SEM LIMITES PARA DESINFORMAR

Hoje assisti, em directo, ao fantástico exemplo, vestido de rádula, de como desinformar!

Aconteceu na cmtv, por causa do Sporting, e de Bruno de Carvalho, e teve como protagonista principal a jornalista Tânia Laranjo.

Fê-lo, algumas vezes, em nome da Comissão de Gestão.

Algo inadmissível.

Sem limites para desinformar, chegou a dizer que os jogadores do Sporting ligaram para a mesma GG a fim de saberem o que se estava a passar. De inadmissível tem tanto como também tem de ridículo.

Mas tudo vale na arte e profissão de desinformar! Salvaguardando os que prezam a profissão do jornalismo e tão bem a desempenham.

Cmtv que se gaba de liderar as audiências, tem pessoas que atropelam as regras da ética não respeitando os telespectadores.

Uma novela diária que há muito tempo ultrapassou os limites da coerência, bom senso e profissionalismo, com o intuito de conquistar audiência – com sucesso – mas, menosprezando a inteligência das pessoas.

As pessoas que não pensam, por impossibilidade ou porque não quererem, também não mereciam este tratamento desigual – comparando-se com os outros clubes – como todas as outras pessoas não mereciam testemunhar este imbróglio comunicacional.

Contra Bruno de Carvalho vale tudo!

Bem sei que, infelizmente, há outros canais que seguem o exemplo da cmtv, mas, só demonstra a falta de qualidade de um dos lados e, seja do lado profissional ou do outro (telespectadores), é algo que requer uma profunda análise e a intervenção de quem de direito.

País real este que gosta de ser assim tratado!

Comentários do Facebook

Previous

COMO É POSSÍVEL…?!?!

Next

O TEMPO DA JUSTIÇA!

2 Comments

  1. Paulo Santos

    Difícil comentar a deplorável estripe destas gentes, produtos da impunidade que se outorgam direitos julgando causas próprias e pensando poder fazer em casa de outros o que lhes mais apetece. Mente-se com todas as forças por alguns trocados que não souberam amealhar ao longo de suas vidas de sucesso. São putativos que se vergam a dois tostões de futuro que sabem que jamais terão.
    Há limites para a serenidade, para a paciência e para o aceitável. Tentar fazer de alguns parvos ainda se percebe mas tentar fazer de todos parvos já poderá ser instigador de outras serenidades que so as madalenas quererão. As autoridades assobiam para o lado em lugar de impor regras no insulto barato e numa comunicação criminosa de falidos do poder.
    O País de brandos costumes é fértil em escumalha mas perceberão que Brunos não haverá apenas um e quando todos se erguerem contra o bando de senilidosos, vai doer muito…no coração de alguns enteados. É hora de prevenir para que tenham Cuidado!

  2. Paulo Santos

    estripe = estirpe

Leave a Reply to Paulo Santos Cancel reply

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: