Porque o amor a um clube não significa que se dispensa a falta de crítica.

Quem é esta gente para vir agora dizer que eu não posso afirmar que estávamos melhor servidos com outro treinador? Que os desertores nunca deveriam ter regressado? Que isto é uma fantochada das antigas?! Quem é esta gente para vir agora afirmar que eu não posso dizer «eu bem avisei?» Era o que mais faltava!

Com tudo o que está acontecer, só me lembro da Michelle Dubois da incrível série “Allo Allo“.

Tal como ela, vou dizer isto apenas uma vez e em maiúsculas para que fique bem destacado: EU NÃO QUERO QUE O MEU SPORTING PERCA!! Não fico feliz, satisfeita, com os olhos a brilhar, não!

Não há nenhuma exultação só porque já estávamos à espera, mais cedo ou mais tarde, das coisas começarem a correr mal. É o Peseiro, minha gente!! Estavam à espera de milagres?! Um treinador cuja exigência é zero? Que é só sorrisos e abraços no fim do jogo… Que tem o descaramento de dizer que «este resultado não perturba?» Só não perturba a quem não é do Sporting!!

Claro que nada está perdido. Claro que ainda estamos no início. Mas isto não é a feijões!

Estou a marimbar-me para a União. Num Clube onde a mesma nunca existiu, virem agora com lições de moral é, no mínimo, uma hipocrisia de todo o tamanho. Seja «Brunista», «Varandista» ou o que for.