Gostaria de começar esta posta por agradecer ao Paulo Afonso Ramos o convite para me sentar no Banco de Suplentes e poder ir a jogo sempre que o treinador queira e que o Reumatismo o permita.

Nesta primeira “substituição” quero analisar a situação actual do SCP. Parece incrível, para um clube que está à beira da falência tendo 40 milhões de dívidas a fornecedores, que existam, até ao momento, 5 proto-candidatos (não formalizaram as candidaturas ainda), 1 candidato oficial e 2 que estão impedidos de se candidatar, por uma MAG/CFD que têm uma interpretação MUITO “criativa” dos estatutos do clube.

Se a quantidade das pessoas que está disposta a ir a eleições é grande, no que toca a programa eleitoral, estes candidatos demonstram fraca aptidão para pensar no Sporting Clube de Portugal.

A cada nova apresentação, ficamos com a esperança que seja este o candidato que vai inovar, que vai surpreender, que vai demonstrar que antes de ter tomado a decisão de se candidatar, pensou o suficiente e maturou um conjunto de soluções que seriam as melhores para que o Clube atinja o sucesso e ultrapasse esta fase negra em que se encontra mergulhado. Mas logo nos apercebemos que o que cada candidato tem é um excelente dicionário de sinónimos, porque aquilo que apresentam é uma cópia do primeiro programa apresentado. O do dr. Bruno de Carvalho, Presidente destituido e candidato suspenso preventivamente de sócio.

A maioria dos candidatos insiste em garantir aos Sócios que são os Verdadeiros Herdeiros do Rumo Certo (Programa sufragado em 2017), quando o seu “Pai” está a tentar candidatar-se (contra uma MAG e CFD ilegal) para que possa concluir o que se propôs a realizar na eleição anterior. Estranho não? Neste clube já nada é estranho…

Estranho é ouvir o Ricciardi garantir que vai manter a maioria da SAD no clube; Estranho é ouvir o Varandas prometer que fala o que sabe quando ganhar e que manterá a maioria da SAD no clube e perceber que, se continuam estas suspensões, o Benedito só tem de se manter calado para ganhar esta eleição. Adivinhem qual é o Programa dele… Sim, acertaram. Manter a maioria da SAD no clube. Ah e o ecletismo. E a formação e… e… e…

Depois temos os outros. Pedro Madeira Rodrigues e Dias Ferreira não contam nem cantam. E por fim Fernando Tavares. Este último é mesmo uma incógnita. De facto, todos prometem devolver o Clube aos Sócios (JMR já provou que os Sócios mandam bola), apostar nas Modalidades (mas com orçamentos sustentáveis, mantendo o nível competitivo…) e alguns até acham que se deveria dar descontos sempre que o SCP perdesse pontos em casa (se tivermos uma época como a 2013, estaríamos falidos).

Uma nota para um não candidato. Carlos Severino desta vez não é candidato. Mas mesmo assim é perigoso… Para os outros candidatos! Porque o Severino está para os candidatos ao Sporting como a NAMBLA está para as candidaturas nos Estados Unidos. É de tal forma tóxico que inquina e mata qualquer candidatura.

A seriedade dos Programas é assim, dúbia. Parece que todos os candidatos estão apostados em fazer promessas que lhes permita ganhar, mas que duvido que cumpram, uma vez que isso aconteça.

Ao Sócio cabe-lhe a via sacra de ter que ver e ouvir todos estes senhores, para no fim a MAG inquinar o processo não deixando ir a votos o verdadeiro pai da grande parte destes programas, que ideias e soluções unanimemente aceites como soluções necessárias para garantir a sustentabilidade de Clube e SAD, bem como elevar o nível competitivo e lutar pela conquista de títulos em todas as 55 modalidades do Clube.

A Fartura de candidatos afinal resulta numa fome de projecto.

Saudações Leoninas.