Mês: Agosto 2018 Page 1 of 3

AS ELEIÇÕES DA TRETA!

No próximo dia 8 de Setembro o Sporting Clube de Portugal vai a eleições.

Normalmente este dia é o culminar apoteótico, e quase catártico, de um processo de escolha, de entre os vários candidatos e programas, por parte dos Sócios. Esta é a base do regime democrático em que vivemos desde 25 de Abril de 1974 em Portugal.

Digo normalmente, porque o do próximo dia 8 é um culminar de um GOLPE PALACIANO, que visou destituir uma Direcção legitimamente eleita e substituí-la por outra mais em linha, ou mais alinhada, com os interesses de quem patrocinou o próprio golpe.

Já o escrevi, em outras crónicas, que este não é o tempo das escolhas políticas, porquanto a Justiça terá de se pronunciar sobre todo o processo de destituição.

E meus senhores, não me venham dizer que a reposição da legalidade e legitimidade institucional é contra os superiores interesses do Clube! Ao afirmarem semelhante coisa, estão a renegar os princípios basilares dos sistemas democráticos por um punhado de trocos ou pela ilusão que a partir de agora viveremos na paz dos anjos.  Estarão, em suma, a validar a premissa que os “fins justificam os meios”.

A única coisa que resultará deste processo eleitoral é o adensar das desconfianças e o ainda maior entrincheiramento das facções existentes! Quem for votar poderá ver o seu voto impugnado e o candidato vencedor, que pode ser o seu, impedido de governar, porque a Justiça decidiu impugnar todo o processo ou uma parte significativa dele.

Entendo que para os golpistas seja necessário manter a aparência de normalidade democrática, instrumentalizando os órgãos de comunicação social para efectuarem o branqueamento de toda a situação e, desta forma, iludirem os Sportinguistas e o país, colocando-os contra qualquer a tentativa de reposição da legalidade e legitimidade, na medida em que esta tentativa seria contrária aos interesses do clube!

Já não entendo porque é que os candidatos, ou pelo menos alguns, compactuam com tudo isto. O que esperam ganhar? Um lugar de Presidente a prazo? Um retirar do tapete debaixo dos pés quando menos esperarem ou quando deixarem de servir os interesses de quem, aparentemente, “comanda os nossos destinos”?

transferir (3)Por todos estes motivos estou a pensar seriamente, e pela primeira vez na minha vida, abster-me de votar nas eleições! Não quero participar em algo que visa branquear o Golpe e destruir a capacidade dos sócios em decidir os destinos do seu Clube. Não quero compactuar com o atropelo estatutário que foi levado a cabo pelo JMS, respectiva MAG, e sus muchachos comissários.

NOVA CASA

Para terminar, gostaria de vos informar que esta foi a última crónica nesta “casa”! A partir de amanhã, dia 1 de Setembro, o Banco de Suplentes muda-se para uma nova morada.

Estaremos em www.bancodesuplentes.com. A quem nos subscreve por email, a mudança será automática. Aos nossos outros seguidores terão de nos seguir no novo espaço.

Saudações Leoninas!

 

23/06

Prometi, que só ia escrever sobre a AGE23, quando a situação do Sporting estivesse resolvida e «estável» novamente. Com a devida passagem do tempo que me permitiria ver o que ali aconteceu de uma forma mais fria. A situação não é a ideal, mas sinto que é tempo de escrever.

Terminei o dia 23 de Junho, depois de 12 horas dentro do Altice Arena, com a seguinte frase no meu Twitter: «Temo pelo meu Sporting». No entanto, quando o dia começou, nada o fazia prever.

Uma nota prévia a este meu relato: este escrito é um testemunho daquilo que os meus, e só os meus sentidos apuraram. A minha leitura. Uns poderão ter sentido diferente. Outros, que nem lá estiveram, falaram com a propriedade de quem está habituado a dissimular ou a seguir cartilhas, como certos jornalistas da nossa praça. Outros poderão concordar comigo. Entendam como melhor vos aprouver.

O Início

img_9749

À chegada ao Parque das Nações, uma dezena de cameras de filmar, outra igual de jornalistas de  microfone na mão, despertavam a curiosidade de turistas e «passantes». O encontro estava marcado, com os consócios do Núcleo Sportinguista do Twitter – na sede mais ecológica do país (uma árvore) – para as 12h.

A recusa de algumas pessoas em falar para a CS mostrou desde cedo o sentimento de alguma «revolta»: «Não quero falar» ou «o voto é secreto» eram as respostas mais ouvidas.

Entrei no Arena pouco antes das 13h. Os lugares escolhidos mesmo em frente ao palco permitiam a audição e visão claras de tudo o que ali se fosse passar.

Ao contrário do que foi dito e repetido, não vi nenhum grupo de 50/60 sócios organizados «apenas nos lugares da frente» apostados em armar confusão. O que vi foram reações quase guturais de sócios de cada vez que avistavam algo que lhes desagradava. Um exemplo: José Eduardo a passear-se pela «zona reservada». Outro: cada vez que Jaime Marta Soares falava. E isto foi uma constante durante toda a assembleia.

Eu estive à frente, estive atrás. Estive lá em cima nas bancadas – havia apenas um bar a funcionar o que obrigava a percorrer todo o piso do Altice e subir a escadarias até à porta de entrada – estive perto de uma hora para votar, com a fila a começar na última bancada do Arena. E os protestos, os muitos protestos ouviam-se em todo o pavilhão. Não apenas numa determinada zona.

Inscreveram-se várias pessoas para falar. Contei até aos 47 consócios. Desses, apenas seis discursaram a favor da destituição. E sim, foram vaiados. E não, não apenas por 50 sócios sentados à frente do palco. Os outros 41: palmas.

Todo o ambiente que se fez sentir naquelas 12 horas que lá estive dentro era contrário ao desfecho da votação. Marta Soares inicia a sessão perguntando se queremos deixar a CS gravar a Assembleia. Deve ter recebido a maior vaia da sua vida. Decide a aprovação da acta da assembleia anterior que, por sinal, já tinha sido aprovada na AGE de 17 de Fevereiro. Queixa-se que não o deixam falar. E na imensidão do Altice, são 50 sócios que não o deixam falar?…

O número de pessoas vai aumentado significativamente durante a tarde. Se disser que deviam estar 40 graus dentro do pavilhão, não devo estar longe da verdade. Nem nos melhores concertos da minha vida a dançar e a pular me lembro de ter passado ali tanto calor! Se a isto juntarmos apenas um bar… É no mínimo estranho para um evento desta envergadura.

Bruno de Carvalho e Álvaro $obrinho

img_4036

O primeiro episódio da tarde dá-se com a entrada de Álvaro Sobrinho. Na fila para votar, oiço as pessoas dizer que Sobrinho vai à AGE. Ninguém acredita até à sua entrada – escoltada – pela entrada lateral no 1º balcão do pavilhão. Quando as pessoas se aperceberam que era mesmo ele foi o caos. Porque entrou Sobrinho escoltado? O que temia? E porquê? Não saí da fila. Não sei se houve agressão ou não. Sei que o próprio desmentiu. E sei que o homem foi insultado, vaiado e teve de se barricar no WC, tal foi a revolta demonstrada pelas pessoas quando o viram.

O segundo e mais significativo episódio da tarde acontece com a entrada de Bruno Carvalho e de outros elementos do ex CD no pavilhão, perto das 19h. Só me apercebo que é BdC quando oiço gritar «Presidente». Oiço palmas, vejo as pessoas dirigirem-se a ele e abraçarem-no. A ele, a Carlos Vieira, a Luís Gestas. Aquela que foi uma entrada triunfal, perante o olhar incrédulo e preocupado de Marta Soares e Eduarda Proença de Carvalho. BdC dirige-se à mesa para pedir a palavra, o que lhe é recusado.

Os momentos que se seguem são de espera, de incerteza do que vai acontecer. Nesta altura, aproveito para ouvir as pessoas. Ver o que se passa. Escrever alguns tweets. Bruno de Carvalho vai votar e com ele, os elementos do CD que o acompanham. As pessoas aplaudem e pedem «Não desista de nós». Recebem sorrisos e abraços e, como resposta, «Não se vão embora. Fiquem até ao fim da contagem!».

Vejo um misto de emoção e preocupação nas suas caras. Entoam-se cânticos, grita-se pelo presidente. E espera-se. Todo o ambiente que ali se vive, todas as conversas durante o dia, todos os indicadores levam a crer que a votação será contra a destituição. Até ao momento em que começa a contagem dos votos e, com ela, a contra informação.

Não sei como é possível que, uma hora e meia depois do início da contagem dos votos, a CS já tenha os resultados bastante aproximados dos reais. Sei que se formou uma fileira de sócios em frente às mesas com as urnas para a contagem dos votos. Ninguém arredava pé. Não podia cair um voto no chão, JMS não podia levar uma mão ao bolso sem que os sócios estivessem atentos e a chamar a atenção.

Os primeiros resultados na CS mudam o ambiente do pavilhão. As pessoas começam a perguntar-me o que se passa, se já há resultados, porque é que se vive um clima de quase «guerra civil» lá dentro.

Os Resultados

img_3724Fico incrédula! Resultados com 4 urnas contadas?! Guerra civil?! O ambiente não podia ser mais tranquilo! Bruno de Carvalho passeia pelo Arena. Fala com todos os sócios que se aproximam. Está longos minutos à conversa com grupos diferentes. Como ele, os outros elementos do CD. Mas a CS insiste. Ao ponto de «confundir» a mudança de turno dos agentes de serviço com um reforço policial inexistente, desmentido em directo.

As horas passam. A angústia aumenta. As pessoas não queriam acreditar que a CS já soubesse os resultados desde as 22:30h e nós, lá dentro, só tenhamos sido informados bem perto da uma da manhã.

O que se segue, já todos sabemos. Um resultado esmagador, que até hoje, não convence os apoiantes de Bruno de Carvalho. Mas, sobre isto, a palavra está com os tribunais. Não duvido que, num futuro próximo, muito será explicado.

Três notas finais:

Para o grupo de pessoas que se juntou no final da AGE23, cá fora com o presidente. O que vi no final dessa noite foi um homem cansado. Magoado. Mas perfeitamente lúcido. Um homem a quem se pediu que não desistisse, numa conversa directa, franca e calma. Foram as palavras mais esclarecedoras que ouvi, até hoje, de Bruno de Carvalho. Sem holofotes, sem tv´s… Conheci pessoas nesse dia e nesse bocadinho de noite que vão ficar comigo para a vida.

Para as muitas pessoas que me seguiram no Twitter e a quem tentei sempre informar ao máximo. Sempre do meu ponto de vista, obviamente, mas tentando sempre ser fiel aos acontecimentos vividos. Obrigada a todos pelas palavras de incentivo e de agradecimento.

Para a minha família: de sangue e Sportinguista que me acompanhou neste dia in loco e à distância. Com vocês, tudo é mais fácil.

CRÓNICA DE UM DESRESPEITO ANUNCIADO

O Banco de Suplentes nasceu a dia 1 de Agosto, nesse mesmo dia, sabemos hoje, foi o Sporting Clube de Portugal citado por um Juiz, Juiz esse que está a apreciar a AG de dia 23 de Junho, tendo essa citação imediatamente travado todo e qualquer efeito da AG – neste caso a destituição do CD presidido por Bruno de Carvalho – até ser tomada uma decisão em 1ª instância. Uma decisão em 1ª instância levar-nos-á lá para meados do próximo ano, diria eu.

Mas se tivesse nascido a dia 2 de Agosto, seria o dia, em que se soube, por decreto da Comissão de Fiscalização, que todos os elementos do CD estavam suspensos, exceto um. A sequência de dia 1 de Agosto e dia 2, não deverá ser mera coincidência, em minha opinião.

E poderia estar aqui a desfiar o novelo e chegaríamos facilmente ao dia de hoje, sem que um só dia ficasse por preencher. Uma luta diária, em que se tenta colocar o Sporting Clube de Portugal nos eixos da legalidade e da legitimidade democrática, num país que se quer avançado e na linha da frente da União Europeia, e não no caminho que se está atualmente a percorrer, o caminho de uma qualquer ditadura ao estilo da América do Sul dos anos 70 e 80.

Mas, hoje dia de estreia neste blog, vou deter-me no dia 10 de Agosto, uma sexta-feira, em que Afonso Pinto Coelho e eu próprio, entregámos a Jaime Marta Soares, um requerimento para um pedido de uma AG Extraordinária para se apreciarem as suspensões decretadas pelos comissários fiscalizadores. É bom relembrar que o referido decreto diz que a suspensão tem recurso para AG de Sócios. Passaram-se 19 dias, 19 longos dias. Não há resposta, nem uma só resposta, nem um “ai” nem um “ui”.

Assim que se soube do decreto da suspensão e da sua possibilidade de recurso, um conjunto alargado de Sócios, daqueles que vão a todo lado, daqueles que não vão para os camarotes nem para tribunas, daqueles que vão a estádios e a pavilhões, daqueles que não dizem que têm que se preparar para fazer uma reunião, esse conjunto de Sócios, dizia eu, mobilizou-se e começou uma recolha de assinaturas.

Foi incrível, em pouco mais de 48H estavam recolhidas assinaturas correspondentes a cerca de 1.500 votos. Em pouco mais de outras 48H estava o processo todo pronto a ser entregue. E dia 10 de Agosto estávamos no Estádio José Alvalade a entregar o requerimento e as respetivas assinaturas. O objetivo era claro, dar a voz aos Sócios e caso fosse essa a vontade dos Sócios em Assembleia, fazer-se o imediato levantamento da sanção, e assim possibilitar, sem mais, o livre acesso às Eleições a todos os candidatos que assim o desejassem, e consequentemente possibilitar a livre escolha dos Sócios em elegerem os seus representantes.

O silêncio que se faz ouvir desde então de Jaime Marta Soares, o que nos diz?

Em minha opinião, diz-me que este é um processo em que se fala de “alma máter” porque são palavras bonitas, mas na realidade desprezam essa alma do Sporting que são os Sócios, diz-me que quem fala em “estatutos e regulamentos” está a atirar areia para os olhos, pois na verdade estão a borrifar-se para os mesmos, e o que querem mesmo é andar por Tribunas de rivais que desrespeitam os nossos que faleceram às suas mãos, sem uma única palavra de condenação.

Nada que já não suspeitássemos, pois em minha opinião, vamos de atropelo em atropelo, de mentira em mentira até uma situação limite, e é por isso que esta é uma crónica de um desrespeito anunciado.

Um abraço de Leão

Nuno Sousa – Sócio 9.575-0 desde Agosto de 1981

 

AS DUAS ACTAS…

É possível que hajam duas actas da AG de 23? Esta questão levantada por José Preto, advogado de Bruno de Carvalho, na sua justificação do porquê da suspensão dos resultados da AG de 23 de Junho, onde foi votada a destituição do CD liderado por Bruno de Carvalho!

Rita Garcia Pereira já veio tentar responder dizendo que existia uma parte da acta que tinha sido lavrada e certificada pelo notário e outra que seria a acta da Mesa da Assembleia Geral que não teria passado pelas mãos do notário! E que só a primeira teria sido entregue ao tribunal!

Também foi tornado público por José Preto que a Acta somente tinha a percentagem de votantes apurada  e não continha referencia ao número total de votantes, ao número de votantes em cada opção e à forma como se apuraram as percentagens.

Logo de partida assalta-me uma questão! Porque é que vem a Garcia Pereira justificar a questão da Acta e a MAG ainda não se pronunciou sobre este caso? Sim porque é à MAG e ao seu Presidente, o muy Notável, flamboyant infant terrible e Inovador incompreendido do Associativismo português, Jaime Marta (foi ele o inventor da opção “Abstenção” no boletim de voto), que compete vir justificar este imbróglio (é só mais um) jurídico que provocaram!

Como é que a acta pode ser fidedigna daquilo que se passou na AG se não tem as informações mais relevantes do que lá se passou? Que não estivesse plasmado em acta os resultados por mesa ainda entendo! mas não virem os gerais?

E porque é que a acta só foi certificada passados 4 dias do fim da Assembleia? E porque é que os sócios não têm acesso à acta? É  que se não sabem, nós Sócios temos o direito de consultar as Actas do nosso Clube!

Se já tinha muitas dúvidas dos resultados daquela AG, agora fiquei ainda mais desconfiado! Deixo-vos algumas das minhas interrogações:

  1. Porque é que não foram anunciados o total de votantes e votos apurados, quer global quer por opção de voto, como aliás é costume fazer-se, tendo sido somente divulgadas as percentagens de voto em cada opção?
  2. Como é possível que o “Não” não tenha ganho em mesa nenhuma, nem nas mesas mais “Jovens”?
  3. Como é possível que a MAG, sendo parte interessada na votação pois era partidária do “Sim”, tenha podido acompanhar a contagem dos votos?

Para fechar este texto gostaria de vos dizer o seguinte: Nunca, nos meus anos de associativismo, tinha ouvido falar em actas que se dividem em duas partes, sendo uma validada e outra que é a da mesa que não carece de ser validada! isto é mesmo uma novidade para mim. Mas se quiserem o que mais me custa neste processo todo continua a ser a escuridão em que estamos lançados desde que este processo começou. Nada é claro nem transparente! A actuação dos órgãos sociais vai toda na mesma linha! Quanto menos claro melhor!

Estas pessoas que “gerem” o Sporting fazem-no sem terem de prestar contas a ninguém e sem respeito pelos Sócios e pela sua opinião! Aliás este fim de semana, durante o derby, tivemos mais uma prova de quão importante é a nossa opinião! Vendemos a Honra por uma Salva de Prata! Fomos ao beija-mão do Corleone do futebol! Sobre este assunto leiam a crónica de ontem do Paulo Afonso Ramos aqui.

Finalmente entrámos no Sistema!

Era para isto que queriam o Sporting?

José Gil

UMA SALVA DE PRATA PARA COMEMORAR

Sousa Cintra foi a figura principal no dérbi de ontem. Para mal de quem goste dele!

Começa por anunciar, quatro horas antes, a ausência de Jérémy Mathieu nos convocados. Brindando Rui Vitória com essa notícia depressa difundida pelos meios de comunicação social.

Depois, com cordialidade, dá um entrevista à BTV o canal oficial dos rivais que transmitiu o jogo.

Com os seus compadres e respectivas acompanhantes – esposas ou não – esteve na tribuna presidencial do Benfica sempre muito sorridente.

E como a ilustrar um grande dia de comemoração – talvez de uma parceria escondida – recebeu uma salva de prata para memória futura!

Se acrescentarmos as muitas declarações – umas infelizes e outras absurdas – terei que constatar que a minha primeira frase deste texto deva ser mais consensual do que, à primeira vista, parecia.

Sousa Cintra foi a figura principal no dérbi!

E permitam-me a opinião, mas, para mal da maioria dos Sportinguistas que não se revêm nestas atitudes, postura ou declarações proferidas.

Naturalmente que os benfiquistas agradecem a cortesia e o esquecimento do passado recente. Até ignoraram o que aconteceu no século passado quando o mesmo Cintra foi à Luz roubar Paulo Sousa e Pacheco. É tempo de engolir alguns sapos por uma causa maior!

Já sabemos que os benfiquistas fazem tudo pelo seu clube.

Já nós não!

E até aceitamos estes episódios de ontem, entre outros, como as questões das dispensas e o tema do treinador despedido que ainda vai dar muito que falar…

Uma salva de prata para um verdadeiro amigo!

Já tinha escrito algo na minha página de Facebook que pode ver aqui: https://www.facebook.com/2252161494823813/posts/2302213586485270/

A verdade da mentira

Nesta minha senda, pela tentativa de compreensão daquele que é considerado o quarto poder e a propósito da minha última crónica, escreveu-me alguém no Twitter: “Perdi de tal maneira a confiança na CS que quando vejo notícias sobre os subsídios para Pedrógão já não sei se hei-de acreditar”.

É este o risco que corremos. Um dos principais efeitos nefastos do caminho que está a ser trilhado: a descredibilização da CS. Em quem vamos confiar para nos informar, com rigor e isenção? E porque é que a própria classe permanece “dormente” face a um assunto que a prejudica cada vez mais?

Mesmo com o direito de resposta salvaguardado na lei, o que se verifica é que o destaque dado ao mesmo, nunca é igual ao que foi dado na publicação da notícia. Letras pequenas, passam ao lado. Ninguém lê.

Alguns exemplos gritantes que fui “coleccionando”:

A notícia do CM que, mais uma vez, é replicada até à exaustão pelos outros órgãos de comunicação social, refere que Bruno de Carvalho ameaçou despedir funcionários no caso de ser votada a sua destituição.

Pequeno aparte: um presidente destituído consegue despedir funcionários?!… Mais um poder de BdC que eu desconhecia. Adiante..

Segundo aquela publicação, tais palavras foram proferidas numa reunião com mais de 200 funcionários.

Se não fosse a publicação do capitão da equipa de HP do Sporting, João Pinto, ainda hoje muitas pessoas pensariam que aquelas palavras foram mesmo ditas.

A propósito da AGE de dia 23, afirma Bernardo Ribeiro na sua conta do Twitter, que dirigentes de alguns núcleos do Sporting estão a organizar uma excursão à AG. Os órgãos sociais de um desses núcleos vieram a terreiro desmentir categoricamente a falsa notícia, mas… está dito – está dito! Para Bernardo Ribeiro, director-adjunto do Record (grupo Cofina), isso agora não interessa nada!

Ainda na dita AGE23 sobre a “visita” inesperada de Álvaro Sobrinho para votar e da confusão que se gerou com a sua entrada no Altice Arena, também as noticias são contraditórias. Ora houve agressão, ora houve tentativa de agressão.

A notícia com o desmentido da agressão passou ao lado de muita gente. Ainda hoje me garantem que Sobrinho foi agredido, porque foi o que leram.

Termino com uma curiosidade, chamemos-lhe assim… O que leva Tânia Laranjo (cmtv) a ter a necessidade de escrever no seu Facebook o seguinte esclarecimento? Para certas coisas tão rigorosa, para outras tão displicente…

O ÚLTIMO TANGO EM ALVALADE

Escrevo esta crónica no dia seguinte a ser anunciada mais uma nota de culpa.

Confesso que estou desiludido. E estou-o não por causa de mais este atropelo gritante, mas porque o que vou lendo e ouvindo, permite perceber que muitos adeptos e Sócios já se conformaram com a situação presente do nosso Sporting Clube de Portugal. Já se conformaram com a falta de legitimidade e legalidade dos processos que nos trouxeram até aqui. Já se conformaram e até já branqueiam a falta de profissionalismo de quem gere os destinos do clube neste momento.

Quase me fazem querer que já foi dançado o último tango em Alvalade e que, agora, voltamos à letargia cinzenta em que sempre estivemos mergulhados, sendo que a excepção terá sido os anos em que fomos campeões de futebol, todos os outros foram vividos com este cinzentismo somente apreciado por quem não ama nada!

Nos últimos 5 anos viveram-se épocas de ouro do nosso clube! Certamente estarão a interrogar-se quais épocas de ouro, se não conseguimos ser campeões no futebol?

Dou-vos um dado importante para que entendam o meu ponto de vista: Um clube que não ganhou nada de relevante (para muitos o que interessa é somente o futebol) conquistou mais de 80.000 novos sócios nos últimos anos! São mais de 15.000 por ano! E sem ganhar nada…

O segredo deste crescimento está na emoção! Está na forma de sentir o Clube, está na no orgulho, que nos foi devolvido, de sermos Sportinguistas e de voltarmos a andar de cabeça erguida perante os nossos rivais. De vestirmos as nossas cores e os nossos símbolos com paixão e amor!

É a emoção e o sentimento, que forjam a grandeza de um clube! É esta ligação poderosa que nos faz correr atrás e querer viver intensamente essa paixão clubística. De querer participar activamente na vida desse clube que amamos fervorosamente! Veja-se o Chelsea que passou 50 anos sem ganhar nada. Veja-se o Guimarães e as suas gentes que o apoiam de forma incondicional… Vejam-se estes clubes e pense-se!

E é por isso que tivemos a Onda Verde! É por isso que tivemos as medias de assistência esmagadoras que tivemos e também é por isso, que nos tornámos apetecíveis aos Abutres, que como se sabe, abandonaram o Leão semi-moribundo e apodrecido, já sem muito para debicar!

ricciardirogerioalves1

FUTEBOL – Adeptos do Sporting, durante o Desp. Aves X Sporting CP, a contar para Final da Taça de Portugal 2017/18, realizado no Estádio do Jamor, em Oeiras. Domingo, 20 de Maio de 2018. (ANDRE ALVES/ASF)

Esses abutres, que agora voltam para tomar “conta” deste Leão sedento de sangue e ambicioso, não lhes interessa um Leão forte (voltarão a sugar-lhe o sangue até à última gota)! A estes interessa-lhes um leão passivo e com poucas ganas, que não atrapalhe os seus negócios com os parceiros de outros clubes rivais! Estão-se a borrifar para o Sporting, como comprova a foto do lado.

José Maria Ricciardi, candidato à liderança do Sporting Clube de Portugal, foi assistir ao jogo da Final da Taça de Portugal, entre o Sporting e o Desportivo das Aves, com somente com os símbolos do GAJ (Grupo de Amigos do Jesus) e sem um único símbolo do Clube que diz amar e que quer liderar!

Estes são os que nos vão devolver aos tempos cinzentos, onde voltaremos a sonhar com os dias coloridos de quando ir a Alvalade era uma festa. De quando a paixão nos fazia gritar mais alto, nos fazia cantar mais emotivamente, nos fazia acreditar que, mesmo sem ganhar no futebol eramos os Maiores de Portugal! Dos tempos em que se “dançava o tango” em Alvalade!

José Gil

MISCELÂNEA A VERDE E BRANCO

Escrever sobre o Sporting CP é sempre uma paixão, mesmo quando as palavras são gritos de alerta ou de revolta, porque sentir o Clube é de uma intensidade inexplicável.

O Sporting corre nas veias das palavras que ecoam no pensamento. Da memória ao momento:

1️⃣ A origem deste período assenta num único nome: PMAG – demissionário – cuja a AG de 3 de fevereiro marcará, em mim, o início de uma história por estudar.

2️⃣ O aparecimento de uma Comissão de Fiscalização trouxe outros nomes e abriu um novo modelo no Sporting.

3️⃣ A Comissão de Gestão trouxe uma visão diferenciada alicerçada num canal televisivo que apelidaram de oficial.

4️⃣ As Providências Cautelares sucederam-se numa batalha jurídica interminável.

5️⃣ A mensagem que o Sporting estava falido e precisava de intervenção de salvadores foi uma estratégia que justificou os meios para atingir os fins!

6️⃣ As eleições presidenciais vieram entreter os adeptos do futebol e esconder casos como o de Marega (FCP) ou o de Jonas e LFV (SLB). Quando serão as eleições?

7️⃣ O poder de negociar de José Sousa Cintra merece-me algum destaque:

⬇️ O empréstimo do jogador Stefano Sturaro por 2M€ é único e, no mínimo, estranho. Operado e que só volta daqui a uns meses.

⬅️ A vinda por empréstimo de N’jié e o não acordo, já em Portugal, com a devolução do jogador à procedência é de merecida explicação com transparência.

↙️ O empréstimo, por um ano, do jogador Gudelj por 3M€ é surreal para o mundo Sporting. Caso se confirme.

↔️ Os três regressos, após rescisões, com condições melhoradas não foi ainda totalmente claro e os Sportinguistas estavam habituados a saber toda a verdade.

???? As dispensas dos jogadores Palhinha – num claro mau negócio para o Sporting – ou Geraldes estão por clarificar. E ainda há um plantel excedentário quando falta uma semana para fechar a janela de transferências.

???? O que fez Sousa Cintra além de gastar uns milhões ao Sporting CP quando o grande problema era o plano financeiro?

⛔️ O que fez a CF além dos processos contra a administração dos últimos 5 anos?

⭕️ O que fez a CG nestes últimos meses no Sporting?

Bem sabemos que temos um nível superior de influências. Sempre através dos canais televisivos e escritos, primeiro foi influenciado o adepto comum e agora num nível acima vemos a tentativa de influenciar os magistrados deste país para que decidam as Providências Cautelares a favor dos ilustres senhores!

E, no meio de tudo isto, entre acusações e afirmações infelizes, onde mora a coerência, o amor ao Sporting e o verdadeiro interesse deste grande Clube?

É tempo das respostas chegarem!

O VERDADEIRO PODER

Desenganem-se aqueles que sempre pensaram que a Comunicação Social é o quarto poder. Com tudo o que temos observado, nos últimos três meses, só não é o primeiro, porque ainda acredito na Justiça. Mas a forma como este suposto quarto poder consegue pressionar, manipular e influenciar as massas é verdadeiramente assustador.

Na passada Segunda-feira, todos os órgãos de comunicação social replicaram, até à exaustão, a notícia que, Bruno de Carvalho ordenou aos bancos – através do envio de correio eletrónico e fax – que congelassem as contas do Sporting. A notícia do CM é confirmada mais tarde pela CG que responde com um comunicado onde afirma que irá proceder a uma queixa crime por fraude. Mas a esse assunto, regresso mais tarde.

Uma leitura atenta dos Órgãos de Comunicação Social (OCS) online deixa observar que todos, sem excepção, “copiam” a notícia do CM. Não há um dado novo, uma declaração nova, um documento, uma fotografia. Não há, portanto, investigação. Há um suposto exclusivo de um jornal/TV, copia-se e não mexe mais.

Todos referem ora um email, ora um fax ou até uma carta que é enviada aos bancos. Mas, até hoje, ainda não vi aparecer um único vestígio das chamadas “provas” que sustentam a notícia. Temos então a palavra do CM e da CG. Dos bancos? Nada. A TV dos exclusivos não tem um único documento que sustente o que noticia?… É, no mínimo, estranho!

Mais tarde é divulgado um comunicado de Bruno de Carvalho que desmente categoricamente essa “ordem”, mas a notícia continua em loop. Ou seja, o que é repetido até à exaustão, na tal pressão e manipulação das massas, é que houve uma ordem para congelar as contas do SCP (Confesso que desconhecia tal poder de BdC. Deve ser o quinto…).

Quanto ao comunicado da CG, que foi publicado no website do Sporting Clube de Portugal às 22:33h, onde se informa que vão participar criminalmente de Bruno de Carvalho, junto do MP, por fraude… desapareceu como por magia e já não está online. Será que tal aconteceu porque não existe crime de fraude no Código Penal? Será que afinal, as coisas não são bem como nos quiseram fazer “acreditar”?

Termino com mais um exemplo da tal “manipulação”. Estava prevista, para hoje, uma entrevista de Bruno de Carvalho ao podcast #Sporting160. Em comunicado, os autores anunciaram o cancelamento da entrevista. O motivo: um dos seus apresentadores e respectivos familiares terem sido alvo de ameaças, devido à participação de BdC, mas continuado com as entrevistas agendadas aos outros candidatos.

O que notícia o CM: “Bruno cancela entrevista após ameaças (…)”. Quem fica mal na “fotografia”?

Parece um pormenor? Mas não é. Este poder, seja ele 4° ou 2°, forma opiniões, controla atitudes, elimina a hipótese de sentido crítico que permite distinguir o que é de facto a realidade.

Precisamos de uma CS isenta. Precisamos de sentido crítico. Já o tinha frisado também no Twitter: os que hoje, até lhes dá jeito defender este “jornalismo”, podem muito bem ser os visados de amanhã. Tomem nota.

O CRIME NUNCA COMPENSA!

Se existe uma coisa que todo este processo, que o Sporting Clube de Portugal está a passar, nos ensina é que realmente o “crime” não compensa.

E não compensa porque mais tarde ou mais cedo, os prevaricadores acabam “presos” e punidos. A Justiça, em Portugal, tem tendência para se atrasar e às vezes falha redondamente (também é verdade que só se faz eco dos casos em que falha), mas neste caso específico, e pelos sinais que vão sendo dados, talvez vá acertar.

A suspensão dos resultados da AG de dia 23 de Junho até haver uma decisão e primeira instancia, parece não ter levantado grande celeuma… Ou seja, um Juiz suspendeu todas as decisões tomadas pelas comissões nomeadas a partir de dia 1 de Agosto até que um tribunal se pronuncie sobre a impugnação da própria AG.

A pergunta que me assalta de seguida é: Então e as eleições de dia 8 de Setembro? Como se vão realizar? Se neste momento o Conselho Directivo ainda está em funções como é que a convocatória para a AG Eleitoral continua a vigorar? Não seria do mais elementar bom senso, por parte da MAG demissionária e do seu Presidente, também demissionário, suspenderem esse acto eleitoral até haver uma decisão Judicial?

Não seria importante os candidatos interrogarem a MAG sobre a sua capacidade actual para fazer essa eleição? É que já nem falo da questão da legitimidade do órgão para o fazer, mas sim de questões praticas como, por exemplo, quem é que paga a factura!  Sim porque a actual CG não pode! E a SAD também não!

Mas, ao contrário do que seria de esperar, parece que toda gente resolveu “ignorar o elefante na sala” e seguir como se nada se passasse, como se a legitimidade democrática do acto não  gravemente comprometida, correndo-se o sério risco de ter estas eleições impugnadas e os resultados anulados!

Estão apostados que a demonização, em curso, do candidato Bruno de Carvalho, pelo canal oficial do Sporting, a CMTV, levará as pessoas a acharem que os Sócios não concordarão com a reposição da legitimidade, da legalidade e da Democracia, mas estão enganados.

Quando os tribunais começarem a dar razão às reivindicações dele, muitos dos que hoje apoiam uma pacificação do clube, branqueando tudo o que se passou e que mostram enfado com estas noticias, serão os primeiros a virar o dedo acusador, para quem até agora demonstrou tão pouco respeito pelos Sócios e pelo Clube, os senhores da CG, da CF e da Putativa Mesa da Assembleia Geral.

 

Page 1 of 3

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén