23/06

Prometi, que só ia escrever sobre a AGE23, quando a situação do Sporting estivesse resolvida e «estável» novamente. Com a devida passagem do tempo que me permitiria ver o que ali aconteceu de uma forma mais fria. A situação não é a ideal, mas sinto que é tempo de escrever.

Terminei o dia 23 de Junho, depois de 12 horas dentro do Altice Arena, com a seguinte frase no meu Twitter: «Temo pelo meu Sporting». No entanto, quando o dia começou, nada o fazia prever.

Uma nota prévia a este meu relato: este escrito é um testemunho daquilo que os meus, e só os meus sentidos apuraram. A minha leitura. Uns poderão ter sentido diferente. Outros, que nem lá estiveram, falaram com a propriedade de quem está habituado a dissimular ou a seguir cartilhas, como certos jornalistas da nossa praça. Outros poderão concordar comigo. Entendam como melhor vos aprouver.

O Início

img_9749

À chegada ao Parque das Nações, uma dezena de cameras de filmar, outra igual de jornalistas de  microfone na mão, despertavam a curiosidade de turistas e «passantes». O encontro estava marcado, com os consócios do Núcleo Sportinguista do Twitter – na sede mais ecológica do país (uma árvore) – para as 12h.

A recusa de algumas pessoas em falar para a CS mostrou desde cedo o sentimento de alguma «revolta»: «Não quero falar» ou «o voto é secreto» eram as respostas mais ouvidas.

Entrei no Arena pouco antes das 13h. Os lugares escolhidos mesmo em frente ao palco permitiam a audição e visão claras de tudo o que ali se fosse passar.

Ao contrário do que foi dito e repetido, não vi nenhum grupo de 50/60 sócios organizados «apenas nos lugares da frente» apostados em armar confusão. O que vi foram reações quase guturais de sócios de cada vez que avistavam algo que lhes desagradava. Um exemplo: José Eduardo a passear-se pela «zona reservada». Outro: cada vez que Jaime Marta Soares falava. E isto foi uma constante durante toda a assembleia.

Eu estive à frente, estive atrás. Estive lá em cima nas bancadas – havia apenas um bar a funcionar o que obrigava a percorrer todo o piso do Altice e subir a escadarias até à porta de entrada – estive perto de uma hora para votar, com a fila a começar na última bancada do Arena. E os protestos, os muitos protestos ouviam-se em todo o pavilhão. Não apenas numa determinada zona.

Inscreveram-se várias pessoas para falar. Contei até aos 47 consócios. Desses, apenas seis discursaram a favor da destituição. E sim, foram vaiados. E não, não apenas por 50 sócios sentados à frente do palco. Os outros 41: palmas.

Todo o ambiente que se fez sentir naquelas 12 horas que lá estive dentro era contrário ao desfecho da votação. Marta Soares inicia a sessão perguntando se queremos deixar a CS gravar a Assembleia. Deve ter recebido a maior vaia da sua vida. Decide a aprovação da acta da assembleia anterior que, por sinal, já tinha sido aprovada na AGE de 17 de Fevereiro. Queixa-se que não o deixam falar. E na imensidão do Altice, são 50 sócios que não o deixam falar?…

O número de pessoas vai aumentado significativamente durante a tarde. Se disser que deviam estar 40 graus dentro do pavilhão, não devo estar longe da verdade. Nem nos melhores concertos da minha vida a dançar e a pular me lembro de ter passado ali tanto calor! Se a isto juntarmos apenas um bar… É no mínimo estranho para um evento desta envergadura.

Bruno de Carvalho e Álvaro $obrinho

img_4036

O primeiro episódio da tarde dá-se com a entrada de Álvaro Sobrinho. Na fila para votar, oiço as pessoas dizer que Sobrinho vai à AGE. Ninguém acredita até à sua entrada – escoltada – pela entrada lateral no 1º balcão do pavilhão. Quando as pessoas se aperceberam que era mesmo ele foi o caos. Porque entrou Sobrinho escoltado? O que temia? E porquê? Não saí da fila. Não sei se houve agressão ou não. Sei que o próprio desmentiu. E sei que o homem foi insultado, vaiado e teve de se barricar no WC, tal foi a revolta demonstrada pelas pessoas quando o viram.

