«Vim para o Sporting por causa de um projecto desportivo que já não existe, que se desmoronou por culpa exclusiva do Sporting Clube de Portugal”.

Bruno Fernandes

Ver carta de rescisão aqui

Esta é uma das frases que consta na carta de rescisão de Bruno Fernandes. «Por culpa exclusiva do Sporting Clube de Portugal». Assim. Com todas as letras.

«Por culpa exclusiva do Sporting Clube de Portugal». Esta frase não me sai da cabeça, porque foi dita pelo actual capitão do Sporting Clube de Portugal.

E custa-me. Custa-me muito ver o Bruno Fernandes (BF) com a braçadeira, porque não consigo esquecer que a atitude que teve com o Clube, Sócios e Adeptos.

BF não rescindiu com o Presidente do Clube, rescindiu sim com o Sporting Clube de Portugal e com os Sportinguistas.

Mesmo sendo o jogador fantástico que é, esta é uma braçadeira «forçada». Eu senti-me atraiçoada, e desrespeitada, por um jogador que foi para o Mundial, e só depois de regressar, rescindiu o contrato com o seu clube.

Pelo caminho, esteve perto do Benfica mas acabou por renovar e ficar no Sporting. Já para não falar de se dar a braçadeira a BF quando temos Coates e Mathieu, na minha opinião, muito mais merecedores.

img_5347

Envergonha-me. Até pela imagem que dá aos atletas da formação: o atleta «desertou», voltou e é recompensado com a braçadeira.

Vai contra tudo aquilo que considero serem alguns dos valores fundamentais pelos quais, acredito, que a maioria das pessoas se rege. Quem merece ser capitão é quem não desertou. Ponto!

A braçadeira não pode ser dada a quem demonstrou tão pouco amor pelo clube!

Não pode ser para quem não respeitou os Sócios e Adeptos do clube que o receberam como um filho pródigo!

Mas a realidade é que foi!

Já os dois últimos capitães, esses sim verdadeiros filhos da casa, tiveram comportamentos nada condizentes com o seu estatuto de Capitão e de ídolos de gerações inteiras de Sportinguistas, tendo renegado completamente o seu passado no Clube, em troca de 30 moedas de prata (hoje, a moda é mais salvas…).

Envergar a braçadeira de capitão do Sporting Clube de Portugal não pode ser para qualquer um.

Apesar de não concordar com a escolha, continuo a desejar a maior sorte do mundo àquele que é na realidade o capitão. E que tenha o discernimento e a sensatez de conduzir a equipa à vitória, jogo após jogo. Porque, afinal, é o capitão do meu Sporting Clube de Portugal.