No dia 18.7.2018, a propósito da tentativa de entrega da candidatura liderada por Bruno de Carvalho, Jaime Marta Soares afirmou à comunicação social:

“A manter-se a suspensão de Dr. Bruno de Carvalho, o presidente da Mesa não pode cair numa ilegalidade grave, que era receber uma lista que não contempla minimamente as exigências dos Estatutos e dos Regulamentos. Por isso, não posso em circunstância alguma receber essa lista.”

Ontem , dia 06 de Agosto de 2018, o mesmo Jaime Marta Soares afirmou à comunicação social a propósito de nova tentativa de entrega da candidatura liderada por Bruno de Carvalho:

“Nunca recusei a apresentação de qualquer lista . Foi com grande surpresa que soube da decisão soberana da Srª Juíza… nunca me chegou da parte da lista do Dr. Bruno de Carvalho o pedido para a apresentação de uma lista. Não corresponde à verdade. Não recusaremos a apresentação de qualquer lista.”

Fê-lo com a mesma desfasatez e com a mesma “cara de pau” com que apresentou publicamente a sua demissão do cargo de Presidente da Mesa da AG do SCP e dias depois disse que, afinal, não se demitiu.

Jaime Marta Soares é um “animal politico”. Sobreviveu a todos os lideres do PSD nos orgãos mais altos do partido, onde se mantém praticamente desde a fundação do partido.

Aqui, nos Estados Unidos da América, de onde escrevo esta linhas, há um nome para os políticos que mudam de opinião consoante consideram ser mais vantajoso para si: São os “flip-floppers”.

Mas como “animal politico” que é , Jaime Marta Soares , comete outra proeza. A proeza descrita superiormente por Bertand Russel, “a proeza de fascinar os tolos e manietar os inteligentes; tendo numa mão a excitação das emoções, na outra o totalitarismo das decisões numa aparência de democracia quase perfeita.”

E foi isso que este “flip-flopper” conseguiu no universo sportinguista. Fascinar os tolos, manietar os inteligentes e criar uma falsa aparência de democracia para reinstalar no poder quem reclama para si a condição de casta superior do sportinguismo.