O segundo e mais significativo episódio da tarde acontece com a entrada de Bruno Carvalho e de outros elementos do ex CD no pavilhão, perto das 19h. Só me apercebo que é BdC quando oiço gritar «Presidente». Oiço palmas, vejo as pessoas dirigirem-se a ele e abraçarem-no. A ele, a Carlos Vieira, a Luís Gestas. Aquela que foi uma entrada triunfal, perante o olhar incrédulo e preocupado de Marta Soares e Eduarda Proença de Carvalho. BdC dirige-se à mesa para pedir a palavra, o que lhe é recusado.

Os momentos que se seguem são de espera, de incerteza do que vai acontecer. Nesta altura, aproveito para ouvir as pessoas. Ver o que se passa. Escrever alguns tweets. Bruno de Carvalho vai votar e com ele, os elementos do CD que o acompanham. As pessoas aplaudem e pedem «Não desista de nós». Recebem sorrisos e abraços e, como resposta, «Não se vão embora. Fiquem até ao fim da contagem!».

Vejo um misto de emoção e preocupação nas suas caras. Entoam-se cânticos, grita-se pelo presidente. E espera-se. Todo o ambiente que ali se vive, todas as conversas durante o dia, todos os indicadores levam a crer que a votação será contra a destituição. Até ao momento em que começa a contagem dos votos e, com ela, a contra informação.

Não sei como é possível que, uma hora e meia depois do início da contagem dos votos, a CS já tenha os resultados bastante aproximados dos reais. Sei que se formou uma fileira de sócios em frente às mesas com as urnas para a contagem dos votos. Ninguém arredava pé. Não podia cair um voto no chão, JMS não podia levar uma mão ao bolso sem que os sócios estivessem atentos e a chamar a atenção.

Os primeiros resultados na CS mudam o ambiente do pavilhão. As pessoas começam a perguntar-me o que se passa, se já há resultados, porque é que se vive um clima de quase «guerra civil» lá dentro.

Os Resultados

img_3724Fico incrédula! Resultados com 4 urnas contadas?! Guerra civil?! O ambiente não podia ser mais tranquilo! Bruno de Carvalho passeia pelo Arena. Fala com todos os sócios que se aproximam. Está longos minutos à conversa com grupos diferentes. Como ele, os outros elementos do CD. Mas a CS insiste. Ao ponto de «confundir» a mudança de turno dos agentes de serviço com um reforço policial inexistente, desmentido em directo.

As horas passam. A angústia aumenta. As pessoas não queriam acreditar que a CS já soubesse os resultados desde as 22:30h e nós, lá dentro, só tenhamos sido informados bem perto da uma da manhã.

O que se segue, já todos sabemos. Um resultado esmagador, que até hoje, não convence os apoiantes de Bruno de Carvalho. Mas, sobre isto, a palavra está com os tribunais. Não duvido que, num futuro próximo, muito será explicado.

Três notas finais:

Para o grupo de pessoas que se juntou no final da AGE23, cá fora com o presidente. O que vi no final dessa noite foi um homem cansado. Magoado. Mas perfeitamente lúcido. Um homem a quem se pediu que não desistisse, numa conversa directa, franca e calma. Foram as palavras mais esclarecedoras que ouvi, até hoje, de Bruno de Carvalho. Sem holofotes, sem tv´s… Conheci pessoas nesse dia e nesse bocadinho de noite que vão ficar comigo para a vida.

Para as muitas pessoas que me seguiram no Twitter e a quem tentei sempre informar ao máximo. Sempre do meu ponto de vista, obviamente, mas tentando sempre ser fiel aos acontecimentos vividos. Obrigada a todos pelas palavras de incentivo e de agradecimento.

Para a minha família: de sangue e Sportinguista que me acompanhou neste dia in loco e à distância. Com vocês, tudo é mais fácil.

Comentários do Facebook

Previous

CRÓNICA DE UM DESRESPEITO ANUNCIADO

Next

AS ELEIÇÕES DA TRETA!

29 Comments

  1. Nuno Sousa

    Estavas lá no grupo final? Também estive nesse grupo final, já cá fora do Altice, e estive pela primeira vez tão perto de Bruno de Carvalho e durante quase uma hora. E confirmo, ele era o mais calmo e mais lúcido, explicando de uma forma tão bem explicada tudo o que estava a acontecer. Foi aí que fiquei com a noção das ligações oligárquicas existentes ao longo dos anos no Sporting e como certas Famílias olham para o SCP como sendo delas e não dos Sócios. Daí a vontade de retirarem o Sporting dos Sócios e entregá-lo a um “dono”
    PS – um bom retrato do que se passou na AG.

    • KukaGR

      Obrigada Nuno! Estava sim. As tuas palavras são tal e qual o que senti nessa noite. Estamos na luta para que não nos retirem o Sporting!

  2. Ricardo Lemos Mendes

    Excelente texto …

    • KukaGR

      Obrigada Ricardo!

    • Élio Fernandes Franco

      Excelente texto. Exatamente o que se passou! Estive lá do princípio até 00:30 e os resultados de certeza que foram invertido! Por alguma razão o bombeiro pirómano não deixou fazer gravação /transmissão da Assembleia, com as câmaras preparadas!! A verdade há-de vir ao de cima!! Rua com os golpistas! Bruno para o lugarpara que foi eleito!!

  3. Walter Miranda Santos

    Verdade. Estive a votar contra e foi exactamente assim que aconteceu até as 16 horas quando sai do Altice. Depois apenas vi pela Tv. Assisti a dezenas de discursos a favor de Bruno de carvalho e apenas 2 a favor do Bombeiro Incendiário e a sua torpe. Para mim os resultados são totalmente diferentes do que demonstrava a assembleia sendo que havia a meu lado também muitas pessoas que iriam votar contra Bruno de Carvalho. Por mim o resultado foi uma surpresa pois sempre acreditei que os sócios seriam gratos, tinham memoria dos tempos de 2013 e que não se deixavam “vencer” nem “convencer” por uma imprensa vergonhosamente hostil e absolutamente parcial no sentido de destruir o nosso clube. Por isso estou disponível para dar o meu apoio publico e quero acreditar que até dia 8.09 a justiça seja reposta e que possamos ter de novo Bruno de Carvalho nos destino do nosso clube

  4. Antimio Simonal

    Eu estive lá até às 00.30 e também entrei às 13.45…. TUDO o que menciona é verdade, acrescento que o SOBRINHO desceu das escadas a correr….. para a zona de votação os seguranças dele é que criaram a confusão….foi protegido para ir para a WC do lado esquerdo foi votar à frente de quem estava na fila , pois saiu pela porta lateral e entrou por detrás do palco, saindo directamente para a ruadepois de votar ( 1 voto).
    Quanto à contagem….vi andarem com votos no ar a colocarem nas mesas e da bancada vermelha , onde estive, ate o fim..Vi o Dias Ferreira a votar e sentado no meio do pavilhão a falar com sócios…Vi o FUTRE e o seu apaniguado o Vitor ( foi apupado e chamado de BURRO )…a votarem ….O Ze dos tachos foi apupado , o Ricciardi igualmente, o Capitao de Abril também e a RITA MATOS igualmente….De resto tudo foi cívico como o mundo SPORTUINGUISTA.

  5. Rui Ferreira

    Ao ler este texto fiquei, e ainda estou, emocionado com lágrimas de revolta a acompanhar tudo o que foi escrito e assim permitiu-me viver passo a passo tudo o que foi relatado como se estivesse presente, a minha revolta é ainda maior porque no dia antes eu enviei para Bruno de Carvalho uma mensagem a dar conta de um pressentimento que eu tinha tido nesses dias que antecederam a votação, eu tinha a certeza que a fraude eleitoral ia acontecer, por tudo o que marta soares ia dizendo e sobretudo como falava de Bruno de Carvalho e, o a vontade como o dizia, como já soubesse qual o resultado final,e acreditem se este acto eleitoral se realizar sem o nosso Presidente Bruno de Carvalho , esta tudo a ser preparado em termos informáticos para que o padrinho dos outros de nome ricci bes manhoso seja o próximo presidente disvirtuando assim uma vez mais um acto eleitoral.

  6. MB

    Não estive até ao fim, cheguei e esperei cerca de 2h até votar. Durante esse tempo, o que vi e acima de tudo senti, foi exactamente aquilo que KukaGR descreve, com o acréscimo de ter assistido muito bem às entradas do Ricci e do José Eduardo, embora não tivesse visto o Sobrinho. Posto isto, votei e saí tranquilo já passava das 17h isto porque depois do que havia acabado de presenciar lá dentro, nunca um desfecho destes alguma vez teria sido possível.

    Comecei a seguir a KukaGR precisamente nessa noite ao chegar a casa e ver degradante espetáculo nas tvs, fiquei incrédulo rapidamente tentei encontrar alguma fonte mais lúcida e foi aí que achei o relato da KukaGR. Muito obrigado por tudo nesse dia e por este texto esclarecedor.

  7. Rui Sá Pereira

    Excelente testemunho, todos aqueles que lá estiveram deveriam ser ouvidos. Obrigado.

  8. Jorge Rocha

    Excelente relato/partilha, que condiz totalmente com o que eu e os amigos com que estava sentimos. Infelizmente tive de me ausentar no final da tarde para um compromisso familiar e foi com muita surpresa que mais tarde recebi a triste notícia da destituição. Surpreendeu-me ter sido tão cedo e os números divulgados.
    É um facto que infelizmente também percebi que muitos queriam a sua destituição. No entanto, quem ali esteve dificilmente imaginaria um cenário inferior a 60% (não) ou no limite dos 50%, isto já a contar com os votos dos supostos “notáveis”, que efectivamente pareciam lá estar todos nesse dia…
    A sensação com que fico é que a sociedade e o futebol em particular estão cada vez mais manietados e cheios de esquemas fraudulentos, os quais, no entanto, como um “conto do vigário”, são (cuidadosamente) apresentados na porcaria de CS como factos indesmentíveis. A luta é perfeitamente desigual, de todo o modo, se alguém lhes conseguir fazer frente, estou em crer que vai encontrar muita porcaria. Acredito que esse alguém é o BdC e a equipa que o tem ajudado neste momento muito difícil / limite, e só lamento não ter podido estar presente convosco naquela noite para partilhar a minha total solidariedade com toda esta trafulhice. E só espero que, quando se fizer justiça, os culpados deste autêntico “circo” sejam devidamente punidos!

    • KukaGR

      Obrigada pelo comentário Jorge. A luta é desigual mas estamos cá, pela verdade.

  9. Victor Guilherme

    Muito obrigado! Muito obrigado por fazer o favor de trazer a todos nós sportinguistas, um retrato sério e muito honesto sobre o que viu acontecer, observou e experimentou naquele pavilhão, no decurso da assembleia do dia 23. O seu testemunha faz total diferença, por comparação ao que vimos serem ditos pela comunicação social, alem de que apazigua um pouco as angústias hoje experimentadas pelos sportinguistas de honra, leais ao Sporting. Viva o Sporting, Viva Bruno de Carvalho!

  10. António Carlos Guedes

    Kuka eu também estive lá do inicio ao fim e tudo que descreves foi real, este texto revela a verdade do dia da AG, eu ainda hoje não consigo acreditar depois do que vi e ouvi naquele pavilhão o Bruno de Carvalho ter perdido. Mas como a Kuka refere os tribunais estão ai para apurar a verdade.
    Obrigada Kuka por um texto tão real dos acontecimentos da AG de Destituição

  11. tallicalord

    Estive também na assembleia e tanto a percepção como o sentimento são tal e qual o que descreveu, subscrevo na íntegra. Qualquer semelhança entre tudo o que lá se passou e o resultado final, é pura coincidência. Há concerteza muito por explicar e quiçá estamos perante um caso de polícia!!! Obrigado pelas suas cronicas e um bem haja! SL, ou melhor, saudações loninamente leais!!! ????

  12. Muito bem escrito…e é o espelho das 4 horas que vivi no local. Estive da parte da tarde e saí convencido da vitória do NÃO, Quando soube do resultado fiquei profundamente triste e revoltado….ciente que algo grave se teria passado…obrigado por complementar de modo exemplar o que já não vivi mas que é fundamental para o futuro…

  13. Excelente relato do meu sentimento desse dia. Acrescento só que o sobrinho levou mesmo um calduço á minha frente. Relato e acrescento de termos reparado haver individuos a votar mais que uma vez, mas como o jms não permitiu mais filmagens 10min depois do inicio da votação, não temos forma de demonstrar.
    Sai no inicio da votação e claramente a sensação era de 15 a 0 para o não á destituição. O depois todos ja conhecemos, uma tristeza…..

Deixe-nos o seu comentário

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: